18.7 C
fpolis
terça-feira, julho 5, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Vitória catarinense no Oakley Santa Catarina Surf Pro

Vitória catarinense no Oakley Santa Catarina Surf Pro

spot_imgspot_img

Tomas Hermes, campeão do Oakley Santa Catarina Surf Pro, penúltima etapa do Circuito Catarinense encerrada neste domingo na Praia do Santinho, Florianópolis (SC).
Dois lindos dias de céu claro e boas ondas de 1 metro de altura para marcar a volta da Praia do Santinho ao Circuito Profissional da Federação Catarinense de Surf (FECASURF). A última vez tinha sido em 2004 numa prova vencida por Guilherme Ferreira e ele estava de novo na final.

Mas, depois de bater os recordes do Oakley Santa Catarina Surf Pro nas semifinais, Tomas Hermes festejou sua primeira vitória estadual na decisão do título da penúltima etapa em Florianópolis. O jovem paulista Miguel Pupo, 16 anos, quase derrotou os três catarinenses, deixando os mais experientes Fábio Carvalho em terceiro lugar e Guilherme Ferreira em quarto no campeonato iniciado com 96 competidores de vários estados do país.

“Estou muito feliz por ter conseguido fazer uma boa apresentação nesse evento, estava treinando bastante pra isso, eu queria muito a vitória e fui naquela de querer é poder e consegui”, contou Tomas Hermes, 21 anos, que está na briga pelas últimas vagas para o SuperSurf no ranking do Brasil Tour, divisão de acesso do Circuito Brasileiro que também registra os resultados estaduais. No Oakley Santa Catarina Surf Pro, a vitória valeu 500 pontos e ele estava em 24.o lugar neste ranking que está garantindo até o 20.o colocado. Mas, ele já assumiu a frente na corrida pela vaga da FECASURF para a elite com a vitória no Santinho.

“Foi meu primeiro título e eu queria muito ganhar uma etapa do Catarinense, não só pelo Circuito, mas também para poder aumentar minha pontuação no Brasil Tour. Tem outras etapas rolando também neste final de semana em outros estados (Rio de Janeiro e Ceará), mas fiz minha parte aqui e tenho ainda a última etapa em Imbituba para tentar confirmar meu ingresso no SuperSurf”, disse Tomas Hermes, que antes da final fez a melhor apresentação do Oakley Santa Catarina Surf Pro na Praia do Santinho.

Foi na segunda semifinal quando acertou um aéreo incrível para conseguir uma nota 9,87 e totalizar 17,87 pontos no maior placar do campeonato. Só ele bateu as marcas do atual campeão catarinense Marco Polo na primeira bateria do domingo, quando ele superou os recordes do sábado de Beto Mariano com sua nota 9,17 e os 17,50 pontos que somou nas duas melhores ondas. Polo foi barrado numa disputa direta pela liderança do ranking por Gui Ferreira na bateria vencida por Miguel Pupo, que é patrocinado pela Oakley.

“Foi legal, porque vim aqui para fazer uma participação especial, mas vim concentrado porque todo mundo tem vontade de ganhar campeonato”, confessou Miguel, filho de um dos grandes nomes do surfe nacional, Wagner Pupo. “Estou amarradão, vim pra passear e consegui o vice-campeonato, surfei boas ondas nas baterias, procurei fazer meu melhor e fiquei contente por ter conseguido boas apresentações”, falou o vice-campeão do Oakley Santa Catarina Surf Pro, que superou dois catarinenses muito experientes na final.

O imbitubense Fábio Carvalho já passou dos 30 anos e ficou em terceiro lugar, com Guilherme Ferreira, 28 anos, terminando em quarto, mas saindo da Praia do Santinho novamente na liderança do ranking que começou com ele vencendo a etapa de abertura da temporada na Praia Mole. “Fui com a tática de fazer algo diferente pra ganhar, acabou que não deu certo, mas pelo menos arrisquei e pra ganhar tem que ser assim mesmo. Estou feliz, mais uma final, mostra a seriedade do trabalho que venho fazendo e agora vou para a última etapa com uma vantagem para tentar levar o caneco esse ano”, prometeu Gui Ferreira.

O líder do ranking era William Cardoso, que passou para as quartas-de-final e teve que abandonar a etapa porque seu vôo para o Havaí saía às 14 horas de Florianópolis e não às 15 horas como achava no sábado. “É uma pena que eu não tenha conseguido vaga num vôo mais tarde, mas consegui fazer meu melhor nas duas baterias que disputei aqui, queria muito continuar para tentar chegar na final, mas meu outro objetivo é disputar os WQS no Havaí, então quem ganhar aqui vai estar de parabéns”, desejou William, que não vai competir também na última etapa do Circuito Catarinense, dias 13 e 14 de dezembro em Imbituba.

spot_img