19.4 C
fpolis
sexta-feira, junho 21, 2024
Cinesystem

Zeca Baleiro: show completo e inédito em Florianópolis

spot_imgspot_img

Zeca Baleiro: show completo e inédito em Florianópolis

spot_imgspot_img

Numa pausa das apresentações da turnê ‘O Coração do Homem-Bomba’, Zeca Baleiro faz uma retrospectiva de sua carreira nesta apresentação, em que suas canções são valorizadas em arranjos contagiantes. Acompanhado de seu violão, de Tuco Marcondes (guitarras, violões e vocais), Fernando Nunes (baixo) e Kuki Stolarski (bateria e percussão), Baleiro garante boas surpresas ao longo do Acústico Brognoli 2009, dia 20 de junho, no Floripa Music Hall

A quinta edição do Acústico Brognoli vai homenagear a transição da cena musical do nosso Estado. Este ano, a nova música catarinense tornou-se a atração principal do espetáculo: Escrevendo a Cena Musical Catarinense – Nosso Novo Som, é o tema do Acústico Brognoli 2009, que terá no palco bandas como Tijuqueira, Aerocico e Coletivo Operante. O show, cheio de gente da nova geração catarina, acontece no dia 20 de junho, no Floripa Music Hall. O representante da nova MPB, Zeca Baleiro, será a participação especial da noite.

Com 5 discos de ouro (“Por Onde andará Stephen Fry?”, “Vô Imbolá”, “Líricas”, “Perfil” , “Raimundo Fagner e Zeca Baleiro”) , 3 prêmios “Sharp” em 98 (categoria pop-rock: melhor música, melhor disco e revelação), três indicações para o Grammy Latino (“Melhor Álbum Pop”/2000, “Melhor Álbum Pop Contemporâneo”/2003 e 2005), e “Melhor Cantor” eleito pela APCA (98 e 2003), Zeca Baleiro, em onze anos de carreira fonográfica, fez 850 shows que somados ultrapassam a marca de 1 milhão de pessoas que já o assistiram e cerca de 700mil cds e 30.000 DVDs vendidos.

O primeiro CD, “Por Onde Andará Stephen Fry?”, lançado em 97, ganhou impulso após a participação de Zeca no Acústico MTV da conhecida cantora Gal Costa. Compositor talentoso, de personalidade, vozeirão, humor e verve afiados, desde então o artista encanta as platéias onde quer que se apresente, conquistando público de todas as idades.

“Vô Imbolá”, de 99, veio consolidar o nome do cantor. Com figurino marcante, tornou-se o cd mais emblemático de Zeca que sintetiza a proposta de mistura de estilos e a ausência de rótulos pré-definidos.

Em “Líricas”, terceiro cd, Baleiro radicalizou na mudança de sonoridade e na concepção mais sóbria do show. A temporada trouxe ainda como novidade a exibição de videoclipe no cinema, antes das sessões, no Espaço Unibanco de Cinema.

Considerado pela crítica como o seu melhor disco, lançado em 2002, “PetShopMundoCão” utiliza linguagem eletrônica e traz participações de artistas como o soulman Carlos Dafé , o mutante Arnaldo Batista e Elba Ramalho, entre outros.

Em 2003 Baleiro gravou em parceria com o compositor cearense, uma de suas muitas influencias, o cd Raimundo Fagner & Zeca Baleiro (Indie Records). Mostrado em curta temporada por capitais brasileiras, o show foi registrado em DVD pelo Multishow durante temporada no Canecão, Rio de Janeiro.

”Baladas do Asfalto e Outros Blues”, quinto álbum solo, de 2005, traz um Zeca Baleiro maduro e com total domínio de seu ofício, melodias certeiras, arranjos elaborados e poesia em alta voltagem, tudo com leve toque on the road. Depois de passar por várias cidades o show ganhou registro em DVD.

Encerrando cada turnê com o registro dos shows, Zeca soma 5 DVDs no catálogo (fato inédito para um artista com 11 anos de carreira), além do DVD com Fagner: “PetShopMundoCão – A Ópera Infame Ao Vivo” e “Líricas”, gravados no Directv Music Hall, “Vô Imbolá”, primeiro show gravado ao vivo, em 2000, no Memorial da América Latina e lançado em 2005, ‘‘Baladas do Asfalto e Outros Blues’’, gravado no Teatro do Sesc Pinheiros/SP e lançado em 2006.

Com vocação para agregar gente de todas as tribos e gerações, o cantor criou um projeto especial batizado de “Baile do Baleiro”, onde assume integralmente o papel de aglutinador, fazendo a ponte entre tradição e modernidade promovendo encontros memoráveis, com ídolos de outras gerações e apresentando novos talentos. O Baile, apresentado pela primeira vez em 2004, ganhou duas temporadas em SP, no Blen Blen em 2006 e no Carioca Club em 2007,além de passar por várias capitais, onde convidava artistas locais.

