16.9 C
fpolis
domingo, setembro 26, 2021
cinesytem

Secretaria da Saúde de Santa Catarina lança relatório anual de 2014

spot_img

Secretaria da Saúde de Santa Catarina lança relatório anual de 2014

spot_img

A Secretaria de Estado da Saúde  lançou nesta terça-feira, 16, o Relatório Anual 2014 (acesse aqui). O documento registra as ações realizadas ao longo do ano – ações continuadas e também novas práticas. A Atenção Básica, o Mutirão de Cirurgias Eletivas, o sistema de classificação de risco catarinense e os investimentos nos hospitais próprios e conveniados são alguns dos temas abordados na revista. Assim como os atendimentos feitos à população, os novos serviços implantados na rede hospitalar e os indicadores de transplantes, mortalidade infantil e longevidade dos catarinenses. As informações são da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado. 

A Secretaria de Estado da Saúde registra 80 mil catarinenses atendidos pelo mutirão de cirurgias eletivas. A atenção Básica  fecha 2014 com investimentos da ordem de R$ 50,4 milhões no Estado. Ao todo, 3,6 milhões de exames foram realizados em SC desde a implantação da Telemedicina.

Nos primeiros dias do ano as portas do Hospital Florianópolis foram reabertas. Um novo hospital foi entregue a 700 mil pessoas que vivem na área de abrangência da unidade hospitalar. Em seguida, o governador sancionou as leis do Plano de Gestão da Saúde. Significou um grande crescimento no número de cirurgias e atendimentos feitos nos hospitais públicos estaduais, minimizando, assim, a fila de espera; representou também ajuda aos municípios, que passaram a receber recursos do Estado para realizar consultas e exames de média complexidade; e, por fim, possibilitou a implantação das Centrais de Regulação de Internação.

Teve também o início dos Pregões Eletrônicos para as compras da Secretaria de Estado da Saúde. Trouxe agilidade e redução de custos. A implantação do Protocolo de Classificação de Risco foi um trabalho sobre o qual vários profissionais da Saúde estadual debruçaram-se por mais de seis meses, para tornar o atendimento nos hospitais mais justo e humanizado.

spot_img
spot_img

Leia mais