15.9 C
fpolis
sexta-feira, julho 1, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Galeria de Arte da UFSC recebe exposição em homenagem a Sílvio Pléticos

Galeria de Arte da UFSC recebe exposição em homenagem a Sílvio Pléticos

spot_imgspot_img

A Galeria de Arte da UFSC, vinculada ao Departamento Artístico Cultural (DAC-SeCArte), traz para o campus a exposição “Trajetória Artística de Sílvio Pléticos”, que reúne parte do acervo de um dos
mais importantes e internacionalmente reconhecidos artistas plásticos de Santa Catarina. A abertura, com a presença do artista, será nesta quinta-feira, (30/10), às 15h, na Galeria de Arte, com entrada gratuita. O período de visitação vai de 31 de outubro a 28 de novembro, de segunda a sexta, das 10h às 18h30min.

A exposição é uma homenagem ao artista que foi convidado para realizar essa mostra individual, em que serão apresentados cerca de 40 trabalhos, dentre eles, sete esculturas em gesso ou resina patinada e cerca de 30 pinturas, com dimensões que variam de 40 centímetros a mais de dois metros de comprimento. Há trabalhos de várias épocas, sendo alguns deles produzidos especialmente para essa mostra.

Sílvio Pléticos, desenhista, pintor e professor de arte, veio da região dos Bálcãs (sudeste europeu), e tem residência fixa em Florianópolis desde 1967, tendo passado por Ribeirão Preto (SP), Porto Alegre e Passo Fundo (RS). Praticante de uma arte inclassificável, que consegue reunir e reinventar movimentos vanguardistas como o cubismo, expressionismo e surrealismo como base para uma nova forma de pintura, Pléticos ainda dedica um diálogo exclusivo com o público da comunidade universitária. No dia 12 de novembro, às 15h, ocorre o ´Encontro com o Artista´, no auditório do Centro de Convivência da UFSC, também aberto e gratuito para todos os interessados em ouvir e questionar a trajetória de Sílvio Pléticos.

O Artista

Sílvio Pléticos é artista plástico e professor reconhecido mundo afora pelo seu trabalho. Nasceu em 1924 na então italiana cidade de Pula, atualmente pertencente ao território croata. Ainda jovem, ao encontrar um pedaço de vidro no chão, compôs sua primeira obra com folhas secas, uma asa de borboleta e um pedaço de papel de chocolate. Ao colocar outro vidro por cima, afirmou: ‘Eu fiz um quadro´?, fato que marcou o início de uma trajetória promissora, porém com muitos empecilhos.

Órfão, o artista morou por seis anos em um orfanato, e passou por várias profissões manuais, como sapateiro, marceneiro, ferreiro, confeiteiro, pedreiro, entre outras. A partir de 1939, iniciou seus estudos em Milão, na Itália. Tendo vivido o contexto da Segunda Guerra Mundial – o artista inclusive foi recrutado como soldado -, e com origem em uma região da Europa marcada por diversos conflitos étnicos e separatistas, Sílvio Pléticos assimilou, na guerra, uma sensibilidade artística que marcaria toda a sua obra. A primeira mostra foi em 1945, ao final da Segunda Guerra e a pedido do comandante, para aproveitar o “clima de alegria e reestruturação social”.

Posteriormente, durante um emprego como ajudante de pedreiro, conheceu autoridades que o ajudaram a ingressar na Escola de Arte Aplicada de Zagreb (capital da Croácia) como ex-combatente, em 1947. Lá estudou até 1954, e especializou-se em pintura mural. Em 1961, casado e já exercendo o ofício de professor de arte, veio para o Brasil.

Pléticos, hoje com 84 anos, interessa-se pela arte não somente pelo valor estético, mas também pelo seu respaldo social. Um dos principais elementos de sua obra é a figura do peixe, que representa a fartura, pela época em que o alimento era escasso para o artista. Sua trajetória profissional pode ser assim descrita:

– 1952 – Primeira exposição: uma coletiva em Pula.
– 1954/59 – Professor de desenho e pintura nas escolas de Vondnjan, Fazana e Jursici – Iugoslávia.
– 1961/66 – Catedrático de desenho e pintura na Faculdade de Artes Plásticas de Ribeirão Preto, São Paulo (SP) – Brasil.
– 1967 – Professor de desenho e pintura na Escola de Arte de Passo Fundo (RS).

– 1968/72 – Responsável pelos cursos de desenho e pintura do Museu de Arte de Santa Catarina.

