27.7 C
fpolis
domingo, janeiro 16, 2022
cinesytem

Instituto Cervantes em Florianópolis

Instituto Cervantes em Florianópolis

spot_img

O violonista e compositor sevilhano José María Gallardo del Rey é primeira atração

No intuito de divulgar a língua espanhola e a cultura em espanhol, o Instituto Cervantes de Florianópolis começa em março de 2009 suas atividade culturais. Graças as parcerias estabelecidas com a Fundação Catarinense de Cultura, a Universidade Federal de Santa Catarina e a Fundação Cultural BADESC, o Instituto Cervantes oferecerá em Florianópolis um extenso programa de atividades musicais, literárias e cinematográficas da Espanha e Hispanoamérica.

PROGRAMAÇÃO

10 março, 20h
MÚSICA
Ciclo guitarrísimo
José María Gallardo del Rey
Teatro Álvaro de Carvalho
Rua Marechal Guilherme, 26
Entrada franca
Sujeito a lotação da sala – retirar ingressos com 1 hora de antecedência

Em parceria com a Fundação Catarinense de Cultura

20 março, 16h
CINEMA
El hombre de la esquina rosada (Arg., 1962) de René Mugica
baseado no conto homônimo de Jorge Luis Borges
Auditório Henrique Fontes do Centro de Comunicação e Expressão da UFSC
Entrada franca
Apresentação pelo Prof. Roberto Ferro, da Universidade de Buenos Aires
Debate com ele e com os profesores da UFSC Claudio Cruz e Jair da Fonseca.
Em parceria com o Núcleo Juan Carlos Onetti de Estudios Literários Latinoamericanos da Universidade Federal de Santa Catarina

Ciclo Javier Bardem
CINEMA
Fundação Cultural BADESC
Rua Visconde de Ouro Preto, 216
Às 19h – Entrada franca
8/4 Carne Trémula de Pedro Almodóvar
15/4 Días Contados de Imanol Uribe
22/4 Los Lunes al Sol de Fernando de Aranoa
29/4 Segunda Piel de Gerardo Vera

Em parceria com a Fundação Cultural BADESC

10 março, 20h
guitarrísimo
José María Gallardo del Rey

O concerto, em parceria com a Fundação Catarinense de Cultura, abre em Florianópolis o ciclo guitarrísimo do Instituto Cervantes, dedicado ao violão em todas as suas formas e estilos.
PROGRAMA
Gaspar SANZ ………………………………………………………………..… Danzas Españolas *
Santiago DE MURCIA …………………………………… Tocata en la manera de Corelli *
José María GALLARDO DEL REY ……………………………………..……….…. Lorca Suite

Astor PIAZZOLLA ……………………………………………… Tres Piezas del Nuevo Tango *
José María GALLARDO DEL REY ..…………………….Fantasía sobre temas de Iberia
José María GALLARDO DEL REY………………………………………………….……… Rosales

* Versión de José María Gallardo

José María Gallardo del Rey
O violonista e compositor sevilhano José María Gallardo del Rey recupera uma tradição esquecida pelos violonistas em geral há quase um século: a de associar em suas apresentações obras tradicionais do repertório com composições próprias.
Para o recital no Instituto Cervantes de Florianópolis, Gallardo Del Rey escolheu obras escritas originalmente para violão barroco por dois de seus principais compositores, Gaspar Sanz e Santiago de Murcia. Continuando a apresentação, serão interpretadas obras próprias baseadas também na tradição do cancioneiro ibérico, em releituras das obras tradicionais recolhidas pelo grande poeta Federico García Lorca. Outras composições próprias além de um arranjo do próprio violonista de obras de Astor Piazzolla encerram o programa.
José María Gallardo del Rey extrapola os limites do violão clássico, colaborando frequentemente com músicos de jazz, ópera, balé e teatro. Atua também como diretor de orquestra e compositor, sendo fundador e diretor musical do septeto La Maestranza. Faz apresentações por toda a Ásia e Austrália e em 2008 colaborou na produção Pasión Española, com Plácido Domingo e a Orquesta de la Comunidad de Madrid.

