19.4 C
fpolis
segunda-feira, junho 17, 2024
Cinesystem

Fenaostra estará presente no Salão do Turismo

spot_img

Fenaostra estará presente no Salão do Turismo

spot_imgspot_img

O prefeito de Florianópolis, Dário Berger, lançará a 11ª edição da Fenaostra (Festa Nacional da Ostra e da Cultura Açoriana) e o roteiro “Caminho das Ostras de Florianópolis” no 4º. Salão do Turismo, que se realizará entre os dias 1º. e 5 de julho, no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo. Acompanhado pelo Secretário da Setur (Secretaria de Turismo de Florianópolis), Mário Cavallazzi, e do Superintendente do IGEOF (Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis), Guilherme Pereira, Dário vai aproveitar para divulgar o case de sucesso que levou a cidade a conquistar o título de maior produtor nacional de ostras.

“Florianópolis é conhecida como a capital brasileira da qualidade de vida e também se consolida como uma verdadeira grife, um sinônimo das melhores ostras do País”, enfatiza o Prefeito, lembrando que a cidade responde por 95% da chamada “ostra do Pacífico” cultivada no Brasil. A Fenaostra e o roteiro “Caminho das Ostras” serão lançados no dia 1º de julho (quarta-feira), das 18h30 às 21h no estande da Santur (Santa Catarina Turismo) e demais órgãos de turismo da Região Sul.

“Há visitantes que vêm para a cidade especialmente para fazer o turismo gastronômico. E a ostra é o ponto alto desse roteiro”, reforça Cavallazzi, Secretário de Turismo. Nada mais natural, portanto, que o molusco virasse protagonista de um grande festival de gastronomia e cultura, que ajudasse a divulgar a ostra catarinense, abrindo novos mercados para os produtores. Foi assim que, há 11 anos, surgia a Fenaostra, uma festa popular, que celebra a cultura açoriana da Ilha de Santa Catarina, mas que nem por isso deixará de estar lado a lado com a inovação, na edição deste ano.

“Na última década, Florianópolis despertou para outras vocações, reinventou-se e virou um destacado polo tecnológico. É claro que isso estará fortemente retratado na Fenaostra deste ano. A tradição e a inovação estarão lado a lado”, informa o superintendente do IGEOF, Guilherme Pereira, responsável pela Fenaostra.

11ª. Fenaostra

De 16 a 25 de outubro, Florianópolis será palco de mais uma edição da Fenaostra – Festa Nacional da Ostra e da Cultura Açoriana. Trata-se de um verdadeiro festival realizado no CentroSul – Centro de Convenções de Florianópolis, que mobiliza a cidade durante quase 10 dias, com uma agenda repleta de atrações gastronômicas, folclóricas e culturais. Paralelamente, a programação também oferece cursos e seminários de aperfeiçoamento técnico voltados à maricultura.

Sem dúvida alguma, o carro-chefe do evento é a gastronomia, com espaços destinados à degustação de ostras e outros frutos do mar, preparados das mais diversas formas. Haverá concursos para bares, restaurantes, gourmets e chefs com o objetivo de abrir mercado para o consumo de ostras. A cultura também será destaque, com um pavilhão especialmente organizado para a comercialização do artesanato ilhéu, além da programação de apresentações folclóricas. Shows com grandes nomes da música nacional e artistas locais completam o cardápio eclético da festa.

“Para garantir longevidade à Fenaostra é preciso criar o público de amanhã e não apenas atender e manter o atual. É preciso renovar. Inovar. Unir o tradicional ao tecnológico, sem medo de errar nessa mistura”, ressalta o presidente da comissão organizadora da Fenaostra, Guilherme Pereira. Seguindo essa diretriz, a Fenaostra deste ano dará atenção especial aos públicos infantil e jovem durante os 10 dias em que a cultura açoriana será celebrada. “Exibiremos com orgulho uma Florianópolis de sotaque açoriano, com todas as suas manifestações tradicionais, de mãos dadas com uma Florianópolis da inovação”, resume Guilherme. Assim, em uma estação, a rendeira estará na vitrine; em outra, a vocação tecnológica da Ilha será a vedete. Haverá uma agenda voltada para a garotada que terá, inclusive, um dia do calendário dedicado especialmente a ela.