– 1972 – 1°Prêmio “Salão Sesquicentenário da Independência”, Florianópolis (SC). 1°Prêmio “salão SAPISC”, Florianópolis (SC). Bienal Nacional, São Paulo.

– 1975 – 1°Prêmio – “Salão Istria Nobilíssima”, Trieste – Itália.

– 1976 – Individual “Galeria ARS Artis”, Florianópolis (SC). Catarinenses na “Maison de France”, Rio de Janeiro. Bienal Nacional, São Paulo.

– 1977 – IV Bienal de Artes Visuais, Porto Alegre (RS).

– 1978 – “Palazzo Constanzi”, Trieste – Itália. Individual Galeria “Victor Meirelles”, Florianópolis (SC).

– 1979 – Coletiva “Villa Manin de Passariano”, Udine – Itália.

– 1980 – Individual “Galeria Verde Vale”, Itajaí (SC). Casa de Cultura, Florianópolis (SC). “Sete Grandes Nomes da Pintura Brasileira”, Florianópolis (SC).

– 1981 – “Hours Concours”, Coletiva Pan´Arte, Florianópolis (SC). III Mostra de Desenho Brasileiro (convidado), Curitiba (PR). Galeria Açu-Açu, Blumenau (SC), individual “Stúdio de Artes”, Florianópolis (SC).

– 1982 – Individual “Max Stolz Galerie”, Florianópolis (SC).

– 1983 – “A Ilha Revisitada”, Museu de Arte de Santa Catarina.

– 1984 – Panorama Catarinense de Arte Pintura 84 (itinerante).

– 1985 – Exposição Arte na Primavera, Shopping Center Itaguaçu, Florianópolis (SC).

– 1986 – Individual Galeria Espaço de Arte, Florianópolis (SC). Individual no Teatro Carlos Gomes, Blumenau. 25 anos de Brasil, Museu de Arte de Santa Catarina.

– 1994 – Espaço Cultural Fernando Becker – BADESC, Florianópolis (SC).

– 1995 – Individual Espaço de Arte Açu-Açu.

– 1996 – Coletiva “A Ilha em Buenos Aires”, Argentina.

– A partir de 1996 Pléticos continua com suas atividades: mostras coletivas e individuais, palestras, cursos, membro de júris de seleção e premiações em diversas cidades do país, porém não registra mais essas passagens profissionais. No Salão Nacional Victor Meirelles (2003), o Museu o graciou com uma retrospectiva de 25 anos.

– 2008 – Exposição de pinturas com Albernaz e Pimenta, na Helena Fretta Galeria de Arte, Florianópolis, SC: de 24/06 a 05/07/2008. Ano de comemoração dos 20 anos de criação da Galeria.

Instituto Sílvio Pléticos

Em homenagem simbólica ao artista, foi fundado em São Pedro de Alcântara, município próximo a Florianópolis, em 19 de julho de 2004, o Instituto Sílvio Pléticos que tem caráter representativo, educativo e beneficiente, com personalidade jurídica própria e sem fins lucrativos, políticos ou religiosos. Foi criado para desenvolver ações cidadãs nas áreas artístico-cultural, educacional, turística, ecológica e de assistência social. Foi escolhido o nome de Sílvio Pléticos por ser este um cidadão conceituado em São Pedro de Alcântara e um grande Artista Plástico de renome Internacional.

A Galeria de Arte da UFSC faz parte do Departamento Artístico Cultural
– DAC, vinculado à Secretaria de Cultura e Arte da Universidade
Federal de Santa Catarina.

Serviço:

O QUE: Exposição ?Trajetória Artística de Sílvio Pléticos?, com
pinturas e esculturas do artista
ONDE: Galeria de Arte da UFSC, prédio do Centro de Convivência
QUANDO: Abertura, com a presença do artista, dia 30 de outubro de
2008, quinta-feira, às 15 horas. Projeto ?Encontro com o Artista?, dia
12 de novembro, quarta-feira, às 15 horas. Visitação: até 28 de
novembro, de segunda a sexta-feira, das 10 às 18h30.
QUANTO: Gratuito e aberto à comunidade
CONTATO: www.dac.ufsc.br – Galeria: (48) 3721-9683 ou
galeriadearte@dac.ufsc.br

Por Gustavo Bonfiglioli, acadêmico de jornalismo – Assessoria de Imprensa DAC-SECARTE-UFSC  

spot_img