Florianópolis, 16 de julho de 2024

Balanço pós-conferência do WTTC é positivo

spot_img

Vai ter Feira do Rock em Palhoça no final de semana

No mês do rock n’ roll o shopping ViaCatarina...

Com mais de 250 empreendimentos, o Square SC apresenta opção inovadora para as férias da criançada

Empresa Wow Park oferece experiência multissensorial num ambiente inspirador Procurando...

Organização do Mundial Rock divulga a primeira banda de 2024

Depois da grande expectativa em relação à data deste...

Compartilhe

Governo avalia impacto do evento no Estado e comemora perspectivas promissoras

Após discussões sobre parcerias, crise e gripe A e outros temas, na maior conferência global de viagens e turismo do mundo, Santa Catarina agora deve avaliar o impacto que a presença de empresários, representantes do setor público e jornalistas do mundo inteiro pode trazer para Estado, frente às perspectivas de que os 12,5% do PIB catarinense representados pelo setor de turismo podem duplicar nos próximos anos.

O primeiro benefício, mais imediato, é a visibilidade conquistada por meio da mídia. O WTTC (World Travel and Tourism Council) investiu cerca de US$ 5, 6 milhões em propaganda em veículos como a revista norte-americana Newsweek e o canal de TV inglês BBC. A mídia espontânea assume um papel mais importante ainda. Mais de 60 jornalistas internacionais estiveram no evento e alguns veículos, como a revista Travel Weekly, uma das maiores sobre viagens dos Estados Unidos, ainda está viajando pelo Estado.

Outro aspecto positivo, de acordo com o secretário de Articulação Internacional do Estado, Vinícius Lummertz, são os laços que foram estabelecidos com os investidores internacionais. Os investidores e jornalistas interessados puderam fazer tours pelo Oeste, pela Costa Esmeralda, por Garopaba, São Francisco do Sul e Grande Florianópolis. Segundo o secretário, esses tours ainda estão em curso. “O que virá disso vai depender da nossa capacidade de estabelecer esses laços em caráter permanente”, afirma.

“Shakespeare dizia que ‘uma coisa bela persuade por si mesma, sem necessidade de um orador’. Quem esteve com os grandes investidores mundiais que participaram do WTTC percebeu, claramente, a sua fascinação com as belezas e potencialidades do nosso Estado”, comemora o governador do Estado, Luiz Henrique da Silveira, que acompanhou pessoalmente os investidores em passeios de helicóptero. Completando a visão do governador, o diretor geral da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte, Guilberto Savedra, parafraseando o presidente do WTTC, afirma: “acredito que o Jean-Claude Baumgarten resumiu tudo quando disse que Santa Catarina é um dos maiores tesouros escondidos do turismo mundial”. O diretor comenta, porém, que o evento alertou o Estado para os desafios que essa nova agenda exige como a qualificação profissional, melhorias de infraestrutura, e regulamentação.

Parcerias de alto nível: chave para a recuperação

A conferência Global de Viagem e Turismo convoca para uma colaboração mais próxima entre os líderes globais dos públicos e privado do setor de turismo

Londres, UK e Florianópolis, Brasil – 19 de maio de 2009.

“O pior vírus não é o da gripe suína, é o vírus do pessimismo,” palavras do Governador do Estado de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira aos delegados na cerimônia de encerramento da 9a Conferência Global de Viagens e Turismo. “E eu estou otimista em relação à capacidade do ser humano de se levantar frente a estes obstáculos.”

Não surpreendentemente, os muitos desafios do setor de viagem e turismo pelo mundo, aos quais o Governador Luiz Henrique se referia, pesaram na organização da Conferência realizada em Florianópolis.

A economia global está sofrendo a pior recessão dos últimos 60 anos e o seu impacto e a volatilidade de mercado desencadeada pela crise econômica e financeira tem sido construído pela incerteza da epidemia de gripe A (H1N1).

A Conferência que teve como tema geral Parcerias Reais: Energizando Economias terminou com um resultado muito positivo.

Tendo como parceiros o Governo do Estado de Santa Catarina, o Ministério do Turismo do Brasil e a Embratur, o encontro teve a ilustre presença do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na abertura da Conferência, o Presidente Lula mostrou ser um dos poucos líderes de estado no mundo que reconhece a significativa contribuição do turismo ao comércio internacional, geração de empregos e inclusão social.

“Dado o dinâmico efeito catalítico do turismo nos outros setores da economia,” o presidente Lula disse que “o Governo Brasileiro está determinado a dar as mãos ao setor (de turismo) para reforçar seu papel na criação de empregos e em alcançar objetivos sociais por meio de políticas de crescimento responsáveis.”

O apoio do Presidente do Brasil impulsionou os dois dias de intensas discussões e debates, concluídos com um discurso unânime por maiores parcerias e colaboração entre o WTTC e outras organizações e associações internacionais, governamentais e privadas, com destaque para a Organização Mundial do Turismo (UNWTO, em inglês).

“Nós temos uma pauta clara para o futuro,” disse Jean-Claude Baumgarten, presidente e CEO do WTTC. “Parcerias reais podem energizar economias, agora precisamos ir em frente e reforçar nossa colaboração para o benefício dos nossos membros, o setor de turismo, e nossos clientes, o público viajante”.

“O turismo contribui, direta e indiretamente, com mais de 9% do PIB global, ou seja, é um dos setores mais importantes na economia do mundo,” acrescentou Baumgarten.

“Nós temos que nos concentrar no fato de que o turismo significa empregos,” disse Taleb Rifai, Secretário Geral da Organização Mundial do Turismo, “precisamos conectar o setor do turismo a vida diária das pessoas”, ele adicionou, “ou nós seremos vistos como um setor marginal.”.

Outras conclusões chave provenientes da Conferência:

Elucidar o papel do WTTC, que organiza a Conferência anual, os participantes repetidamente afirmaram a necessidade de unificação de discurso entre o setor e as companhias de todas as regiões do mundo – a única maneira de reassegurar que o turismo será visto como uma indústria e tratado seriamente pelos políticos.

“A crise atual não é só econômica, mas também e mais fundamentalmente – uma crise de confiança,” citando o Ministro do Turismo e Proteção Ambiental de Montenegro, Predrag Nenezic. “O papel do governo é crítico, pois ele deve tornar o ambiente operacional mais propício a negócios e mais atrativo a investimentos para atrair a confiança de negócios e consumidores”, acrescenta Nenezic.

“O turismo pode ser considerado um acelerador da recuperação da economia,” disse Charles Petrucelli, presidente do Global Travel Services da American Express. “O turismo pode levar à recuperação em termos de empregos e negócios.”

“O turismo não precisa de subsídios,” disse Ufi Ibrahim, COO do WTTC, organizadora do programa desta conferência e mestre de cerimônias do evento. “Precisa de políticas claras, consistentes, transparentes e de longo prazo, que apoiem a indústria e estimulem demandas para o turismo.”

“Os governos deveriam parar com os impostos injustos para a indústria,” disse Christopher Rodrigues, Presidente da VisitBritain.

Apesar dos inevitáveis cancelamentos devido às preocupações sobre a gripe A (H1N1) em alguns países, a 9a Conferência Global de Viagens e Turismo atraiu cerca de 1000 líderes da indústria e governos, bem como mídia de 51 países.

Sobre o WTTC

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, em inglês) é o fórum global dos líderes da área de Turismo. Os seus membros são os presidentes das 100 maiores empresas de turismo no mundo. O setor emprega mais de 220 milhões de pessoas e gera mais de 9% do produto interno bruto global.