23.2 C
fpolis
segunda-feira, setembro 27, 2021
cinesytem

Confirmada a permanência de Sergio Gargioni como presidente da Fapesc

spot_img

Confirmada a permanência de Sergio Gargioni como presidente da Fapesc

spot_img

O governador Raimundo Colombo anunciou nesta teraça-feira, 23, que Sergio Luiz Gargioni continua na presidência da Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina).

Durante a primeira gestão de Gargioni, a Fapesc ofereceu bolsas para realização de estágio pós-doutoral em empresas, outra iniciativa inédita. E o programa Sinapse da Inovação, realizado pela CERTI com recursos da Fapesc, passou a servir de modelo para o Estado do Amazonas.

Currículo resumido

Sergio Gargioni é engenheiro mecânico, formado pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), tem Mestrado em Engenharia Mecânica, na University of Illinois, Estados Unidos) e MBA Executivo, na área de Administração de Negócios, no Instituto IMD Lausanne, Suíça. Fez vários outros cursos em instituições como a Fundação Getúlio Vargas, Fundação Don Cabral e o INSEAD Fontainebleau, França. Além de presidir a FAPESC e o CONFAP, dá aulas no Departamento de Engenharia Mecânica da UFSC e participa de missões internacionais, como as realizadas ao Reino Unido, à Finlândia e Bélgica em 2014.

No governo federal foi Superintendente de Desenvolvimento Industrial e Infraestrutura e Secretário de Órgãos Colegiados e do CNPq , dedicando-se principalmente à implementação do Plano Básico de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia nas áreas de Energia, Tecnologia Mineral, Informática, Química, Bens de Capital, Bens de Consumo e outros segmentos; montagem do sistema de coordenação das agências nacionais de fomento de C&T.

Como Secretário Executivo do Conselho Nacional da Pós-Graduação na CAPES/Ministério da Educação e Cultura, participou da elaboração do segundo Plano Nacional da Pós-Graduação e do processo de credenciamento de cursos. Foi Vice-Diretor e Gerente de Equipamentos PREMESU/MEC, a convite do Prof. Caspar Erich Stermmer. Como ele, também foi Professor de Engenharia Mecânica na Universidade de Brasília.

No governo estadual, foi Secretário Adjunto de Tecnologia, Energia e Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina. Exerceu as funções de Assessor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado de Santa Catarina, viabilizando novos investimentos empresariais e de Engenheiro do BESC (Banco do Estado de Santa Catarina), cuidando da análise de projetos de financiamento de indústrias.

No Sistema FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), foi Diretor Superintendente do Instituto Evaldo Lodi e Superintendente do Sesi (Serviço Social da Indústria).
 

spot_img
spot_img

Leia mais