Corte de verbas federais para a duplicação da BR 470 é um duro golpe para o desenvolvimento de SC

119

Anualmente são cerca de 100 mortes na rodovia

            Não bastasse a demora para a duplicação da BR 470, em Santa Catarina, o governo federal publicou a Portaria 13.959 no último dia 29 de novembro, sem muito alarde, retirando R$ 40 milhões do orçamento para a infraestrutura do estado. Entre esse valor, o repasse de R$ 25 milhões para as obras na rodovia. “É absurdo o tratamento que recebemos da União. Além das cerca de 100 mortes anuais, o atraso nos serviços representa um gargalo enorme para nosso crescimento”, avalia Emilio Schramm, presidente do Sindilojas Blumenau e vice-presidente da Fecomércio/SC.

            Realizado ainda em junho deste ano e apresentado a lideranças empresariais, um estudo da Fecomércio/SC revelou que municípios do entorno da rodovia crescem menos que em demais regiões, possuem maior taxa de desemprego e sentem mais os efeitos da crise, em comparação com aqueles ao longo da BR 101, por exemplo. “A medida é um freio para o desenvolvimento do Vale do Itajaí”, indigna-se Schramm.