25.2 C
fpolis
sábado, janeiro 22, 2022
cinesytem

Pesquisa aponta SC como destino seguro e reforça da necessidade de cuidados contra a Covid-19

Pesquisa aponta SC como destino seguro e reforça da necessidade de cuidados contra a Covid-19

spot_img

 

Um estudo realizado pela Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur) levantou um conjunto de dados e informações sobre o comportamento dos turistas no contexto da pandemia de Covid-19. A Pesquisa de Intenções de Viagens, publicada nesta terça-feira (27), apontou Santa Catarina como destino seguro, reforçou a tendência do turismo regional e a necessidade de cuidados contra a Covid-19.

As informações obtidas também permitiram traçar um perfil desse turista, que tem entre 30 a 39 anos, prefere viajar de carro, para deslocamentos num raio de até 300km e acompanhado da família. Utiliza buscadores online e redes sociais no planejamento, tem especial interesse em sol e praia e preferência por hotéis ou pousadas para 2 a 3 dias de permanência. Apesar de ver Santa Catarina como um destino seguro, na preparação da viagem leva em consideração ameaças como o risco de contaminação pela Covid-19 e a possibilidade de adiamentos em decorrência da pandemia.

O presidente da Santur, Leandro “Mané” Ferrari, avalia que os resultados da pesquisa vêm ao encontro do trabalho que vem sendo realizado desde o início da pandemia, como melhorias de infraestrutura turística e elaboração de protocolos sanitários para proporcionar um turismo seguro a visitantes, trabalhadores e empreendedores do setor.

– Mais que isso, confirma que estamos no caminho certo ao apostar mais fichas no turismo interno, revalorizando atrativos catarinenses e incentivando que nascidos ou residentes no estado conheçam mais de Santa Catarina. Ainda, demonstra que a Santur tem empreendido de forma assertiva no desenvolvimento de outros projetos, entre eles o de roteirização para valorização de atrativos e produtos em todas as regiões turísticas do estado – enfatiza Ferrari.

A coleta de dados, entre os dias 24 de agosto e 07 de setembro de 2020, envolveu 1460 pessoas de 20 estados e o Distrito Federal, além de nove países. Do total de respondentes, 95% são brasileiros, sendo que 78% residem em Santa Catarina. A participação de outros estados foi de 17%, principalmente Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Outros 5% dos pesquisados são estrangeiros, majoritariamente da América do Sul, com destaque para argentinos, uruguaios e peruanos.

– Essas informações demonstram a potencialidade do turismo interno e de abrangência regional para o público catarinense, assim como para visitantes de estados e países vizinhos – avalia a coordenadora da pesquisa Luana Emmendoerfer, diretora de Estudos e Inovação da Santur.

Luana acrescenta que os resultados obtidos foram estruturados entre os que têm Santa Catarina como opção de viagem; os que pretendem visitar outros destinos (estado ou país); e aqueles que no momento não têm intenção de viajar. Para cada um desses panoramas foram apresentados dados complementares sobre o perfil dos respondentes, possibilitando uma leitura mais abrangente.

 

>>> Deslocamento, duração e frequência

Das pessoas que participaram da pesquisa, 60% optaram por não viajar durante a pandemia, até o momento. Ainda assim, uma parcela de 29% revelou ter realizado viagens nos últimos meses, com destaque para os destinos das regiões turísticas Serra Catarinense (21%), Grande Florianópolis (18%) e Costa Verde & Mar (17%).

Mas viajar por Santa Catarina nos próximos meses está entre os planos de 90% dos entrevistados, interesse que persiste mesmo no contexto da pandemia da Covid-19. Para 32%, essa viagem deve se concretizar até o final de 2020, preferencialmente para locais mais próximos de suas residências.

O levantamento também ratificou a tendência de deslocamentos mais curtos, especialmente entre catarinenses. Desse público, 44% declararam estar dispostos a percorrer um raio de até 300km.

O carro próprio foi citado por 76,5% dos participantes da pesquisa como o meio de locomoção que pretendem utilizar no deslocamento. Entre os turistas catarinenses esse índice sobe para 87%. O veículo terrestre é relevante até mesmo entre os estrangeiros, com 40,7% das respostas, apenas um pouco menor que a preferência desse grupo pelo uso de avião, que obteve 43,2% das respostas.

Quanto a duração da viagem, a opção de 48% dos entrevistados são períodos de 2 a 3 dias. Essa escolha prevalece ainda mais entre os residentes em Santa Catarina, com 57% das respostas. Já entre os turistas de outros estados, a duração da viagem ficou bem distribuída entre 4 a 5 dias (21,2%), 2 a 3 dias (20,7%), 8 a 10 dias (20,3%), mais de 10 dias (19,4%). Entre os estrangeiros, prevalecem as opções por períodos com mais de 10 dias (40,8%) e de 8 a 10 dias (25,4%).

Outro aspecto investigado foi a incidência das viagens. Entre os que residem em território catarinense, 49% responderam que viajam com frequência dentro do estado e 26% de 1 a 2 vezes ao ano. Entre os residentes em outros estados, 53% realizam de 1 a 2 viagens por ano e 22% desse grupo responderam que visitam o estado mais de três vezes no período. Dos residentes em outros países, 65% relataram viajar de 1 a 2 vezes ao ano para Santa Catarina e 23% pretendem vir ao estado pela primeira vez.

