19.6 C
fpolis
terça-feira, setembro 21, 2021
cinesytem

Estaleiro em Biguaçu: Última audiência é a mais tumultuada

spot_img

Estaleiro em Biguaçu: Última audiência é a mais tumultuada

Manifestantes marcaram presença durante o encontro em Florianópolis, que reuniu 600 pessoas

A terceira e última audiência pública para debater a instalação do estaleiro OSX em Biguaçu, realizada ontem, no Jurerê Sports Center, em Florianópolis, foi a mais tumultuada de todas. E a que concentrou o maior número de manifestantes contrários ao empreendimento.

Já no início do evento, a apresentação do diretor de Sustentabilidade da EBX, Paulo Monteiro, foi interrompida por vaias.Parte do público presente, cerca de 600 pessoas, compareceu munida de cartazes em repúdio à OSX, apitos e narizes de palhaço. Ainda na porta de entrada, vários panfletos contrários ao estaleiro eram distribuídos a quem chegava.

Algumas manifestações foram curisosas, como o passeio de pessoas fantasiadas de Bernunça (figura do folclore do Boi de Mamão parecida com um dragão) em frente à mesa, durante o discurso de apresentação das regras da audiência, feito pelo presidente da Fatma, Murilo Flores. A Bernunça permaneceu percorrendo os corredores durante a audiência.

Quando Monteiro foi interrompido, Flores interveio, pedindo respeito, mas ao sugerir que as pessoas sentadas nas primeiras filas baixassem as placas para que todos vissem a apresentação, também foi vaiado.

– Não estamos aqui brincando. Esta é a terceira audiência seguida. Ficamos ontem (quarta-feira) até quase 1h da manhã discutindo com nível, em Biguaçu. Queremos respeito. Todos podem fazer suas manifestações, esse é objetivo da audiência. Só peço educação e respeito – disse Monteiro ao retomar a palavra para concluir sua apresentação.

Nas duas primeiras audiências não houve tanto tumulto. Em Governador Celso Ramos, muitos pescadores eram contrários ao empreendimento, mas não houve falta de respeito, a não ser por parte de um pequeno grupo visivelmente embriagado. Em Biguaçu, audiência que concentrou o maior número de pessoas, mais de mil participantes, o debate foi de alto nível. O público contrário ao empreendimento levou faixas, mas respeitou as regras da audiência e aproveitou o debate para questionar a empresa.

Burburinho permaneceu durante as explicações

Em Florianópolis, João Teixeira, da Caruso Jr, empresa de consultoria ambiental que realizou parte dos levantamentos encomendados pela OSX, fez sua apresentação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) com um burburinho constante na plateia, ao contrário do público de Biguaçu, que apesar de estar em maior número, ouviu atentamente todas as explanações.

Eventualmente, alguns grupos de manifestantes entoavam canções como “entrei de gaiato no navio, entrei, entrei pelo cano”. As placas traziam dizeres como “as comunidades não foram ouvidas”, “não brinque com meu futuro” e “moeda X não vai impor sua vontade”. Apesar de tudo, muitas pessoas tentavam prestar a atenção e se mostravam indignadas com o desrespeito.

Antes de a audiência começar, Paulo Monteiro afirmou que eventos como esse costumam ter manifestações, porque é justamente a oportunidade para a comunidade participar.

­– A empresa tem feito mais do que audiências. Fizemos 65 reuniões com a comunidade, por isso não entendo quando vejo cartazes como aquele (e apontou para o que diz “as comunidades não foram ouvidas”). Tentamos realizar reuniões em Jurerê, mas a associação dos moradores não quis. Mesmo assim, montamos uma tenda para falar com a comunidade.

Até o fechamento desta edição, a audiência não havia sido concluída. A empresa ainda aguarda a licença ambiental para iniciar as obras em SC.

(DC, 23/07,2010)

spot_img
spot_img

Leia mais