12.4 C
fpolis
sábado, maio 21, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Dois clássicos do cinema brasileiro: "A Guerra dos Pelados" e "Lance Maior" serão lançados em Florian

spot_img

Dois clássicos do cinema brasileiro: "A Guerra dos Pelados" e "Lance Maior" serão lançados em Florian

spot_imgspot_img

Com o desfrutável título de “o cineasta brasileiro com mais roteiros publicados” (com este são dez volumes), Annablume Editora (SP) e Editora Imago (RJ), respectivamente, têm a honra de anunciar o lançamento dos roteiros dos longas-metragens, “A Guerra dos Pelados” (1971) e “Lance Maior” (1968), ambos de Sylvio Back, no próximo dia 16 de dezembro, às 19h30, na Livros & Livros (Rua Jerônimo Coelho, 215, Centro, Florianópolis), com a presença do autor.

A edição de “A Guerra dos Pelados” (capa, Carlos Clémen, 182 pág. R$ 30), além de fotos de cena coloridas e poema assinados pelo cineasta e crítico paulista, Jairo Ferreira (1945-2003), vem recheada com três ensaios debatendo a modernidade do filme, escritos, respectivamente, por Cecília Almeida Salles, da PUC/SP (“Da Guerra do Contestado à “A Guerra dos Pelados”), Márcia Motta, da Universidade Federal Fluminense (“Das imagens que antecipam a compreensão”) e Júlio Cabrera, da Universidade de Brasília (“Recordando sem ira”). Completam os “extras” do livro, dois ensaios e o conto, “Tio Coito”, de autoria do próprio Back.

“A Guerra dos Pelados”, filmado em 1970 e lançado nacionalmente um ano depois (e hoje disponível em DVD na “Cinemateca Sylvio Back”, Versátil, São Paulo), permanece o único longa-metragem a ficcionar no cinema episódios da ciclópica, mas sempre esquecida, quando não omitida e menosprezada pela academia, Guerra do Contestado. Um violento conflito de fronteiras e interesses políticos, eclosão messiânica e demanda bélica pela posse da terra, que ensangüentou o interior de Santa Catarina e do Paraná entre 1912 e 1916. Para Back, o Contestado é o movimento social mais soterrado do inconsciente coletivo nacional da luta do homem do campo no século XX.

LANCE MAIOR

A publicação do roteiro de “Lance Maior” (186 pág. R$ 30) coincide com os quarenta anos do lançamento nacional do filme que, no recente Festival de Brasília, foi alvo de homenagens, inclusive, sendo exibido na noite de encerramento do certame.

Foi no Festival de Brasília de 1968 que o longa-metragem ganhou seus dois primeiros prêmios, o de “melhor atriz” (Irene Stefânia) e o de “melhor cartaz”, feito pelo arquiteto e designer catarinense, Manoel Coelho, hoje radicado em Curitiba, autor, também, da capa deste edição comemorativa do roteiro.

O livro contém ensaio de Rosane Kaminski, da UPPR, sobre o filme, ela que este ano doutorou-se na USP com a tese, “Poética da angústia: história e ficção no cinema de Sylvio Back”, e dois textos de Back, um deles sobre roteiro e outro biografando o fotógrafo do filme, Hélio Silva (“Uma doce luz brasileira”), igualmente responsável pelas fotos de cena, a maioria reproduzida num caderno especial.

Adiante reprodução da orelha do roteiro de “Lance Maior”, assinado pelo editor da Imago, Eduardo Salomão.

“Geralmente, roteiro vem a lume depois de filmado. Um texto, muitas vezes cifrado com termos da carpintaria da filmagem, mas onde ocorre uma recaptura de seu berço literário, acabando por desvelar (ou esconder!) a transmutação dele para outro código. É quando então nos damos conta de estar lendo e lidando com suportes estéticos absolutamente independentes, melhor, interdependentes”.

Cinema é visibilidade, literatura, invisibilidade, nas palavras de Sylvio Back, o autor, com Oscar Milton Volpini e Nelson Padrella, deste volume com o argumento/roteiro completo de “Lance Maior” (1968), recheado de alguns inusitados “extras”, para usar o jargão do DVD. Inclusive, com um caderno de sensíveis imagens em preto-e-branco clicadas pelo fotógrafo do filme, Hélio Silva, uma homenagem póstuma a um mestre da fotografia de cinema do país.