Em 2007, comemorou 10 anos de sua chegada ao mercado fonográfico, com uma coletânea, ‘‘Lado Z’’, que reuniu as participações mais interessantes do artista em disco de parceiros como Martinho da Vila, Lobão, Rolando Boldrin, Jards Macalé e outros.

Baleiro reuniu músicas inéditas para o projeto que tem o instigante nome de “O Coração do Homem-Bomba’’, em 2008. O disco foi lançado em dois momentos – o Volume 1 saiu em agosto e o 2 chegou nas lojas em novembro. A produção dos cds é do próprio Baleiro, em parceria com sua banda, “Os Bombásticos”, e o engenheiro de som Evaldo Luna. O artista aproveitou a Internet para divulgar este novo projeto. Ainda em dezembro de 2007 “Toca Raul”, incluída no Volume 1, foi colocada para download gratuito em seu site (www.zecabaleiro.com.br), assim como “Tacape”, “Débora” e “Como diria Odair”, que ficaram disponíveis em setembro, antes do lançamento do Volume 2. Os clipes de “Toca Raul” e “Trova (Aonde Flores)” também foram incluídos no site e podem ser baixados gratuitamente.

O artista tem investido na ferramenta virtual, disponibilizando músicas e vídeos para download em seu site que, além de muito interativo, permite a audição na íntegra de todos os seus discos. Rico em conteúdo, o site foi classificado no voto dos internautas como um dos 3 melhores sites de artistas do UOL – o maior portal de conteúdo do Brasil.

Em 2008, pela primeira vez Baleiro começou a turnê de um novo show com um circuito pelo Norte do país. “O Coração do Homem-Bomba’’ passou por Manaus, Belém, Macapá e Boa Vista para depois estrear no Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Porto Alegre, entre outras. O artista, que sempre escolhe cidades diferentes para suas pré-estréias, já deu o start da tour em São Paulo (1997), São Luís (1999), Belo Horizonte (2000), Santo André (2002) e Fortaleza (2005).

Em apresentações anuais na Europa, Zeca já mostrou seu trabalho na França, Suíça (Festival de Montreux), Espanha, Alemanha, Bélgica, Cabo Verde, Angola, além de temporadas anuais em Portugal, em bem sucedidas apresentações desde o lançamento, pela Som Livre portuguesa (atual i-play), de todos os seus álbuns. Em 2005, apresentou-se na inauguração do Carreau de Temple, espaço do Brasil em Paris, no Ano do Brasil na França.

Em dezembro de 2005 Baleiro lançou o selo SARAVÁ DISCOS, em parceria com sua empresária Rossana Decelso, para reunir suas produções que têm foco na documentação e resgate de obras essenciais. Com distribuição própria, o selo foi inaugurado com o CD póstumo de Sérgio Sampaio, trazendo inéditas do artista capixaba falecido em 94. Além deste, um disco com poemas da escritora paulista Hilda Hilst musicados por Baleiro e interpretados por dez cantoras: Ângela Maria, Ângela Ro Ro, Jussara Silveira, Maria Bethânia, Mônica Salmaso, Ná Ozzetti, Olívia Byington, Rita Ribeiro, Verônica Sabino e Zélia Duncan. Em 2007, colocou mais dois cds no mercado, um relançamento, Antonio Vieira, gravado ao vivo em 2001 e um cd inédito de outro sambista maranhense, Lopes Bogéa, com participação de vários artistas conhecidos nacionalmente como Beth Carvalho, Alcione, Genival Lacerda, entre outros.

Em 2008 a Saravá lançou duas trilhas que Baleiro compôs para espetáculos de dança, “Geraldas e Avencas” e “Cubo” e relançou dois discos: ‘‘Cabelos de Sansão’’ do cearense Tiago Araripe e “Sinceramente’’ de Sérgio Sampaio, ambos de 1982. Em 2009, a Saravá Discos lança o disco do cantor e compositor angolano, Filipe Mukenga.

História do Acústico:

O Acústico Brognoli, evento que vem se configurando como um dos mais importantes para a música de Santa Catarina, nasceu em 2005 em comemoração aos 50 anos de atividades da Brognoli. A idéia era dar um presente para Florianópolis, proporcionando à população um espetáculo cultural e, ao mesmo tempo, abrindo espaço aos artistas da terra – com o objetivo de valorizar a produção musical catarinense.

Já na primeira edição, o Acústico Brognoli ganhou destaque entre as produções artísticas realizadas em Florianópolis por ser um show conceitual. Da concepção à execução, o espetáculo passou por longo processo de planejamento e eleição de um tema, até a produção executiva e artística, como a seleção dos músicos, conceito visual, repertório de canções, cenário, iluminação entre outros. O sucesso do show foi unânime entre o público e, principalmente, entre os músicos.

A excelente repercussão do evento motivou a direção da Brognoli a repetir a dose no ano seguinte. Assim, em 2006 o Acústico Brognoli entrou oficialmente para o calendário anual da empresa e também para o calendário cultural da cidade.

spot_img
spot_img
spot_img

Leia mais

spot_img