19.6 C
fpolis
sábado, novembro 27, 2021
cinesytem

Abertas as inscrições para as oficinas do 6º Festival Múltipla Dança

spot_img

Abertas as inscrições para as oficinas do 6º Festival Múltipla Dança

spot_img

O 6º Festival Múltipla Dança está com inscrições abertas para cinco oficinas que vão ocorrer entre os dias 27 de maio e 2 de junho em diferentes pontos de Florianópolis. ‘’Videodança’’, ‘’Criação do Gesto’’, ‘’Criação e exploração do movimento’’, ‘’Exercício Pratico da Elaboração de Projeto’’ e ‘’Danças africanas: tradição contemporânea e construção de linguagem’’ serão os cursos oferecidos de forma gratuita durante o evento. Interessados devem se inscrever no e-mail multipladanca@gmail.com.

Programação das Oficinas:

27 e 28 de maio: 9h às 13h; 29, 30 e 31 de maio: 8h às 14h; 1 de junho: 9h às 13h; auditório e laboratório de dança B – CDS/UFSC, bloco 5
Videodança – Alexandre Veras e Andrea Bardawil (Fortaleza/CE)
A oficina apresenta possibilidades de experimentação com a linguagem da videodança. Aborda aspectos da construção da imagem e da composição coreográfica em aulas teóricas e práticas. O programa inclui tópicos como as representações do corpo através da imagem, o corpo como lugar de inscrição de imagens; cena, presença e ponto de vista; relações entre dança e imagem em movimento. No percurso serão exibidos e comentados trabalhos de videodança, videoarte, videoperformance, cinema experimental, documentários poéticos, entre outros. Os participantes serão orientados a planejar e realizar seu próprio filme.

27 a 31 de maio, 9h às 13h, Casa das Máquinas
Criação do gesto – Suely Machado (Belo Horizonte/MG)
Técnicas de movimentação da dança contemporânea que trabalham o corpo focando o esqueleto, seu peso, sua capacidade articulatória e sua integração com os sistemas orgânicos e musculares, compõem a abordagem técnica da oficina. Exercícios e jogos que estimulam o ritmo, a concentração, a sensibilização dos órgãos do sentido, a ocupação do espaço e a participação no coletivo. Uma experimentação dinâmica que objetiva trabalhar o indivíduo em sua singularidade, ampliar o domínio e a consciência de seus movimentos, além de instigar possibilidades para improvisação e criação.

2 de junho, 10h às 12h, Teatro Sesc Prainha
Criação e exploração do movimento – Eduardo Severino (Porto Alegre/RS)
Proposta de exploração do movimento através do conhecimento do próprio corpo e o respeito a seus limites, desenvolvida a partir da trajetória profissional do ministrante, incluindo vivências experimentadas em residência artística no Estúdio Nave (SP) e no Estúdio Oito Nova Dança (SP)e, ainda, no projeto Sindicato da Performance (Santiago/Chile).

2 de junho, 14h às 16h – Teatro Sesc Prainha
Exercício prático de elaboração de projetos – Luka Ibarra (Porto Alegre/RS)
A inscrição de projetos em um processo seletivo não implica apenas em se ter uma ideia para um espetáculo ou produção artística. A oficina oferece atividades práticas para favorecer a escrita de um material conciso, com maior potencial de realização e coerência com o edital a que se aplica.

30 de maio, 20h às 22h, Casa das Máquinas
Danças africanas: tradição contemporânea e construção de linguagem – Simone Fortes (Florianópolis/SC)
Conhecimento das danças cotidianas da Guiné como matriz na construção de intermediações coletivas. A oficina é acompanhada de percussão, numa simbiose destas corporeidades.

Breve currículo dos ministrantes

Alexandre Veras foi diretor do Alpendre – Casa de Arte, Pesquisa e Produção onde coordenou o Núcleo de Vídeo e projetos de formação na área de audiovisual, onde realizou intervenções com artistas de todo o país. Trabalha com vídeo desde 1989 onde tem desenvolvido intensa atividade como professor em oficinas de videoarte, documentário, videodança, história e teoria do filme experimental. Colabora em projetos de vídeo e videoinstalações com inúmeros artistas.

Andréa Bardawil é coreógrafa, diretora da Cia. da Arte Andanças e uma das fundadoras do Alpendre – Casa de Arte, Pesquisa e Produção. Foi curadora e coordenadora pedagógica da Bienal Internacional de Dança do Ceará e coordenadora do curso técnico em dança, realizado numa parceria entre Senac, Secult e IACC (Instituto de Arte e Cultura do Ceará) entre 2007 e 2012. Em 2009, foi uma das selecionadas pelo Rumos Itaú Cultural Dança – 2009/2010, ao lado de Graça Martins, com o projeto Graça.

Suely Machado é bailarina e coreógrafa formada em dança moderna, graduada em psicologia (PUC/MG), com especialização em coreoterapia e psicomotricidade e curso de extensão em pedagogia do movimento para o ensino da dança (Escola de Belas Artes/UFMG). Fundadora e diretora do Grupo de Dança 1º Ato e do 1º Ato Centro de Dança desde 1982. É presidente da Unidança (Associação Mineira de Dança Artística e Acadêmica) desde 1996. Integrou o conselho artístico do Festival de Dança de Joinville.

Eduardo Severino é bailarino e coreógrafo. Foi agraciado com uma bolsa de estudos pela Fundação Vitae para participar como coreógrafo residente convidado do American Dance Festival (USA). Mostrou seu repertório de nove espetáculos em países como Estados Unidos, Argentina, Uruguai, Paraguai, Alemanha, Bélgica, Chile e Espanha.

Luka Ibarra é historiadora, mestre em relações internacionais (PUC/RS), trabalha com produção desde 2001. Em 2012, com Eva Schul e a Ânima Companhia de Dança, produziu o espetáculo Vestido como Parece, que compôs a 19° Porto Alegre Em Cena. Produziu a Mostra de Solos e Duos do Festival Internacional de Dança Outras Danças, da Funarte e, em 2013, como vencedora do Funarte Prêmio Klauss Vianna de 2012, produz a Eduardo Severino Cia de Dança. É diretora do Teatro Municipal de São Leopoldo (RS).

Simone Fortes é diretora, coreógrafa e bailarina do Grupo Abayomi, o qual realiza pesquisa em dança e música de matriz africana e afro-brasileira, em especial a cultura Manding, presente na Guiné, Burkina Faso, Senegal e outros países do oeste-africano. O grupo objetiva desenvolver conhecimento sobre a cultura e artes africanas. Para isso, oferece aulas semanais e promove a vinda de africanos para a cidade (Fanta Konate, Modou Diatta, Diarra Conde, Djanko Camara), proporcionando também viagem de estudos dos integrantes à África.

Sobre o Festival
O 6º Festival Múltipla Dança ocorrerá em seis locais diferentes da cidade, onde será possível apreciar dez espetáculos, sendo um infantil e dois apresentados na rua. Além disso, com 26 convidados, a ampla programação oferece cinco oficinas, duas conferências, uma residência com convidado internacional, uma mostra de vídeo, três diálogos (encontros para debates), um ensaio aberto e uma jam session.

spot_img
spot_img