16.6 C
fpolis
quinta-feira, setembro 23, 2021
cinesytem

”As férias do Sr. Hulot”, de Jacques Tati, é o filme de hoje na Fundação Cultural Badesc

spot_img

”As férias do Sr. Hulot”, de Jacques Tati, é o filme de hoje na Fundação Cultural Badesc

spot_img

A Mostra de Cinema Tati por Inteiro, que presta uma homenagem ao cineasta francês Jacques Tati (1907-1982), tem nesta segunda-feira, 4, a partir das 19h, a exibição do filme “As férias do Sr. Hulot”, na Fundação Cultural da Agência de Fomento de Santa Catarina (Badesc). A entrada é gratuita.

Na Capital, o projeto terá sessões até o dia 8, de segunda a sexta, sempre às 19h. Durante a programação o público poderá conhecer a fundo a cinematografia deste importante realizador cujo nome está no rol dos maiores cineastas da história.

Jacques Tati é considerado pela crítica especializada o mais original comediante do cinema, depois de Charles Chaplin. O cineasta se distanciou do burlesco primitivo e buscou, na observação do cotidiano, as expressões, os hábitos, manias e manifestações, que denunciavam as personalidades.

Além disso, seus filmes contribuíram para a construção da crítica de costumes que, em sua obra, não deve ser lida a partir de uma relação direta com a realidade imediata, mas sim, a partir de suas escolhas, seleções e criações. Nos longas-metragens em cartaz, além da direção e roteiro, ele também atua.

A Fundação Cultural Badesc fica na Rua Visconde de Outo Preto, 216, Centro.

Programação:

Segunda-feira, 4
“As férias do Sr. Hulot”
(Direção: Jacques Tati, Les Vacances de Monsier Hulot. 1953. 104 min)
O atrapalhado sr. Hulot vai passar as férias em um hotel de veraneio onde provoca uma série de situações desastrosas e irresistivelmente cômicas. Mesmo causando agitação na rotina dos demais hóspedes, ele consegue fazer amizades e conquistar a simpatia de todos.

Terça-feira, 5
“Meu tio”
(Direção: Jacques Tati, Mon oncle. 1956. 116 min)
O sr. Hulot vai passar um tempo na casa de sua irmã para ajudar a cuidar do sobrinho. Logo ele se vê às voltas com uma casa repleta de utensílios automáticos e arquitetura futurista pouco funcional, mas vistosa aos olhos da sociedade de consumo. A dificuldade de adaptação cria situações cômicas e insólitas.

Quarta-feira, 6
“Tempo de diversão”
(Direção: Jacques Tati, Playtime. 1967. 114 min)
Um grupo de turistas norte-americanas chega a Paris, nos anos 60. Ali está também o hilário Mr. Hulot. Seu jeito inocente de observar as coisas acaba criando deliciosas confusões com as turistas que visitam a capital francesa. A mais cara produção de Jacques Tati, o diretor praticamente construiu uma cidade, com restaurantes, farmácia, prédios comerciais e até aeroporto. *Grande Prêmio da Academia de Cinema Francesa /1968 e Medalha de Prata no Festival de Moscou, Prêmio do Festival do Filme de Viena, Oscar do Cinema Sueco e Prêmio no Festival da Finlândia/1969

Quinta-feira, 7
“As aventuras do sr. Hulot no trânsito louco”
(Direção: Jacques Tati, Trafic. 1971. 93 min)
Sr. Hulot, desenhista de uma modesta fábrica de veículos, cria um caminhão com várias inovações e decide leva-lo à Exposição Internacional do Automóvel de Amsterdã. Ele toma a direção do veículo, seguido por uma jovem responsável pelas relações públicas da fábrica, num carrinho esportivo. A viagem é interrompida por uma série de problemas. São tantas as confusões, que o carro chega tarde à exposição.

Sexta-feira, 8
“Parada”
(Direção: Jacques Tati, Parade. 1974. 85 min)
O filme mostra as aventuras de duas crianças por detrás da lona de um circo provinciano. O diretor também aparece como um dos artistas do espetáculo, entre saltimbancos, mágicos e espectadores encantados.

spot_img
spot_img

Leia mais