 

>>> Viagens e pandemia

A pesquisa também buscou conhecer a percepção de segurança sanitária dos turistas em relação a Santa Catarina. O resultado aponta uma leitura positiva para o setor: numa escala de 0 a 5, onde 5 corresponde a totalmente seguro, as notas mais citadas foram 4 (29%), 3 (28%) e 5 (23%).

Entre os que avaliaram como totalmente seguro, 41% pretendem viajar ainda no segundo semestre de 2020, 18% no final do ano e 14% apenas quando houver uma vacina contra a Covid-19. O grau de segurança sanitária do estado também se revela na informação de que 48,6% dos entrevistados não mudariam a escolha do destino em Santa Catarina mesmo no contexto da pandemia.

Entre aqueles que avaliaram bem a segurança sanitária praticada no estado, a estrutura turística é a principal premissa levada em consideração ao definir uma viagem por Santa Catarina. Este item foi escolhido por 31% dos entrevistados.

No outro extremo, apenas 4% avaliaram o estado como totalmente inseguro para viajar. Desse grupo, apenas 2% pretendem realizar viagens por Santa Catarina ainda neste ano, enquanto 71% declararam que somente viajarão quando houver disponibilidade de vacina contra a Covid-19.

Ainda sobre as premissas para escolher Santa Catarina como destino, para 20% dos pesquisados pesa na decisão o preço/promoções e as condições de pagamento. As medidas de segurança sanitária/selo de boas práticas adotadas ficaram na terceira posição, com 19%, seguida do menor fluxo de turistas, com 13% das respostas.

Para os que se sentem menos seguros em relação à pandemia, as medidas sanitárias/selos de boas práticas são a principal premissa considerada na escolha de um destino, enquanto a estrutura turística vem em segundo lugar, seguida por um menor fluxo de turistas e o número de casos de Covid-19.

Entre os motivos de insegurança para viajar, na visão dos entrevistados, o risco de contágio é o maior deles, com 41,5%, fator que também afeta o planejamento de viagem. A possibilidade de adiamento por conta do aumento de casos da Covid-19 foi o segundo motivo mais citado, com 25,8%. Um terceiro motivo apontado foi a instabilidade financeira devido à pandemia, na opinião de 14,6% dos participantes. Por outro lado, 10,1% declarou  não se sentir inseguro em relação à pandemia.

 

>>> Planejando a viagem

Os buscadores on-line e as redes sociais são as ferramentas mais utilizadas pelos viajantes para planejar uma viagem. Quase 60% do total de participantes da pesquisa revelaram que recorrem a esses canais antes da tomada de decisão, reforçando que a disponibilidade de informações e a divulgação de produtos e serviços nesses meios podem ser decisivos na escolha do destino. A recomendação de amigos ou familiares também tem peso relevante na opinião de 19% dos entrevistados, indicando que uma boa experiência de viagem pode refletir positivamente em negócios futuros.

Porém, entre os turistas estrangeiros, as agências de turismo aparecem como o principal canal de apoio no planejamento da viagem, depois vem as redes sociais, os buscadores on-line e a recomendação de amigos e parentes.

 

>>> Destinos mais procurados e hospedagem

Grande Florianópolis, Serra Catarinense e Costa Verde & Mar são as regiões turísticas de maior interesse dos viajantes, o que está relacionado à motivação dos turistas em conhecer Santa Catarina. Para 83% dos participantes da pesquisa o motivo da viagem foi lazer/turismo, com especial interesse em atividades envolvendo natureza, ecoturismo e turismo de aventura (42,5%) e sol e praia (41%). Outros segmentos foram citados em menor escala, como turismo rural (8,2%), cultural (4,2%) e de entretenimento/festas (4,1%).

Quanto aos meios de hospedagem, hotéis e pousadas foram indicados como principal opção para 59% do público pesquisado, seguidos por casa de amigos e parentes, com 13%, e imóvel alugado via plataforma Airbnb, 11%.

 

>>> Outros destinos

Dos participantes da Pesquisa de Intenção de Viagens, apenas 6% afirmaram que pretendem trocar Santa Catarina por outro destino. Desse público, 69% pretende viajar para outros estados brasileiros, com destaque para o Rio Grande do Sul (14%), Alagoas e Paraná (ambos com 12%), São Paulo (10%) e Rio de Janeiro (8%).

Outros 31% responderam preferir viagens internacionais, sendo que 38% tem planos  de visitar o território europeu, 21% quer ir aos Estados Unidos e, em terceiro lugar, aparecem empatados Uruguai e Argentina, com 8% das respostas.

 

>>> Quem não viaja

Apenas 4% dos entrevistados manifestaram não ter interesse em viajar diante do contexto da pandemia de Covid-19, motivados principalmente por questões financeiras/instabilidade econômica, falta de tempo e insegurança sanitária. Dentro desse grupo, 49% dos entrevistados responderam que o retorno das viagens está vinculado à plena segurança sanitária, em seguida vem a melhora nas condições financeiras (37%) e, por último, o pleno funcionamento dos serviços ofertados (14%) com o fim das restrições impostas pela pandemia.

>>> Acesse aqui a pesquisa completa www.santur.sc.gov.br/pesquisaintencao2020     

 

spot_img
spot_img