Já é público e notório que a estante de roteiros no Brasil é rarefeita, aliás, na contramão do que ocorre na Europa, nos Estados Unidos e no Japão, por exemplo. Back, ele próprio, diretor de “Lance Maior”, é um campeão de títulos publicados. Entre livretos e livros de curtas e médias-metragens, como de dez longas, sua biblioteca ascende a mais de uma dezena. E a Imago, orgulhosamente, alinha-se entre seus editores, tendo assinado nos dois últimos anos os roteiros de “Aleluia, Gretchen” e de “Lost Zweig” (este, bilíngüe, português/inglês), ambos auspiciosamente recepcionados pelo público e pela mídia.

Publicando agora o roteiro de “Lance Maior”, longa-metragem rodado em Curitiba (PR) no emblemático 68 e, ao longo dos seus quarenta anos de sobrevida, transformado em filme cult do nosso cinema, estamos conscientes da relevância de disponibilizar aos nossos fiéis leitores mais esta criação da obra de Back, um dos mais premiados cineastas brasileiros.”

Sobre o autor

Sylvio Back é cineasta, poeta, roteirista e escritor. Filho de imigrantes, pai húngaro e mãe alemã, é natural de Blumenau (SC). Ex-jornalista e crítico de cinema, autodidata, iniciou-se na direção cinematográfica em 1962, tendo escrito, dirigido e produzido até hoje 36 filmes, entre curtas, médias e dez longas-metragens, esses, a saber: “Lance Maior” (1968), “A Guerra dos Pelados” (1971), “Aleluia, Gretchen” (1976), “Revolução de 30” (1980), “República Guarani” (1982), “Guerra do Brasil” (1987), “Rádio Auriverde” (1991), “Yndio do Brasil” (1995), “Cruz e Sousa – O Poeta do Desterro”
(1999) e “Lost Zweig” (2003).

Publicou vinte livros entre poesia, ensaios e os roteiros dos filmes, “Lance Maior”, “Aleluia, Gretchen”, “República Guarani”, “Sete Quedas”, “Vida e Sangue de Polaco”, “O Auto-Retrato de Bakun”, “Guerra do Brasil”, “Rádio Auriverde”, “Yndio do Brasil”, “Zweig: A Morte em Cena”, “Cruz e Sousa – O Poeta do Desterro” (tetralíngüe), “Lost Zweig” (bilíngüe) e “A Guerra dos Pelados”.

Obra poética: “O caderno erótico de Sylvio Back” (Tipografia do Fundo de Ouro Preto, Minas Gerais, 1986); “Moedas de Luz” (Max Limonad, São Paulo, 1988); “A Vinha do Desejo” (Geração Editorial, SP, 1994); “Yndio do Brasil” (Poemas de Filme) (Nonada, MG, 1995); “boudoir” (7Letras, Rio de Janeiro, 1999); “Eurus” (7Letras, RJ, 2004); “Traduzir é poetar às avessas” (Langston Hughes traduzido) (Memorial da América Latina, SP, 2005), “Eurus” bilíngüe (português-inglês) (Ibis Libris, RJ, 2006); “kinopoems” (@-book) (Cronópios Pocket Books, SP, 2006); e “As mulheres gozam pelo ouvido” (Editora Demônio Negro, SP, 2007).

SERVIÇO:

O QUÊ: Lançamento dos roteiros dos longas-metragens, “A Guerra dos Pelados” (1971) e “Lance Maior” (1968), ambos de Sylvio Back, com a presença do autor.
QUANDO: Dia 16 de dezembro de 2008, terça-feira, às 19h30.
ONDE: Livros & Livros (Rua Jerônimo Coelho, 215), Centro, Florianópolis-SC
QUANTO: Evento aberto ao público
CONTATO: Livraria (48) 3028-6244

A atividade conta com o apoio da Secretaria de Cultura e Arte (Secarte) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Por [CW] DAC: SECARTE: UFSC, em Apoio de Divulgação.

spot_img