19.6 C
fpolis
terça-feira, setembro 21, 2021
cinesytem

Segurança privada levada a sério

spot_img

Segurança privada levada a sério

Há tempos se fala da necessidade de SEGURANÇA em todas as partes do mundo. Seja ela residencial, patrimonial, pessoal, armada ou não. A questão é deixar claro que estes serviços só podem ser realizados por empresas autorizadas pela Polícia Federal e tem como objetivo primordial zelar pelo bem e pelas pessoas onde prestam serviços.

Mas infelizmente temos acompanhado na mídia, casos de abusos e excessos realizados por parte de alguns “ditos” seguranças autônomos ou clandestinos que são contratados por empresas, casas noturnas, estabelecimentos comercias e ou residências para realizar um trabalho que é extremamente especializado e regulamentado por Lei.

Estes vigilantes trabalham individualmente ou mesmo são funcionários de empresas clandestinas, ou seja, que também não possuem autorização para vender e exercer serviços de segurança privada.

O Sindesp – Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado de Santa Catarina – vem alertando a população sobre a importância de, na hora de contratar um serviço de segurança, que seja de uma empresa cadastrada e autorizada a prestar esse tipo de ofício.

As empresas clandestinas que não possuem autorização da Polícia Federal para prestar os serviços de segurança privada contratam pessoas sem nenhum critério de recrutamento e seleção, não se preocupando em checar a origem do indivíduo, seus antecedentes criminais e sem exigir o Curso de Formação de Vigilantes e a Carteira Nacional de Vigilante exigida por lei.

Ao contratar o serviço de uma empresa clandestina, o cidadão corre o risco de transformar o sonho de uma vida segura e tranqüila em um pesadelo. Pois terá que responder civil, penal e criminalmente por qualquer evento e ou sinistro que ocorrer dentro de seu perímetro privado.

“Há pouco tempo tomamos conhecimento da reportagem sobre o flagrante onde vários seguranças clandestinos agrediam passageiros de uma estação de trem no Rio de Janeiro, outra sobre um advogado que foi torturado numa casa noturna em Joinville e muitos casos por ai a fora que nos chocam e denigrem a imagem de um importante segmento que gera mais de 20 mil empregos diretos com carteira registrada, benefícios, seguro de vida e que cria oportunidade de carreira a muitos profissionais no estado.” Fala o Presidente do Sindesp/SC – Sr. Enio Back.

Mas é importante ressaltar que o contratante tem uma grande parcela de culpa nestes episódios, pois destinam este importante serviço a pessoas e ou empresas que trabalham inteiramente na informalidade perante o órgão regulador e fiscalizador da profissão.

É importante lembrar que multas estão previstas e são aplicadas as empresas ou pessoas que contratam mão de obra clandestina, seja através de fiscalização ou mesmo na denúncia ou evento ocorrido como nas reportagens que vieram a público.

As empresas de segurança privada autorizadas, que tem por obrigação realizar treinamento e capacitação de seus vigilantes oferecem estes serviços com o mesmo critério e responsabilidade que fazem segurança patrimonial.

“Estamos preocupados em manter a sociedade informada sobre a legitimidade de nossos serviços e empresas que trabalham de acordo com a LEI VIGENTE e por esta razão o Sindicato das Empresas de Segurança Privada de Santa Catarina editou uma Cartilha onde explica todos os trâmites para uma contratação segura e transparente.” Diz Enio.

Para obter a cartilha ou mesmo saber quem são as empresas autorizadas no estado basta ligar para o SINDESP/SC, que está localizado em Florianópolis, através do telefone (48) 3223.1678 ou diretamente na Polícia Federal de sua localidade.

spot_img
spot_img

Leia mais