25.2 C
fpolis
sábado, janeiro 22, 2022
cinesytem

Regata Cidade de Florianópolis comemorou aniversário do município

Regata Cidade de Florianópolis comemorou aniversário do município

spot_img

Regata voltou a ser realizada após 34 anos da última ediçãoRápida e bastante técnica, a Regata Cidade de Florianópolis levou perto de 130 velejadores para a raia da Baía Norte nesta terça-feira, 23 de março. Mais do que competir em um dia de vento norte de 7 nós (12,6 km/h), as 21 tripulações foram para a água comemorar os 284 anos do município e dar de presente à cidade o belíssimo espetáculo, que ficou ainda mais bonito com o colorido das velas balão, erguidas aos olhos do público, nas proximidades do trapiche da Avenida Beira-mar Norte.

“É uma emoção muito grande participar de novo dessa competição. Sou manezinho (termo que se refere ao nativo da Ilha de Santa Catarina), amo demais a minha cidade e fico muito feliz em ajudar a dar outra vez este presente ao município”, fala o velejador Edmar Nunes Pires, que em 1976 venceu a regata na classe Snipe e que hoje, aos 63 anos de idade, terminou em quarto lugar na BRA-RGS B, ficando fora do pódio por apenas 3 segundos de diferença em relação ao terceiro colocado, o Nemo, de Mauro Ribeiro. Zephyrus, de Tarcísio Mattos, terminou em segundo, com o Bom Abrigo, comandado por Fábio do Lago, em primeiro.

Os tripulantes do Maskote, de Kriz Sanz, juntaram-se aos do Bruxo, de Luiz Carlos Schaefer, e o grupo venceu a regata na BRA-RGS A, com Revanche, de Celso Faria em segundo, e Mandinga, de Rogério Capella, em terceiro: “Tivemos problemas no barco, fizemos uma regata de recuperação e ainda assim nos demos bem”, comemora Capella.

Na BRA-RGS C, vitória do Tigre II, de Alberto Santoro, que mais uma vez contou com o reforço do pequeno Mark Fransen na tripulação. O menino fez parte da homenagem à cidade e ganhou a vitória de presente nesse dia em que completou 11 anos de idade. Neon II, de Maurity Borges, foi o vice, com o Ilusões, de Marcos Contreras, em terceiro.

A tripulação do primeiro veleiro a cruzar a linha de chegada, o Catuana, também foi obrigada a fazer uma regata de recuperação: “O leme quebrou bem na hora da largada e perdemos o controle. Ainda bem que a perícia dos velejadores dos barcos próximos ao nosso foi grande; eles foram desviando e não aconteceu nenhum incidente”, conta o timoneiro Leonardo Back, que, apesar de ter largado às 12h40 e cruzado a linha de chegada na frente de todos, às 13h46, portanto após uma hora e seis minutos de regata, terminou a competição em terceiro lugar no tempo corrigido da ORC Internacional.

Zeus, timoneado por Felipe Linhares, ficou em segundo, e o Força 12 venceu na ORCi: “Foi a primeira competição em família desde o Circuito Oceânico do ano passado e acabou dando tudo certo”, comemora Alex Juk, filho do comandante Arno e irmão de Larissa, velejadora da equipe permanente de vela olímpica brasileira na classe Match Race.

O Iate Clube de Santa Catarina – Veleiros da Ilha (ICSC) organizou o evento, a convite da Prefeitura. Os três primeiros colocados de cada classe levaram para casa prêmios de R$ 625, R$ 375 e R$ 250 e ainda três reproduções de diferentes “Vista do Desterro”, obras de um dos mais importantes artistas plásticos do período imperial brasileiro, Victor Meirelles, nascido em 1832 na antiga Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis.

“É um momento histórico para nossa cidade, já que há 34 anos a regata não acontecia; agora esperamos que ela permaneça no calendário. Vivemos em uma ilha, onde nossa convivência com o mar é diária e permanente. Temos que incentivar eventos como esse”, reconhece o prefeito Dário Berger, que assistiu parte da regata e que esteve, no fim da tarde, na sede central do ICSC para a cerimônia de premiação. Na oportunidade, assinou duas ordens de serviço: para início das obras do novo trapiche municipal da Avenida Beira-mar Norte e do Elevado Rita Maria.

Coube ao vice-prefeito João Batista Nunes dar a largada para a competição: “É um evento maravilhoso, porque estamos aproveitando nosso maior patrimônio, que é a natureza e o mar”. O Superintendente geral da Fundação Municipal de Esportes, Édio Manoel Pereira, disse que Florianópolis sempre teve e continua tendo excelentes velejadores: “Não poderia deixar de haver um evento como esse no calendário das comemorações, e o Iate Clube Veleiros da Ilha dá suporte, tanto técnico como histórico, para que ele aconteça”.

A Regata Cidade de Florianópolis contou com patrocínios do Banco Santander e da Clínica Jane. Recebeu apoios da Schaefer Yachts e Videolocadora Sofá e Pipoca.

Confira os primeiros colocados:

ORC Internacional:
1º- Força 12
2º – Zeus
3º- Catuana

BRA-RGS A
1º- Bruxo
2º- Revanche
3º – Mandinga

BRA-RGS B
1º- Bom Abrigo
2º- Zephyrus
3º – Nemo

BRA-RGS C
1º- Tigre II
2º- Neon II
3º – Ilusões

spot_img
spot_img