18.7 C
fpolis
sábado, outubro 23, 2021
cinesytem

Dalmo Vieira Filho depõe na CPI dos Radares

spot_img

Dalmo Vieira Filho depõe na CPI dos Radares

spot_img

A CPI dos Radares ouviu nesta quinta-feira, 14, Dalmo Vieira Filho, que foi secretário Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (SMDU) de janeiro de 2013 a março de 2015, e superintendente do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) no ano de 2013. As informações foram repassadas ao DeOlhoNaIlha pela Assessoria de Imprensa da Câmara. 

No depoimento Dalmo afirmou que ao assumir os órgãos identificou vários problemas em Florianópolis, principalmente em relação à mobilidade. Uma das deficiências mais urgentes era a questão dos radares que estava paralisada devido a não realização de licitação para operar o sistema, o que gerou inúmeros acidentes graves na cidade.

Para solucionar o problema, Dalmo afirma ter buscado quatro ações emergenciais: aperfeiçoar a sinalização que também estava crítica, reforçar a segurança (com pintura de novas faixas de pedestres, instalação de lombadas, especialmente próximas a escolas e reimplantação dos radares), ampliar as ciclovias e, por último, pensar uma solução para atenuar o problema de mobilidade.

“Com relação aos radares encontramos um processo que já vinha da gestão anterior, com conflitos judiciais. Esse assunto era tratado na Diretoria de Operações que tinha como diretor o Adriano Melo. Até onde acompanhei a equipe sempre respeitava o parecer jurídico da Controladoria do IPUF”, destacou Dalmo Vieira Filho.

Quando questionado sobre o comportamento de Adriano Melo, que chegou a ser preso pela Polícia Federal na Operação Ave de Rapina, o ex-secretário respondeu que o funcionário era presente e atendia as demandas de maneira satisfatória.

Retornando os questionamentos sobre os contratos com as empresas responsáveis pelos sistemas de radares, sinalização e semáforos, Dalmo explicou que os contratos começaram a ficar prontos no segundo semestre de 2013. “Todos os contratos que assinei tinham parecer jurídico dado pelo controlador do IPUF. Era um consenso de toda a sociedade que estes contratos eram urgentes”.

Em setembro de 2014, durante abordagem da Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Sul que resultou na apreensão de dois agentes públicos da Prefeitura de Florianópolis com cerca de R$100 mil e aditivo para a empresa Kopp, foi encontrado também um documento com a assinatura de Dalmo Vieira Filho que neste período não estava mais a frente do IPUF. 

Para o presidente da CPI dos Radares, vereador Vanderlei Farias (PDT), ficou claro que o documento foi usado sem o consentimento do ex-superintendente. 

Ainda de acordo com o presidente, nas próximas semanas a CPI deve apresentar um relatório parcial e entra, então, em uma nova fase de apuração em que inúmeras outras pessoas devem ser ouvidas. 

 

spot_img
spot_img