A necessidade e o retorno dos investimentos em Iluminação Pública

11

*Por Dilnei Sousa, Diretor Operacional da Quantum

Cada vez mais prefeituras estão contratando serviços especializados em modernização, gestão e manutenção dos sistemas de iluminação pública. Prova disso é a estimativa nacional de R$ 18 bilhões em investimentos para os próximos anos, segundo a ABCIP – Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Iluminação Pública. Seja por concessões seja em parcerias público-privadas, administrações municipais de todos os estados estão deixando suas ruas e praças mais seguras e iluminadas para a população.

Todavia, como em qualquer investimento público, há de se ter um retorno e esse precisa ser mensurado. No caso dos investimentos em iluminação pública, não que a satisfação dos pedestres e usuários de transporte coletivo ao circularem durante a noite com mais tranquilidade, assim como o fato de proporcionar melhor visão aos motoristas, já não sejam excelentes indicativos. Sem contar a economia que pode superar os 50%, com o uso das lâmpadas de LED, que são mais duráveis e iluminam muito melhor que as lâmpadas de vapor de metal.

Entretanto, quando se investe em iluminação pública você alcança um sistema eficiente a partir da modernização e da manutenção planejada da rede. Nesse caso, um dos indicadores importantes que realmente comprovam o sucesso do projeto é o índice de falhas no sistema, ou seja, uma amostragem do número de lâmpadas apagadas em relação ao total de pontos de iluminação do parque. Para citar um exemplo de retorno positivo, o consórcio SQE Luz – formado pelas empresas ENGIE e QUANTUM Engenharia – atua em seis municípios catarinenses que, juntos, somam mais de 200 mil pontos de luz. Em sua área de operação, o índice de falhas é sempre inferior a 2%.

Trata-se de um índice inalcançável para municípios que ainda não aderiram aos investimentos em seus parques de iluminação. Fica ainda mais claro no caso da concessionária IP Minas, que assumiu o trabalho de modernização da rede e dos mecanismos de controle, monitoramento e manutenção do sistema de Ribeirão das Neves, em Minas Gerais. Formada pelas empresas Quantum Engenharia e Fortnort, a contratada da prefeitura reduziu o índice de falhas na rede de 5,56%, no mês de julho de 2020, para o percentual de 1,11% no mesmo período em 2021, de um total de 26.512 pontos luminosos.

Com isso, fica evidente que os investimentos em mão de obra e novas tecnologias são fundamentais para o desenvolvimento de um sistema de iluminação pública eficiente. Cada vez mais prefeituras sabem disso.