O ciclo guitarrísimo
O ciclo guitarrísimo do Instituto Cervantes começou em 1998 na sua sede de Munique (Alemanha) e se espalhou por várias das cidades do mundo nas quais o Instituto está presente.
O ciclo apresenta os principais intérpretes e repertórios para violão e instrumentos afins da Espanha e Hispanoamérica, países que tem, como o Brasil, o violão como um instrumento profundamente enraizado nas suas culturas musicais.
Teatro Álvaro de Carvalho
Rua Marechal Guilherme, 26
Entrada franca
Sujeito a lotação da sala – retirar ingressos com 1 hora de antecedência
Em parceria com a Fundação Catarinense de Cultura

CICLO DE CINE ARGENTINO: Entre gauchos e compadritos

O Núcleo Juan Carlos Onetti de Estudos Literários Latinoamericanos da Universidade Federal de Santa Catarina e o Instituto Cervantes de Florianópolis abrirão no próximo dia 20 de março o Ciclo de Cinema Argentino Entre gaúchos e compadritos. Trata-se de uma mostra que reúne oito filmes produzidos entre as décadas de 1950 e 1980 que abordam os temas do gaúcho e do compadrito, figuras míticas da cultura argentina. O tema do gaúcho é revisitado com maestria em filmes como Martín Fierro de Leopoldo Torre Nilsson e Don Segundo Sombra de Manuel Antín, ambos baseados nas obras literárias homônimas de José Hernández e Ricardo Güiraldes, respectivamente. O tema do compadrito, figura emblemática do subúrbio da Buenos Aires do início do século XX, é explorado em El hombre de la esquina rosada de René Mugica, baseado no conto de Jorge Luis Borges Hombre de la esquina rosada, e Juan Moreira de Leonardo Favio.
O Ciclo pretende levar ao público de Florianópolis uma mostra de excelentes produções que apresentam temas que ocuparam importante papel nas discussões sobre a construção cultural do país vizinho durante o século XX e que hoje, nas vésperas do bicentenário da república Argentina, ganham novamente papel de destaque.
O Ciclo prevê a exibição mensal de um filme durante o período letivo de 2009, seguido de debate com a participação de especialistas brasileiros e estrangeiros.

A mostra começa na sexta-feira, 20 de março, às 16h, no Auditório Henrique Fontes do Centro de Comunicação e Expressão da UFSC, com a participação dos professores Roberto Ferro, da Universidade de Buenos Aires, e Cláudio Cruz e Jair da Fonseca, da UFSC.
PROGRAMAÇÃO:

sexta-feira, 20 de março às 16h: El hombre de la esquina rosada (1962) René Mugica
quarta-feira, 22 de abril às 16h: Juan Moreira (1972) Leonardo Favio
quarta-feira, 20 de maio às 16h: Un guapo del 900 (1960) Leopoldo Torre Nilsson
quarta-feira, 24 de junho às 16h: Tangos – El exilio de Gardel (1985) Fernando Solanas
quarta-feira, 26 de agosto às 16h: Martín Fierro (1968) Leopoldo Torre Nilsson
quarta-feira, 23 de setembro às 16h: Arrabalera (1950) Tulio Demicheli
quarta-feira, 21 de outubro às 16h: Don Segundo Sombra (1969) Manuel Antín
quarta-feira, 25 de novembro às 16h: Sur (1988) Fernando Solanas

O evento é aberto ao público e a entrada é gratuita. Interessados poderão contar com certificados de participação.
LOCAL: Auditório Henrique Fontes, Centro de Comunicação e Expressão – CCE, UFSC
APOIOS: Instituto Cervantes, Centro de Comunicação e Expressão, Pós-graduação em Literatura e Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras da UFSC
ORGANIZADORES: Prof. Cláudio Cruz e Profª. Liliana Reales
INFORMAÇÕES: (48) 9615-0563

20 março, 16h
CINEMA
El hombre de la esquina rosada
(Arg., 1962, 70 min. Espanhol sem subtítulos) de René Mugica
baseado no conto homônimo de Jorge Luis Borges
Francisco Real, um homem do Norte chamado de el Corralero, anda buscando outro que tem fama de fofoqueiro e de mau e o chamam de el Pegador ”quero encontrar-lo para que me ensine, a mim que não sou ninguém, o que é um homem de coragem e de visão”.
Apresentação pelo Profº Roberto Ferro da Universidade de Buenos Aires
Debate com ele e com os profesores da UFSC Claudio Cruz e Jair da Fonseca.

