19.1 C
fpolis
terça-feira, dezembro 7, 2021
cinesytem

Dias das crianças promete alavancar vendas em Santa Catarina

spot_imgspot_img

Dias das crianças promete alavancar vendas em Santa Catarina

spot_img

Terceira data de maior movimento para o comércio, o Dia das Crianças promete trazer resultados positivos para o comércio catarinense. Pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio – SC) revela que os consumidores devem aumentar o gasto médio para a data, chegando à média estadual de R$ 119,34, valor superior aos R$ 74,42 identificados na avaliação do ano passado. Os consumidores do município de Joinville sinalizaram o maior ticket médio para as compras para a data (R$ 155,67) e os de Lages apontaram o menor valor em R$ 91,90.

Outro dado também sinaliza o aumento das vendas. A maioria dos entrevistados (43%) manifestou estar com melhor situação financeira este ano do que em 2010. Na avaliação da Fecomércio, o aumento da renda dos catarinenses explica em parte o maior gasto, entretanto, uma parte do resultado também pode ser associada ao aumento da inflação do ano, que já ultrapassou os 6,5%.

De acordo com o setor econômico da Fecomércio, o expressivo aumento do gasto médio (60%) é bastante superior à inflação do período, o que faz com que o peso do aumento da renda de 2011 seja muito mais relevante na explicação deste fenômeno.

Com relação à forma de pagamento, a maioria das pessoas em Santa Catarina irá buscar o pagamento à vista em dinheiro (55,1%). Também foram relevantes as indicações para os pagamentos parcelados no cartão de crédito (23,4%), no crediário (16,8%), e pagamento à vista no crédito (9,3%) e no débito (7,9%).

Ao contrário das demais cidades, em Lages o pagamento parcelado irá preponderar, com 67% da preferência para o cartão de crédito e 47,3% no crediário, e apenas 18,5% para os pagamentos à vista em dinheiro.
Os consumidores também foram questionados se levariam em conta as sugestões das crianças na hora da compra. No geral, o resultado ficou equilibrado, com 53% dos consumidores afirmando que não irão ouvir as sugestões dos pequenos, e 47% afirmando que ouvirão as crianças. Na avaliação da Fecomércio, este é um percentual bastante expressivo que revela a importância do empresário estar atento ao público infantil na hora de divulgar seus produtos.

Porém, apesar de levarem em conta a opinião das crianças, os consumidores acreditam que levá-los às compras não é uma boa idéia. 79% dos entrevistados do estado afirmaram que não levarão a criança na hora de comprar o presente.

spot_img
spot_img