19.2 C
fpolis
terça-feira, setembro 28, 2021
cinesytem

Lojistas catarinenses acompanham na Alemanha as novidades da Euroshop

spot_img

Lojistas catarinenses acompanham na Alemanha as novidades da Euroshop

spot_img

Sustentabilidade e Tecnologia para encantar o clienteem uma das principais feiras do varejo mundial

Para o varejo europeu, duas questões são prioritárias: práticas sustentáveis e uso das tecnologias de ponta para encantar o cliente. A constatação é do empresário catarinense Sergio Medeiros, presidente da Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL SC), que acompanhou até essa quarta-feira (02/03) a Euroshop – uma das maiores feiras de varejo do mundo, reunindo mais de 50 países numa área de 200 mil m² e 17 pavilhões, realizada em Düsseldorf, Alemanha. Medeiros, que foi acompanhado dos vice-presidentes Ivan Tauffer (Serviços) e Olair Klemtz (Coordenação Distrital), detectou o uso de materiais recicláveis em larga escala. “Até as paredes dos estandes das empresas que expunham na Feira eram de papelão. Armários, geladeiras e displays também usavam esse material, combinado com vidro ou metais.” Na visita técnica a um supermercado, encontrou uma máquina que recebe e seleciona garrafas PET, conforme o fabricante de origem. Em contrapartida pela devolução das embalagens recicláveis, o consumidor recebe um bônus para ser usado nas compras naquele estabelecimento ou converte esse bônus em doação à entidade beneficente.

“Em paralelo, também há uma grande preocupação com a funcionalidade oferecida aos consumidores, reforçando a ideia do auto-serviço”, explicou Medeiros. Na gôndola de supermercado, por exemplo, o dirigente lojista catarinense observou monitores de vídeo junto aos displays de produtos expostos – de garrafas de uísque a secadores de cabelo ou aparelhos de telefone celular. “Ao tocar no produto, sem precisar apertar uma tecla sequer, o vídeo começava a rodar, exibindo as formas de utilização, as características técnicas e outras informações.” O presidente da FCDL/SC explica que a estratégia é encantar o cliente e transformar o ato de consumir em uma experiência emocional. “Em alguns casos, as empresas recorrem até a efeitos especiais dignos de uma sessão de ilusionismo”, relata.

Na Europa, segundo Sergio Medeiros, está consolidada a ideia de vender produtos com serviços agregados. “A competição já não está restrita ao preço, mas àquilo que é oferecido no pós-venda. O varejo brasileiro deve absorver essa tendência com rapidez”, sugeriu ele.

spot_img
spot_img

Leia mais