20.4 C
fpolis
quinta-feira, junho 20, 2024
Cinesystem

Florianópolis Cine Action divulga cronograma oficial

spot_img

Florianópolis Cine Action divulga cronograma oficial

spot_imgspot_img

Evento ocorrerá na próxima quinta-feira, dia 30, no Centro de Eventos da UFSC

A organização do Florianópolis Cine Action divulgou nesta quinta-feira o cronograma oficial do festival, programado para o próximo dia 30 de abril, no Centro de Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, das 13h às 22h. No período vespertino, entre 13 e 18h, a programação será aberta ao público. A partir das 18h, quatro sessões noturnas estão programadas e os ingressos estão disponíveis a partir desta sexta-feira, nas lojas Sul Nativo e DNA Natural, localizadas na Lagoa da Conceição e nos principais shoppings de Florianópolis.

Idealizado pelo cineasta e bodyboarder Jorge Baggio, o evento receberá os principais produtores de vídeos de esportes de ação na natureza do país. O objetivo é reunir estudantes de cinema, simpatizantes do esporte, mídia e empresariado local e será uma prévia da Mostra Mundial, programada para ocorrer no final de 2009, em Florianópolis, com seis dias de exibição de vídeos, palestras e debates a respeito do tema.

O lançamento do Florianópolis Cine Action conta com patrocínio da Secretaria da Organização e do Lazer, por meio do Fundesporte, com apoio da DNA Natural, Sul Nativo, Imagem e Flora, Águas Da Guarda, Buzzii Imóveis, divulgação do site Waves e promoção da Rádio Atlântida FM. Mais informações sobre os produtores que participarão do Florianópolis Cine Action no site www.floripafestival.com.br .

Programação Florianópolis Cine Action

Dia 30 de abril

Atrações vespertinas: entrada franca das 13h às 17h30min

– Apresentação e debates com os produtores Pepê Cézar (Fábio Fabuloso), Sílvio Arnaut (Surf Adventures 1 e 2), Gustavo Camarão (Que! Life Style), Bruno Bez (Lisergia), Rafael Mellin (Lombrô, Samba Trance, Nalu), além das exibições de The Reality of Bob Burnquist (Hurley), Lisergia (MCD), -Q21 (Que!). Ainda no período vespertino, duas produções catarinenses para o grande público: Guga Arruda lança o terceiro filme da série Arquivo Surf e Teco Padaratz apresenta os três curtas entitulados “Um dia a onda me levou”.

Sessões noturnas: ingressos na Sul Nativo e DNA Natural

18h30: Changes (Rusty)
19h15: Somewhere (Rip Curl)
19h40: Espaço para debate com profissionais do cinema
20h45: Fire, The Movie (Mike Stewart)
21h45: Nalu (Rafael Mellin)

Veja abaixo as sinopses das principais atrações:

“Fire, the movie” (Mike Stewart e Scott Carter): Inédito no Brasil, é a grande atração do festival. No filme, as melhores imagens do havaiano Mike Stewart, de 46 anos, lenda do bodyboard mundial, nas melhores ondas do planeta, incorporando ainda elementos artísticos e navegando por águas que vão muito além dos vídeos comuns de esportes radicais. Filmado com câmeras 16mm, o audiovisual sobre a vida do atleta, mostra ainda os momentos de Mike Stewart dentro dos tubos, com imagens subaquáticas. O eneacampeão mundial e 11 vezes campeão do Pipeline Bodysurfing confirmou presença no festival.

“The Reality of Bob Burnquist” (Hurley): retrata tudo o que acontece durante um ano da vida do skatista brasileiro Bob Burnquist, um dos maiores atletas do planeta. A direção é de Jamie Mosberg, que acompanhou Bob ao redor do mundo, no meio do deserto, com a Tocha Olímpica no Rio de Janeiro e outros lances da rotina do atleta captados a partir de câmeras de cinema (16mm). Carioca, filho de mãe brasileira e pai norte-americano, Robert Dean Silva Burnquist começou a andar de skate aos 11 anos, em São Paulo. Hoje, aos 32 anos, ele vive na Califórnia, onde coleciona títulos de campeão mundial de skate vertical. Burnquist lidera a lista dos atletas com mais patrocínios em todo o mundo.

“Nalu” (Rafael Mellin): outro filme que não se resume a mais uma reunião de sessões de surfe pelas melhores ondas do planeta. É claro que elas estão presentes, mas o filme transcende o tradicional. Everaldo Pato, surfista profissional e, Fabiana Nigol sua mulher e cinegrafista. Vivem o surf e viajam pelo mundo juntos. O filme inova no formato e é narrado pela filha do casal, com uma boa trilha sonora e sob o comando do diretor premiado Rafael Mellin, outra presença confirmada no Florianópolis Cine Action.