Roberto Ferro

Roberto Ferro é escritor e crítico literário. Doutor em Letras pela Universidade de Buenos Aires, é professor e pesquisador da Faculdade de Filosofía e Letras. Tem ministrado cursos e seminários de pós- graduação em Venezuela, México, França e Itália. Faz parte do conselho de redação de numerosas revistas acadêmicas e literárias.
Entre seus libros publicados estão: El asesino tiene quien le escriba, Lectura (h)errada con Jacques Derrida, El lector apócrifo, La ficción. Un caso de sonambulismo teórico, Línea de flotación e Onetti. La fundación imaginada.

Auditório Henrique Fontes, Centro de Comunicação e Expressão – CCE, UFSC
Entrada franca
Apresentação pelo Profº Roberto Ferro da Universidade de Buenos Aires
Debate com ele e com os profesores da UFSC Claudio Cruz e Jair da Fonseca.
Em parceria com o Núcleo Juan Carlos Onetti de Estudios Literários Latinoamericanos,
da Universidade Federal de Santa Catarina

CINECLUBE

A Fundação Cultural Badesc e o Instituto Cervantes oferecem, a partir do mês de abril, cinema espanhol e hispanoamericano todas as quartas-feiras, às 19h

Cinema abril
Ciclo Javier Bardem
Fundação Cultural BADESC
Rua Visconde de Ouro Preto, 216
Às 19h – Entrada franca

Dedicamos o mês de abril a figura de Javier Bardem, um ator jovem apesar de já ser consagrado na cena espanhola e internacional. Filho da também atriz Pilar, irmão do escritor e diretor de cinema Miguel e sobrinho de uma das figuras mais relevantes do cinema espanhol dos anos 1950 e 1960, o diretor Juan Antonio Bardem (1922-2002), Javier passou por um período juvenil um tanto errante, no qual dividia seu tempo entre suas duas grandes paixões: o rugbi e os estudos de pintura, até chegar nas mãos de diretores de renome e realizar seus primeiros e breves papéis em Las edades de Lulú(1991), de Bigas Luna e Tacones Lejanos(1991), de Almodóvar. Sob a direção do primeiro, o controverso diretor catalão Bigas Luna, chegaria sua consagração, com o filme Jamón, jamón (1992).

Logo depois deste primeiro trabalho, Bardem voltou a tarbalhar com Bigas Luna em Huevos de oro (1993), que garantiu sua popularidade ao mesmo tempo em que classificava o ator em um só esteriótipo – o de macho latino, forte, autoritário e agressivo – do qual, no entanto, conseguiu se desvencilhar graças aos trabalhos posteriores, como El detective y la muerte (1994), de Gonzalo Suárez, ou Días contados(1994), de Imanol Uribe, nos quais interpreta magistralmente um personagem conflituoso, viciado em drogas e atraente ainda que repulsivo. Esta atuação lhe valeu em 1995 o Prêmio Goya de melhor ator coadjuvante.

Provavelmente foi em 1997 que Javier Bardem se lançou definitivamente ao estrelato, quando colaborou com dois dos maiores diretores do cinema espanhol – Pedro Almodóvar e Alex de la Iglesia – em papéis de protagonista. Carne Trémula e Perdita Durango nos apresentam um ator já formado e pleno de recursos interpretativos, ao mesmo tempo que são marcantes quanto à variedade de registros que o ator domina, já que em um, Carne Trémula, interpreta um tetraplégico, enquanto em Perdita Durango, Bardem enche a tela com talvez uma das imagens mais violentas, inquietantes e ameaçadoras que o espectador contemporâneo possa recordar. Nesta mesma linha podemos enquadrar os últimos trabalhos de Bardem – Antes que anochezca (2000) de Julian Schnabel; Los Lunes al sol (2002) de Fernando León de Aranoa, e Mar adentro de Alejandro Amenábar (2004) – filmes com uma enorme distribuição internacional e nas quais o ator assume enormes desafios interpretativos, como o de encarnar o escritor e poeta cubano Reynaldo Arenas (1943-1990) -; ou o defensor da eutanásia e paraplégico Ramón Sampedro (1943-1998).

