16.2 C
fpolis
segunda-feira, julho 4, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Fiéis celebram procissão de Nossa Senhora dos Navegantes

Fiéis celebram procissão de Nossa Senhora dos Navegantes

spot_imgspot_img

Nos Ingleses, fiéis e banhistas acompanharam a procissão marítima, que teve a participação de 12 embarcações.

A Procissão de Nossa Senhora de Navegantes, um dos eventos mais tradicionais da religiosidade dos habitantes da Ilha, foi realizada mais uma vez no último mês de fevereiro, em duas localidades diferentes do norte da Ilha. No Santinho, a cerimônia contou com a participação de quase 100 pessoas em terra e 12 embarcações que acompanharam com orações, pedidos e agradecimentos o transporte da imagem da padroeira dos pescadores, no último dia 15 de fevereiro. Cerimônia semelhante foi feita no início do mesmo mês, pela Paróquia do Cacupé, com uma presença pequena de público, 30 pessoas em terra e 10 embarcações. A cerimônia celebra o início da comunidade da Grande Florianópolis, que começou com os pescadores, principais responsáveis pelo sustento da população açoriana, um traço muito forte no litoral do Estado.

O padre Alcides Albane, de Cacupé, conta que a cerimônia é uma celebração ao amor de Maria. “Nossa Senhora dos Navegantes é um dos seus vários títulos, ela se apresenta dessa forma como protetora dos pescadores e viajantes”, explica o padre. Ele diz que a participação de público com barcos na paróquia foi pequena porque as pessoas estão trabalhando durante a alta temporada. “Para o ano que vem nós estamos tentando entrar em contato com o pessoal de Biguaçu e São José, que também têm muitos pescadores”, afirma o pároco. A aposentada Nádia Gerthe, de 52 anos, devota de Nossa Senhora, fez questão de acompanhar a cerimônia no Santinho. “A pesca é o sustento da nossa família faz três gerações”, conta a aposentada.

A maior procissão no Estado é feita pelo Rio Itajaí-Açu, em janeiro, que conta com a participação de dezenas de embarcações e milhares de fiéis às margens do rio que oram, pedem e agradecem à protetora das águas por manter o bem-estar da pesca e navegação. A cerimônia na região já chegou a 113 edições. A festa inclui ainda quermesse com venda de guloseimas e atividades de lazer para os fiéis.

Por Alexandre Winck

spot_img