“Somewhere” (Rip Curl): com a participação do staff da Rip Curl, inclusive a florianopolitana Jacque Silva, o filme documenta de maneira apaixonada a essência da busca pela onda perfeita. Somewhere é uma tradução do espírito “The Search” difundido pela marca, com seus melhores surfistas em missões ao redor do planeta para buscar novas ondas, novas experiências e novas histórias. As filmagens ocorreram em 10 picos épicos. Estrelado por Mick Fanning, Taylor Knox, Pancho Sullivan, Raoni Monteiro, Bruno Santos, Jessé Mendes, Stephanie Gilmore e Jacque Silva, Somewhere traz também uma seção dedicada ao snowboarder americano Andy Finch e sua “Search trip” pelo Chile. Com diretores como Matt Beauchesne, Jon Frank e Matt Gye, o filme pretende revolucionar a indústria cinematográfica do surf, por ser um exemplo do que é possível fazer com um pouco de liberdade e criatividade.

“Arquivo Surf 3” (Guga Arruda): o Florianópolis Cine Action será o palco do lançamento oficial do terceiro filme da série Arquivo Surf, do surfista florianopolitano Guga Arruda. Nele, Guga aborda aspectos antagônicos do esporte, como a liberdade e a competitividade, narrados através da mente de grandes surfistas.

“Lisergia” (Bruno Bez, MCD): Holanda, França, Austrália e Indonésia. Eles tinham os nomes de cada destino, mas não sabiam que cada lugar os levaria a explorar locais como Margareth River, Red Bluff, Gnaraloo, a famosa Red Light em Amsterdã, entre outros picos da Indonésia e França. Um roteiro sem roteiro, fora do tempo, não linear. A idéia é romper padrões. Os freesurfers Cássio Sanchez, Fernanto Fanta e James Santos partiram em busca de outra realidade e o resultado foi resumido pelo diretor Bruno Bez: o filme é uma “realidade proibida”. Ou seria uma Realidade surreal? Cortes secos entre Amsterdã e ondas perfeitas, com uma trilha sonora que vai do eletrônico minimal ao rock de John Frusciante. Uma obra de arte, inovadora nos faz sentir num set combinado e harmonico de imagens, sentimentos e música.

“O pintor e o oceano” (Jorge Baggio): Documentário pioneiro pelo tema e também por sua construção, referenciada em grandes cineastas e obras artísticas, como Tarkovski e Dzia Vertov. Filmagens impressionantes realizadas com câmeras acopladas nas pranchas. Águas translúcidas, visuais paradisíacos, tubos imensos. Relata a experiência de desbravadores que viajaram o mundo em busca das maiores e mais desafiadoras ondas existentes. O audiovisual parte do Brasil e chega a Ilha de Páscoa, Hawaii, Ilhas Canárias, Tasmânia, Indonésia, entre outros. Transcrende o simples fato de pegar uma onda, abordando temas como poesia, arte, vazios e ânsias do ser humano, além de mostrar diferentes pontos de vista de diversas culturas visitadas.

“Um dia a onda me levou” (Teco Padaratz, Gate): uma reunião de imagens pessoais de Teco Padaratz ao longo de 10 anos, passando por belas praias do mundo e narrando um breve histórico do surf, em três episódios de 15 minutos. Em uma das imagens mais emocionantes dos três curtas, os quatro primeiros campeões mundiais de surfe recebem seus troféus. Além do surf em locais famosos como Tahiti, Teco também mostra muito do potencial catarinense com ondas filmadas na Praia do Campeche, Silveira, entre outras.

“-Q21” (Gustavo Camarão): Filmado por Gustavo Camarão, o vídeo conta com a participação de jovens de até 21 anos surfando as ondas mais difíceis do planeta. Estrelado por Jerônimo Vargas, Ricardo dos Santos, Marco Giorgi, Alejo Muniz, Felipe Cesarano, Pedro Scooby, Thiago Camarão, Júnior Faria e mais um pelotão de peso, -Q21 apresenta a garotada em Teahupoo, Pipeline, México, Indonésia, África do Sul, Peru e Brasil. Destaque para a sessão em Teahupoo no Tahiti, onde a nova geração mostra toda sua disposição.

spot_img
spot_img
spot_img

Leia mais

spot_img