A partir deste ano Javier Bardem inicia uma carreira fora da Espanha. Em 2006 participa em Os fantasmas de Goya (2006) de Milos Forman, ao lado de Natalie Portman. Em 2007 aparece em O amor nos tempos de cólera, de Mike Newell, baseado no romance de Gabriel García Márquez. Recentemente foi convidado a viver o famoso terrorista venezuelano Carlos, o Chacal, em filme dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles.

Em 2008, sua consagração veio com o Óscar na categoria de melhor ator coadjuvante, pelo seu papel no filme No Country for Old Men(2007) dirigido pelos irmãos Coen, tornando-se o primeiro ator espanhol a receber este galardão.
08/04/2009
Carne trémula
Direção: Pedro Almodóvar
Espanha, 1997, 100 minutos, cor. Em espanhol com legenda em português

Em uma noite, três homens e três armas coincidem-se na casa do cônsul italiano em Madri. Sozinha, Elena, sua filha, espera anciosamente a chegada do traficante que lhe trará drogas. Os três homens são Víctor, um adolescente imaturo e marginal, e uma dupla de policiais, David e Sancho. Entre eles começa uma discussão violenta. Uma das pistolas é disparada atingindo David, em sua coluna vertebral. Víctor é preso e condenado a uma pena de setes anos de detenção.

15/04/2009
Días contados
Direção: Imanol Uribe
Espanha, 1994, 90 minutos, cor. Em espanhol, sem legenda

Uma história de amor entre pessoas que vivem no limite. Ela, Charo, quase cruzou a fronteira irreversível do mundo das drogas e, apesar do ambiente sórdido em que cresceu, não deixa de manifestar a igenuidade de seus dezoito anos.

22/04/2009
Los lunes al sol
Direção: Fernando León de Aranoa
Espanha, 2002, 113 minutos, cor. Em espanhol, legenda em espanhol

Em uma cidade litorânea ao norte e dividida por um rio de águas verdes e poluídas, muitos homens e mulheres deixaram o campo e o mar para irem trabalhar em fábricas, refinarias e estaleiros. Mas depois chegou a modernização industrial.

29/04/2009
Segunda piel
Direção: Gerardo Vera
Espanha, 1999, 105 minutos, cor. Em espanhol, legenda em espanhol

Alberto, homem jovem e bem sucedido, é casado com Elena e tem um filho, Manuel. Nesta aparente normalidade estável e acomodada, Alberto mantém uma relação sentimental com Diego, um médico gay. Elena descobre que seu marido a trai, mas acredita que seja com outra mulher; passa, então, a tentar de todos os modos salvar seu casamento.

Em parceria com a Fundação Cultural BADESC

O Instituto Cervantes

Fundado em 1991, o Instituto Cervantes é uma instituição oficial espanhola dedicada à difusão internacional do espanhol e da cultura nas línguas hispânicas. Atualmente conta com 72 centros espalhados pelos cinco continentes, em mais de 40 países. Mais de 100.000 alunos participam anualmente nos 8000 cursos de espanhol que se celebram nos centros do Instituto Cervantes, cursos de língua para todos os níveis, cursos de aperfeiçoamento e atualização didática e cursos especiais de língua e cultura, espanhol para fins específicos (espanhol para negócios, secretariado, etc.), assim como cursos preparatórios para a realização das provas dos Diplomas de Espanhol como Língua Estrangeira (DELE), enquanto as incessantes atividades culturais relacionadas à Espanha e à hispanoamérica situam o Instituto Cervantes como uma referência em todos os países onde atua.
Desde 1998, quando o Instituto Cervantes começou suas atividades em São Paulo, nossa instituição cresceu no Brasil de maneira espetacular. Com centros em Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e Salvador, Brasil é o país com a maior presença do Instituto Cervantes.

Instituto Cervantes Florianópolis
Rua Esteves Júnior, 280
88015-130 Florianópolis
Tel. (48) 3225-0224

spot_img
spot_img