15.5 C
fpolis
quarta-feira, agosto 17, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Análise do Sindifisco/SC: arrecadação de quase R$ 3 bilhões em junho reflete ação do Fisco

spot_imgspot_img

Análise do Sindifisco/SC: arrecadação de quase R$ 3 bilhões em junho reflete ação do Fisco

spot_imgspot_img

Crescimento de 41,9% em relação a 2020 e de 21,5% na comparação com 2019 é resultado de atuação positiva dos auditores fiscais desde antes da pandemia

 

A arrecadação total de Santa Catarina registrada no mês de junho foi de R$ 2,99 bilhões, o que corresponde a crescimento de 41,9% na comparação com junho de 2020. A exemplo do que ocorreu em abril e maio, a variação é alta devido ao desempenho registrado no segundo trimestre de 2020, fortemente impactado pela pandemia. Se for considerado apenas o ICMS, o crescimento chega a 48,4%, com R$ 2,37 bilhões arrecadados somente com o imposto. As informações foram divulgadas e analisadas pelo Sindicato dos Fiscais da Fazenda do Estado de Santa Catarina (Sindifisco/SC) nesta terça-feira (6/7). 

 

Para o presidente do Sindifisco/SC, auditor fiscal José Antônio Farenzena (Zeca), o desempenho é resultado da combinação de dois fatores: a retomada da atividade econômica catarinense e a eficiência do controle e monitoramento do fisco estadual. 

 

“Atualizamos a arrecadação de 2019, anterior à pandemia e, mesmo assim, tivemos crescimento nominal superior a 21%”, compara. De acordo com Zeca, em termos reais, descontada a inflação de todo o período desde junho de 2019 (dois anos), a arrecadação cresceu 15% neste mês de junho, "o que destaca a força da atuação conjunta fisco-sociedade em Santa Catarina”.

 

Pandemia – Na avaliação de Farenzena, a pandemia explicitou a importância da arrecadação pública para a manutenção de uma vida “normal”, mesmo em meio ao caos. “O dinheiro da arrecadação vem garantindo uma série de investimentos importantes, como os R$ 600 milhões repassados para a ativação de leitos de UTI na rede privada e os R$ 300 milhões para a compra de vacinas. Também saiu da arrecadação o recurso para a nomeação de mais de dois mil profissionais em áreas prioritárias como Saúde e Segurança”, observa o presidente.

 

A expectativa do Fisco é de manutenção do crescimento arrecadatório, mas as expressivas altas registradas entre abril e junho devem dar lugar a números mais realistas. "De agora em diante, deveremos ter percentuais de crescimento mais realistas porque a base de comparação será do início da recuperação econômica catarinense”, explica o diretor de Políticas e Ações Sindicais do Sindifisco/SC, auditor fiscal Sérgio Pinetti.

 

Setores – A arrecadação das gerências regionais da Secretaria de Estado da Fazenda segue sendo destaque em junho, com crescimento de quase 100%, num claro reflexo do trabalho de monitoramento e fiscalização dos auditores fiscais. Houve desempenho positivo no setor de automóveis e autopeças (150,3% de crescimento) e na indústria têxtil (80,2% de incremento). 

 

Também puxaram a alta os setores de combustíveis (73,7%), materiais de construção (52,4%), transportes (50,3%), indústria metalmecânica (47,2%), agroindústria (36,3%) e energia (33,1%) – este último já é reflexo da nova bandeira aplicada devido à crise hídrica enfrentada no País. “A nossa preocupação ainda está nas dificuldades cambiais e de importação de mercadorias e matéria-prima: a paralisação de algumas linhas de produção devido a dificuldades de logística e fornecimento de componentes eletrônicos sempre tem algum reflexo nas nossas indústrias”, completa o diretor Pinetti.

spot_img

Leia mais