Para atrair o público jovem, a agenda de shows será das mais democráticas e contemplará também a chamada “cena alternativa”. “Queremos uma festa que agrade pais e filhos para, juntos, comemorarmos o jeito ilhéu de ser com um cardápio o mais variado possível de gostos. Queremos uma Fenaostra realmente de todos. Da tradição e da inovação”, resume Guilherme.

ROTEIRO “CAMINHO DAS OSTRAS DE FLORIANÓPOLIS”

Em parceria com o Sebrae/ SC, Assesc (Associação de Ensino de Santa Catarina) e Abrasel, o roteiro tem como objetivo proporcionar ao turista um passeio turístico e cultural, fazendo que com ele conheça mais sobre a cultura da cidade e aprecie uma de suas principais iguarias: a ostra. Outro ponto importante do “Caminho das Ostras de Florianópolis” é trabalhar para que esse molusco se transforme em um prato típico de Florianópolis, agregando valor cultural à gastronomia.

O roteiro “Caminho das Ostras de Florianópolis” funciona dentro da Rota das Ostras, área onde se encontram as principais fazendas marinhas da cidade. Foi criado a partir da Lei n° 12.273/2007. São 36 quilômetros em que se podem vislumbrar cenários que compõem o patrimônio arquitetônico e cultural da região, restaurantes especializados em ostra e uma rápida passagem pelas fazendas marinhas situadas, em média, a 200 metros da orla marítima, onde podem ser vistos os viveiros de criação do molusco. O roteiro busca unir diversão e conhecimento, fazendo com que o turista conheça um pouco mais da história e cultura da Capital de Santa Catarina. O “Caminho das Ostras de Florianópolis” será realizado nas localidades do Ribeirão da Ilha, Coqueiros, Centro, Santo Antônio, Sambaqui, Praia do Forte, Costa da Lagoa e Barra da Lagoa.

De acordo com a Organização Mundial do Turismo, uma das maiores motivações do turista ao buscar um destino é a possibilidade de vivenciar a cultura do local, por isso, as cidades com culturas fortalecidas são as mais escolhidas. Foi com esse intuito que a Secretaria Municipal de Turismo buscou parceiros para reformular e ampliar o roteiro “Caminho das Ostras de Florianópolis”, a fim de fortalecer ainda mais a cultura da cidade ao trabalhar com um de seus diferenciais: a ostra.

A cidade de Florianópolis é responsável por 95% da produção nacional do molusco Diariamente, 60% das cargas do Aeroporto Internacional da Capital são de ostra. Além disso, a cidade também é destaque no cenário turístico nacional. É uma das capitais com melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH 0,875), é um dos 65 destinos indutores do desenvolvimento turístico regional, quinto maior destino turístico do país e segundo destino mais procurado, perdendo apenas para o Rio de Janeiro, além de possuir características diferenciadas em relação à oferta de recursos naturais e culturais. “Florianópolis recebe mais de um milhão de turistas durante o ano todo, sendo que este número tem aumentado significativamente. Por isso, temos que proporcionar cada vez mais atrativos a estes visitantes. E nada melhor do que unir cultura, gastronomia e lazer”, explica o Secretário Municipal de Turismo da cidade, Mário Roberto Cavallazzi. Já o Secretário Executivo e Coordenador do Projeto, Homero Gomes, identifica no roteiro grande potencial para atrair um outro perfil de turista. “A ostra é uma iguaria digna do paladar refinado de um turista exigente e da exuberância de nossa ilha”.

O roteiro “Caminho das Ostras de Florianópolis” inclui também um trabalho especializado na projeção da ostra como prato típico da Capital no mercado interno e externo, bem como do turismo gastronômico como produto focado no turista com maior poder aquisitivo. Este esforço envolve a elaboração do roteiro propriamente dito, de um festival gastronômico da ostra nos restaurantes parceiros, de workshops dirigidos à imprensa especializada em turismo e gastronomia, operadoras de viagens e potenciais compradores da ostra em Florianópolis.

MARICULTURA EM FLORIANÓPOLIS (2008*)

*Fonte: Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina)

Unidades de cultivos existentes 120
Qtde de mexilhões comercializados 573 t
Qtde de ostras comercializados 581 t
Associações de maricultores 18
Empregos diretos 460
Empregos indiretos 1.380
Renda primária gerada – R$ 3.200.000,00

spot_img
spot_img
spot_img

Leia mais

spot_img