22 C
fpolis
sábado, setembro 25, 2021
cinesytem

Palestra aborda indicações e adequações dos medicamentos

spot_img

Palestra aborda indicações e adequações dos medicamentos

spot_img

Evento com entrada gratuita acontece na Livrarias Catarinense no Beiramar Shopping

O filósofo Bruno Packter realiza no próximo dia 07 de julho, quarta-feira, uma palestra na Livrarias Catarinense no Beiramar Shopping com o tema Filosofia Clínica e a Saúde: o papel do filósofo clínico. A explanação abordará a inter-relação entre saúde, medicamentos convencionais, medicamentos existenciais e a filosofia.

Segundo o palestrante, existe um tipo de remédio que não é físico, mas possui resultados tão expressivos quanto as medicações usadas tradicionalmente: o remédio existencial. “Algumas situações não precisam necessariamente dos fármacos tradicionais, mas sim de métodos terapêuticos que tratem a essência do problema. Em determinadas situações as palavras certas têm efeitos mais otimistas do que qualquer outro tipo de remédio”, afirma Bruno Packter.

Na Filosofia Clínica busca-se situar existencialmente o paciente, conhecendo melhor as circunstâncias sob as quais ele vive, os locais que frequenta e as relações sociais e pessoais que mantêm. Tais elementos auxiliam o filósofo clínico no processo de descoberta de tais manifestações como medo, angústia, crises, opressão, revolta, entre outras características que levam o homem a ter dificuldade de se aceitar e tolerar os outros.

“Existem pessoas que fazem a terapia tradicional como remédio existencial. Porém, para algumas pessoas, este tipo de terapia é uma perda de tempo. Às vezes, uma conversa profunda com alguém que a gente estima se mostra mais eficiente do que uma terapia”, completa Packter.

Os ditos remédios existenciais não estão presentes somente na forma de análise. Algumas pessoas, por exemplo, utilizam a religiosidade como um remédio existencial, enquanto outras fazem o uso inadequado de calmantes e sedativos sem saber que, em muitos casos, a solução dos problemas está no sentimento de calma, que proporciona ao indivíduo o relaxamento necessários para lidar com suas crises.

Uma expressiva parcela da população encontra problemas no momento de decidir qual a “medicação” a ser escolhida para sanar o sofrimento. Segundo Packter, a escolha correta está atrelada ao histórico pessoal do paciente. “Há casos em que o remédio existencial diante de um problema seria afastar-se dele. Para outros, o questionamento correto de determinados pontos da situação é efetivo”. Em ambos os métodos os cuidados devem ser similares aos relacionados a ingestão de remédios físicos: qual a quantidade e período necessário para uso desta medicação?”, completa.

Essas são algumas abordagens do tema tratadas Filosofia Clínica e que serão explanadas na palestra. Além do bate-papo, Bruno Packter irá também tirar dúvidas do público.

Sobre o Palestrante

Bruno Packter é graduado em Filosofia pela UNISUL, em Florianópolis, e pós-graduado em Filosofia Clínica pelo Instituto Packter, de Porto Alegre.

Professor do curso de graduação à distância em Filosofia pelo Instituto Packter, também ministra o curso de pós-graduação presencial em Filosofia Clínica nas cidades de Florianópolis, Blumenau, Brusque e Tubarão.

Sobre o Evento

A palestra Filosofia Clínica e a Saúde: o papel do filósofo clínico será realizada no próximo dia 07 de julho, às 19h30, na Livrarias Catarinense no Beiramar Shopping, Rua Bocaiúva, nº 2468, piso Joaquina, em Florianópolis. A entrada é gratuita. Mais informações pelo telefone (48) 3271.6030.

spot_img
spot_img

Leia mais