22.1 C
fpolis
quinta-feira, janeiro 27, 2022

Primeiro encontro dos governadores da América-Latina encerra na quarta-feira

Primeiro encontro dos governadores da América-Latina encerra na quarta-feira

spot_img

Florianópolis (10/3/2009) – A primeira Reunião de Rede de Governos Subnacionais para o Desenvolvimento dos Territórios Rurais da América Latina termina na quarta-feira (11). A programação para amanhã conta com um intercâmbio de experiências bem sucedidas em Santa Catarina, tratando do setor de agricultura familiar. O objetivo é apresentar aos governadores a produção de agricultura orgânica no município de Santa Rosa de Lima, no Sul do Estado.

O primeiro dia do encontro ocorreu durante toda esta terça-feira (10). Durante a manhã, foram ministradas duas palestras: “A volta do território neoliberal, globalização e crise”, apresentada por Sergio Boisier, que abordou as dificuldades dos territórios rurais em se desenvolverem com o sistema centralizado, adotado na maior parte da América Latina; e a “A experiência espanhola de descentralização do desenvolvimento rural: lições para América Latina”, apresentada por José María Caballero, que relatou que, mesmo implantado o sistema de descentralização administrativa, na Espanha os territórios rurais ainda necessitam mais autonomia.

O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique, abriu a primeira tarde do encontro com uma palestra sobre o modelo de descentralização administrativa adotado no Estado. A mesa de trabalho sobre “Descentralização das funções e transferências de atribuições dos governos subnacionais e alianças com governos locais para o desenvolvimento rural territorial” deu continuidade ao encontro.

A reunião com propostas para o próximo evento encerrou os trabalhos do dia. “Todos as discussões realizadas hoje e amanhã fazem parte de uma política de inclusão, que visa diminuir as diferenças sociais”, resumiu o diretor da Secretaria de Estado do Planejamento, Túlio Tavares.

Para o intendente de Canelones, Uruguai, Marcos Carámbula, o primeiro dia do encontro foi proveitoso. “Esperamos que este seja começo de um novo avanço democrático para os países da América Latina”, disse.

spot_img
spot_img