24.6 C
fpolis
quarta-feira, janeiro 19, 2022
cinesytem

Policlínica do Centro de Floripa começa a distribuir remédio preventivo contra HIV

Policlínica do Centro de Floripa começa a distribuir remédio preventivo contra HIV

spot_img

Florianópolis é um dos 12 municípios brasileiros a iniciar a distribuição da chamada Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), medicamento capaz de prevenir a transmissão do vírus HIV – responsável por desenvolver a Aids, doença que enfraquece o sistema imunológico.

A distribuição dos medicamentos começou nesta segunda-feira (22), na Policlínica do Centro. Neste primeiro mês o Município recebeu 2.100 comprimidos que serão suficientes para incluir em torno de 70 pessoas. Para receber o medicamento, a pessoa deve procurar diretamente a policlínica  do Centro, no período da manhã, 8h às 12h, ou então solicitar agendamento pelo e-mail prepsusfloripa@gmail.com.

Para a retirada do medicamento a pessoa necessita obrigatoriamente passar por uma consulta no SUS, ou seja, não será entregue o medicamento se a pessoas buscá-lo com uma receita de outro atendimento (público ou privado). O médico da família, que é um dos coordenadores do programa em Florianópolis, Ronaldo Zonta, explica que, conforme a demanda e a capacidade da rede do município, o acesso poderá ser ampliado para mais pessoas.

É importante que antes de agendar a consulta a pessoa saiba se preenche critérios de elegibilidade para começar a usar o medicamentos: 
 
Nessa etapa de sua implementação no SUS a PrEP está disponível para algumas pessoas que sejam moradoras de Florianópolis e façam parte de um dos seguintes segmentos populacionais:
 
• Gays/outros homens que fazem sexo com homens (HSH)
• Pessoas trans (mulher transexual, homem transexual, transgêneros, travesti ou outras pessoas com gênero não binário)
• Profissionais do sexo (troca de sexo por dinheiro, alimentação, presentes, moradia, drogas)
• Parceria heterossexual ou homossexual de pessoa infectada pelo HIV (casais sorodiferentes)
 
Além de ser moradora de Florianópolis e fazer parte de um dos seguintes segmentos populacionais acima a pessoa deve ter/referir uma ou mais das seguintes situações nos últimos 6 meses:
 
• Relações sexuais anais (receptivas ou insertivas) ou vaginais, sem preservativos
• Episódios recorrentes de IST (auto-relatados ou confirmados)
• Uso repetido (3 vezes ou de acordo com julgamento clínico) de Profilaxia Pós-Exposição (PEP) para HIV
• Relações sexuais anais (receptivas ou insertivas) ou vaginais, sem preservativos, com pessoa infectada pelo HIV.

As informações são da Prefeitura da Capital. 

 

 

spot_img
spot_img