15.6 C
fpolis
quinta-feira, outubro 21, 2021
cinesytem

Equipe de Defesa Civil catarinense faz treinamento no Japão

spot_img

Equipe de Defesa Civil catarinense faz treinamento no Japão

spot_img

Uma equipe da Defesa Civil de Santa Catarina está em em Tóquio, no Japão, para um treinamento da Agência de Internacional de Cooperação – Jica. A formação, oferecida pela agência, prevê conhecimento técnico nas áreas de Desastres de Sedimentos, Alertas e Mapeamento e Planejamento para Expansão Urbana. As informações são da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado. 

Por parte do governo estadual, integram a equipe o secretário-adjunto de Estado da Defesa Civil de Santa Catarina, Rodrigo Moratelli, e um funcionário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável. Também há representantes de outros estados, municípios e governo federal brasileiro.

De acordo com Moratelli, a primeira atividade foi a apresentação resumida do treinamento. “Foram repassadas todas as informações sobre a nossa estadia no Japão e detalhes como funcionam o Centro Internacional, alojamentos, roteiros e uso do cartão de saúde. Também recebemos um manual de instruções para situações de desastres como terremotos, tornados, tempestades e incêndios”, destacou.

No período da tarde, os participantes seguiram para a sede da Jica, onde foram recebidos pelo diretor-geral do Departamento de Redução de Risco de Desastres, Mimura Satoru, e por uma equipe técnica. Satoru expressou a satisfação de receber o grupo, considerado seleto.

Ainda na segunda-feira, 18, eles visitaram o Ministério da Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo. “O primeiro dia de visitas acabou com a apresentação da equipe que irá nos acompanhar nos próximos dias”, conta Moratelli.

Os brasileiros participam da capacitação por 33 dias. Nesta terça-feira, 19, os trabalhos se concentraram no Ministério da Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo. Foram apresentados dados do desastre mais recente registrado em Hiroshima, em agosto do ano passado, quando choveu 257mm em apenas um dia. Desse volume, 213mm foram registrados em apenas três horas e o pico de 101mm em apenas uma hora de temporal.

O evento climático provocou 59 queda de encostas e 74 mortes. Moratelli ressaltou que o diretor da Área de Planejamento e Divisão Sabo, Atsushi Okamoto, lembrou da dificuldade em emitir os avisos com antecipação prolongada e a dificuldade em evacuar as áreas. “Isso ocorreu por causa da hora de registro da ocorrência. Foi durante a madrugada”, informou.

Conforme o secretário-adjunto, as explicações do governo japonês dão conta que logos após o episódio, novas ações preventivas foram definidas. Segundo ele, todos os municípios seguem protocolos de alertas. Conforme a severidade do evento que se aproxima, alertas são emitidos aos prefeitos, que tomam a decisão de evacuar a área. “O prefeito é o responsável por replicar esse aviso à população”, enfatizou. Para tanto, os dados japoneses demonstram que apenas 12% dos avisos emitidos se concretizam.

 

spot_img
spot_img