15.6 C
fpolis
quinta-feira, outubro 21, 2021
cinesytem

Prioridade da CDL de Florianópolis em 2017 será o combate ao comércio ilegal

spot_img

Prioridade da CDL de Florianópolis em 2017 será o combate ao comércio ilegal

spot_img

Eleito em novembro de 2016 com chapa única de consenso, o empresário Lidomar Antônio Bison, da rede de lojas Jbay, assumiu a presidência da maior CDL do estado e a quinta do país, ao lado do vice Sérgio Luiz da Silva e dos 10 diretores, com mandato para gestão 2017.

De acordo com Bison, o foco da diretoria será no combate ao comércio ilegal. “Nossa principal linha de ação será cobrar dos órgãos públicos a proteção do comércio legal para que sejam justos com os empresários que geram empregos e fazem a economia da cidade prosperar” afirma.

Além disso, o presidente promete focar no aprimoramento e na evolução do relacionamento com os associados, oferecendo workshops e palestras de capacitação com temas da atualidade tanto para os colaboradores quanto para os próprios empresários. 

Quais as principais reivindicações do setor ao poder público municipal?

É fundamental que administração pública municipal foque as ações, recursos e esforços de fiscalização na ilegalidade, pois nada adianta o poder público estar focado em executar fiscalização de quem é legalizado e desperdiçar tempo e dinheiro, não dando segurança, principalmente jurídica para o empresário legal. Também é importante cobrar da prefeitura que seja implementado o Serviço de Inspeção Municipal – SIM, exigido para o pleno funcionamento do Mercado Público.

Como acha que deve ser conduzido o combate aos ambulantes? Há uma estimativa do prejuízo causado ao comércio formal e legalizado?

 A única e mais eficiente forma é a ocupação dos espaços públicos pelo poder público ou por ambulantes legalizados. Havendo fiscalização para que eles não desviem a autorização que têm e pratiquem o comércio ilegal.

Quantificar os prejuízos causados pelo comércio ilegal é uma tarefa um pouco difícil. Mas arrisco dizer que o comércio de Florianópolis é prejudicado em pelo menos 20% do faturamento, não só pela atividade dos ambulantes ilegais, mas pela inibição da circulação e constrangimento que as pessoas têm de virem ao centro, em função da presença dos ilegais. O impacto é medido pelo aumento das reclamações dos empresários, colaboradores e clientes em relação a este grave problema que a capital enfrenta. 

É importante ressaltar que a perda de faturamento é gradativa e crescente. Experiências de anos anteriores mostram uma perda pequena e neste último ano percebemos uma perda muito maior no volume de vendas. 

Acredita na retomada da economia para 2017? Por quê?

Acredito que deve acontecer a partir do segundo semestre. Nos primeiros meses, o comércio deverá ter uma instabilidade e a população ainda deve esperar notícias mais firmes e decisões mais concretas por parte do poder público para disciplinar os gastos e os investimentos. A partir daí, teremos uma perspectiva de crescimento a partir de junho/julho de 2017.

Diretoria Gestão/2017
Presidente: Lidomar Antônio Bison 
Vice-presidente: Sérgio Luiz da Silva
Diretor Secretário: José da Costa Baracuhy Neto
Diretor Financeiro: Ernesto Caponi
Diretor de SPC e Serviços: Marco Aurélio dos Santos 
Diretor de Relações Públicas e Eventos: Célio Philippi Salles 
Diretor de Patrimônio: João Paulo de Andrade Júnior
Diretor de Assuntos Públicos e Políticos: Ricardo Campos
Diretor de Assuntos Econômicos: Sionésio Correa de Souza
Diretor de Desenvolvimento: Rafael Salim José
Diretor de Marketing: Eduardo Keil Koerich
Diretor Institucional: Osmar Silveira

spot_img
spot_img