17.6 C
fpolis
quinta-feira, maio 19, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

ERRO Grupo apresenta Crime em Desvio no centro de Florianópolis

spot_img

ERRO Grupo apresenta Crime em Desvio no centro de Florianópolis

spot_imgspot_img

O ERRO Grupo volta às ruas do centro de Florianópolis com seis apresentações do instigante espetáculo-crime Desvio a partir do dia 15/06. A obra, que faz parte do projeto Manutenção do ERRO, patrocinado pela Petrobras, será apresentada nos dias 15, 17, 20, 21, 27 e 29 de junho, sempre às 20h, com saída do Bar Terminal Urbano. As apresentações são gratuitas e serão transferidas em caso de chuva.

A concepção e a direção geral são de Pedro Bennaton, professor do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (CEART/UDESC). Luana Raiter, egressa de Artes Cênicas da mesma instituição, responde pela direção de arte, dramaturgia e atuação. Outros artistas que integram o espetáculo, também formados pela instituição, são Luiz Henrique Cudo, Michel Marques, Juarez Nunes, Júlia Amaral e Priscila Zaccaron.

O projeto Manutenção do ERRO foi selecionado pelo Programa Petrobras Cultural e vem sendo desenvolvido com patrocínio da Petrobras desde outubro de 2010, com término em outubro de 2012.

Sobre Desvio
Espetáculo de percurso, Desvio guiará o público pelas entranhas de um assassinato encenado pelas ruas do centro de Florianópolis. O cortejo fúnebre sairá do Bar Terminal Urbano, irá até a Praça XV de Novembro e terminará na Rua Victor Meirelles.

Desvio é um espetáculo de rua que propõe a dúvida entre o real e a ilusão no cenário concreto do centro das cidades. Percurso no qual o público é convidado a experimentar a preparação da representação de um assassinato. Como espetáculo de rua, discute problemáticas deste espaço, re-significa suas estruturas físicas e simbólicas. A preparação da representação de um assassinato cria um ambiente desconfortável e ao mesmo tempo onírico, onde a experiência da morte sempre anunciada não se dá em vias de fato, mas em vias de imanência.

Na rua, Desvio invade a rotina das pessoas que transitam pelo centro e atinge o público convidado e o público passante que, desviados através da ideia de representação, se tornam cúmplices e testemunhas dos acontecimentos. A morte da arte que vem sendo ensaiada desde sua inserção na lógica consumista ganha força com o olhar do espectador que espera ansiosamente o brilho do espetáculo.

Se para alguns Desvio começa na rua, no momento da apresentação, para outros essa experiência tem início dentro de casa, através de uma carta enviada por uma das atrizes. A carta representa uma cena de Desvio e traz um desabafo que convida o destinatário a encontrar o espetáculo em um ponto do Centro da cidade, com local e hora marcados. Foram enviadas mil cartas a endereços de Florianópolis escolhidos aleatoriamente pelo grupo.

De acordo com o diretor, o jogo entre ficção e realidade proposto pelo ERRO e a sensação de insegurança no espaço urbano podem contribuir para reações distintas em relação à intervenção. “Em Desvio, a pessoa pode assistir à representação de um assassinato ou assistir à representação da representação de um assassinato. Vivemos em uma sociedade do espetáculo e Desvio joga com as interpretações. Como o espetáculo também lida com a crescente onda de violência nas grandes cidades, e isso faz parte do cotidiano do público, essa sensação de insegurança também é referência para as interpretações de quem recebe a carta e que atende ou não à proposta”, observa Bennaton.

Criado em 2006, Desvio foi contemplado pelo Prêmio Myriam Muniz de Teatro – Funarte/Petrobras, participou da Mostra Myriam Muniz da Federação Catarinense de Teatro, do Festival de Teatro de Curitiba, da Temporada SESC de Teatro – Campinas/SP e do prestigiado Festival Internacional de São José do Rio Preto.

Serviço
O quê: Desvio, espetáculo de percurso do ERRO Grupo
Onde: Bar Terminal Urbano, na Rua Francisco Tolentino (ao lado do Camelódromo)
Quando: 15, 17, 20, 21, 27 e 29 de junho, às 20h
Preço: Gratuito
Para mais informações: www.errogrupo.com.br ou erro@errogrupo.com.br
Contato: Produção: ERRO Grupo – (48) 8834-1217 / 8812-9097 / 8452-6632 /
3228-6372 – Assessoria de Imprensa: Ana Letícia da Rosa – (11) 66220079

Ficha Técnica
Concepção e Direção Geral: Pedro Bennaton
Dramaturgia: Luana Raiter e Pedro Bennaton
Atores: Luana Raiter, Luiz Henrique Cudo, Paula Felitto e Michel Marques.
Performers: João Garcia, Juarez Nunes, Thaís Penteado e Ângelo Giotto
Direção de arte: Luana Raiter
Assistência de Direção de Arte: Júlia Amaral
Assistência de cena: Juarez Nunes
Sonoplastia e Composição: Priscila Zaccaron
Tradução e melodia: João Garcia
Criação e Produção: ERRO Grupo

Sobre o ERRO Grupo
O ERRO Grupo nasceu no ano de 2001, em Florianópolis, a partir do objetivo de seus integrantes em experimentar a arte como intervenção no cotidiano das pessoas e sua interdisciplinaridade de conceitos e áreas de linguagem. O grupo, através da construção de situações, pesquisa a união das linguagens artísticas, o performer, a invasão do espaço público e a diluição da arte no cotidiano. Nessa prática situacional, o ERRO interfere nos fluxos cotidianos, nas paisagens urbanas e nos meios de comunicação.

Sobre o Projeto Manutenção do ERRO
O ERRO Grupo, através do Programa Petrobras Cultural, realiza o projeto Manutenção do ERRO. O objetivo do Programa é contemplar grupos de teatro dedicados à produção cênica contemporânea, com o patrocínio às ações continuadas de pesquisa, produção e difusão de seus trabalhos.

O Projeto Manutenção do ERRO é dividido em duas etapas ao longo destes dois anos. A primeira delas será em Florianópolis e região com temporadas de apresentações dos espetáculos do repertório do ERRO Grupo – Adelaide Fontana, Buzkashi, Carga Viva, Desvio, Enfim um Líder e Escaparate, totalizando 33 apresentações -, além de oficinas formativas ministradas pelo ERRO Grupo, e com relevantes profissionais das artes cênicas, assim como um intercâmbio artístico. A segunda etapa consiste na criação de um trabalho inédito de intervenção urbana, que contará com três temporadas em um total de 22 apresentações – quatro em São Paulo e em Porto Alegre e outras 14 em Florianópolis e região. Este novo projeto cênico dará continuidade à investigação desenvolvida pelo grupo sobre a prática do jogo na sociedade contemporânea assim como sobre a mobilidade da cena pelo espaço urbano.

spot_img