19.1 C
fpolis
quarta-feira, julho 6, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

"Ciclo das Horas" no Casarão da Lagoa

"Ciclo das Horas" no Casarão da Lagoa

spot_imgspot_img

O documentário “Ciclo das Horas”, dirigido pela jornalista Sheila Ana Calgaro, será exibido no Centro Cultural Bento Silvério (Casarão da Lagoa), na Lagoa da Conceição, nesta sexta-feira, dia 27, com sessões gratuitas às 19h30, 20h30 e 21h15. O evento, que tem apoio da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC) e da Casa dos Açores Ilha de Santa Catarina (CAISC), marca o encerramento da exposição de fotos e extratos do livro “Vidas Separadas pelo Mar”, da mesma autora.

O vídeo mostra os relatos de pescadores industriais e de seus familiares, o trabalho de semanas no mar e o cotidiano de poucos dias em terra. Todos eles trabalham em Itajaí, mas vivem na cidade de Imbituba, município com pouco mais de 40 mil habitantes. A obra une os depoimentos com uma narração poética e lúdica, misturando elementos de animação.

Sheila, que também assina a produção geral do documentário, acompanhou a rotina dos pescadores industriais, durante uma viagem de cinco dias a bordo de um barco de pesca, com dez tripulantes, em fevereiro de 2007. A ideia de fazer o vídeo partiu do livro-reportagem “Vidas Separadas pelo Mar”, lançado em Florianópolis, no Casarão da Lagoa, no último 5 de fevereiro.

Para dar continuidade ao documentário e às gravações com os familiares desses pescadores, a jornalista contou com o trabalho de Mederijohn Corumbá, responsável pela direção de fotografia, animação e edição, e a produtora Simone Castro de Oliveira. A produção independente estreou em forma de “cinema de rua”, em Imbituba, reunindo mais de 500 pessoas na Vila da Alvorada, típica colônia de pescadores da cidade.

Sobre a obra “Vidas separadas pelo Mar”

A autora apresenta histórias como a de Pinta Preta, pescador português que trabalhou em embarcações ainda movidas a carvão e foi pioneiro em explorar os mares do extremo Sul do Brasil. A vida de Virgínia, solitária em sua casa, convivendo com a constante espera pelo marido. As lembranças de Ricardo, sobrevivente de um naufrágio, que ficou quatro dias à mercê do oceano. A tristeza de Salma Benta, ao perder três filhos para o mar. As mãos milagrosas da benzedeira Dona Lica a abençoar o Santa Luzia, que voltou com o porão cheio de peixe. A intensa procura por emprego, enfrentada por Luiz Carlos, após abandonar a pesca para tentar uma vida em terra.

Experiências também vivenciadas por Sheila, a bordo do barco Monkfish, durante cinco dias em altomar, com dez pescadores. “Foi a maneira mais viva que encontrei para trazer minhas impressões e sensações ao texto meramente informativo. Para relatar a rotina estafante destes homens a puxar centenas de metros de rede, durante o dia inteiro”, explica a autora. Desta forma, o livro se divide em catorze capítulos com histórias de vidas e aqueles nos quais a autora narra, em primeira pessoa, a experiência em altomar.

O livro foi lançado pela Lei de Incentivo à Cultura de Itajaí, com patrocínio da Multilog e apoio do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Pesca de Santa Catarina (Sitrapesca). A obra surgiu a partir do trabalho de conclusão de curso da autora, apresentado em julho de 2007, para obtenção do diploma de bacharel em jornalismo. Foram publicados mil exemplares, por meio da Editora Maria do Cais.

Exposição itinerante e projetos futuros

O projeto, proposto na Lei de Incentivo à Cultura de Itajaí, foi ampliado para a exposição itinerante de catorze banners, com fotos dos personagens entrevistados e extratos do livro. Além do Casarão da Lagoa, a exposição irá percorrer outros espaços públicos e privados, em Itajaí e Florianópolis.

Sheila também pretende distribuir, gratuitamente, 500 exemplares para escolas públicas e particulares de Itajaí, Navegantes, Imbituba, Florianópolis e outros municípios com tradição pesqueira, além de universidades brasileiras. “Quero que este livro sirva como um projeto social e pedagógico, valorizando as histórias destes pescadores que, muitas vezes, não têm seu trabalho reconhecido”, complementa.

Já foram feitas parcerias com professores de Itajaí, que irão utilizar a obra na sala de aula, para promover palestras sobre a vida do pescador industrial. “Muitas crianças e jovens têm pescadores em suas famílias. Mostrar a importância das memórias destas pessoas é fundamental para que estes alunos também entendam a história da nossa região”.

Onde encontrar o livro

O livro pode ser encontrada no Casarão da Lagoa, em Florianópolis; nas livrarias da rede Saraiva; na Livraria Época e Casa Aberta, em Itajaí. Também é possível adquirir exemplares pelo o e-mail sheilacalgaro@gmail.com.

Mais informações, com a autora, pelo telefone (47) 9605-6061.

spot_img

Leia mais