18.3 C
fpolis
terça-feira, maio 21, 2024
Cinesystem

Inflação é menor em abril, mesmo com alta dos alimentos, mostra índice da Udesc Esag

spot_img

Inflação é menor em abril, mesmo com alta dos alimentos, mostra índice da Udesc Esag

spot_imgspot_img

Bateraba está entre os alimentos com maior alta no mês, de quase 14%

Os preços dos produtos e serviços consumidos pelas famílias de Florianópolis subiram menos em abril, revertendo a tendência de alta da inflação verificada desde o início do ano. O índice vinha subindo para os últimos, passando de 0,29% em dezembro para 0,65% em março. Em abril, no entanto, caiu para 0,38%.

O aumento geral dos preços acumulados desde janeiro está em 2,19%. Já a inflação dos últimos 12 meses recuou para 4,68%. Apesar da desaceleração na mídia geral do mês de abril, ainda houve aumentos importantes no mês em grupos que pesam no bolso, principalmente alimentação.

Os números são do Índice de Custo de Vida (ICV) , calculado mensalmente pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), por meio do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) , com apoio da Fundação Esag (Fesag) .

Alimentação

As altas de preços em abril vieram do maior grupo Alimentação e Bebidas. Os alimentos tiveram alta média de 0,77% no mês. Se considerados apenas os produtos comprados em supermercados e feiras para consumo em casa, a alta ainda foi um pouco maior (0,86%). As refeições feitas fora de casa subiram menos (0,62%).

Os aumentos foram os das maiores hortaliças e verduras (5,3%), com destaque para a beterraba (13,8%). As frutas (alta de 3,6%) que mais encareceram foram mamão (9%), melancia (7,9%), morango (3%), uva (3%) e banana branca (2,3%). Tubérculos, raízes e leguminosas também subiram (3,2%), puxados pela cebola de cabeça (15%).

Arroz agulha (-5,5%) e feijão preto (-5,2%) também ficaram mais baratos, colaborando para a queda geral dos preços de cereais, leguminosas e oleaginosas (-4,6%). Também caíram os preços das farinhas, féculas e massas (-0,6%), como a farinha de trigo (-2,3%), macarrão (-1,3%) e farinha de mandioca (-1,3%) .

Transportes

Os preços ligados aos transportes, que pesam tanto quanto a alimentação no orçamento das famílias, também tiveram alta em abril (0,68%). Houve uma alta forte nos preços dos combustíveis para automóveis (4,13%). Por outro lado, as passagens aéreas foram significativamente mais baratas (-7,8%).

Entre os grupos pesquisados, também houve alta na habitação (0,46%), vestuário (0,58%), saúde e cuidados pessoais (0,60%) e educação (0,17%). Os preços relacionados às despesas pessoais e serviços de comunicação resultaram. Já os artigos de residência foram o único grupo a ter queda geral nos preços (-1,37%).

Sobre o Índice de Custo de Vida

O ICV/Udesc Esag registra a variação dos preços de 297 produtos e serviços consumidos por famílias de Florianópolis com renda entre 1 e 40 períodos-mínimos. Para o último boletim mensal, os dados foram coletados entre os dias 1º e 30 de abril. O índice é publicado regularmente desde 1968.

A metodologia é a mesma usada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referência oficial para a meta de inflação nacional. Para o projeto do ICV, a Udesc Esag conta com o apoio da Fundação Esag (Fesag) na atualização das ferramentas utilizadas.

Mais informações podem ser obtidas em udesc.br/esag/custodevida , onde é possível consultar os boletins mensais (desde 2010) e as séries históricas (desde junho de 1994) do ICV/Udesc Esag.

editor.deolhonailha
editor.deolhonailhahttp://www.deolhonailha.com.br
O DeOlhoNaIlha é um portal de propriedade da NacionalVOX - Agência Digital, de Florianópolis. Seu lema é "Fique por dentro de Floripa" e seu objetivo é deixar os moradores e visitantes da Ilha da Magia muito bem informados sobre tudo o que acontece na cidade e região.
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Leia mais

spot_img