16.9 C
fpolis
domingo, setembro 26, 2021
cinesytem

Projeto 12:30 recebe grupo Sonido

spot_img

Projeto 12:30 recebe grupo Sonido

spot_img

O Projeto 12:30 da próxima quarta-feira, dia 13/05, recebe o show do grupo Sonido. O show será na Concha Acústica da UFSC, tem início às 12h30min, é gratuito e aberto à comunidade.

Sonido é um grupo de Florianópolis que toca música popular sul-americana. Foi através de pesquisas feitas sobre ritmos do Brasil, Bolívia, Argentina, Peru e Uruguai que o grupo montou a base de seu repertório. Porém, o resgate e a reprodução dessas músicas tradicionais não é o foco do grupo, e sim a realização de um trabalho baseado na releitura destes gêneros por meio de composições próprias e também de compositores contemporâneos.

A produção atual é desenvolvida a partir de ritmos como samba, baião, frevo, marcha rancho, ijexá, maracatu (Brasil), landó, festejo (Peru), saya (Bolívia), candombe, murga (Uruguai), chacarera, zamba, chamamé, huayno (Argentina).

Por meio do Sonido o grupo tenta proporcionar uma maior comunicação entre os países latino-americanos, no que diz respeito à tradição e produção musical. Afinal, estes países têm hoje, além de preservadas as mais distintas tradições, uma arte contemporânea elaborada e criativa.

Sonido é formado por Carlos Lamarque (instrumentista, compositor e arranjador), Maiara Felipe Morais (flautista, compositora e arranjadora), Mauro Borghezan (Baterista), Paola Gibram (acordeonista e pianista), Romi Martinez (voz) e Eduardo Pimentel (Violonista).

Saiba mais sobre os músicos:

Carlos Lamarque iniciou seus estudos sobre o baixo elétrico em 1998, em Florianópolis, onde nasceu. Participou de cursos e workshops com renomados músicos nacionais, como André Neiva, Arismar do Espírito Santo, Jorge Oscar, Pascoal Meirelles, Jorge Elder, Lula Galvão, Sérgio Freitas, Itiberê Zwarg, Tiago do Espírito Santo, Arthur Maia e André Mehmari.

Desde então se aperfeiçoa no estudo do baixo elétrico, com ênfase para a diversidade rítmica brasileira e ritmos folclóricos da Argentina, Peru, Uruguai, Bolívia e Cuba. Carlos está cursando Licenciatura em música pela Universidade do Estado de Santa Catarina. É baixista, compositor do grupo Sonido.

Trabalha como professor de baixo elétrico, violão, teoria musical e prática de conjunto desde 2003, lecionando em várias escolas de música como Sol da Terra, Hélio Amaral, Allegro Vivace e Fazendo Arte.

No primeiro semestre de 2006 morou em Buenos Aires, onde estudou o baixo elétrico e o Folclore Latino-Americano com o renomado baixista Willy González, reconhecido como um dos grandes expoentes na pesquisa e divulgação do folclore latino-americano. Em Buenos Aires, Carlos tocou ao lado de alguns músicos como Mariel Barreña, Pablo Gindre, Nacho Alvarez, Federico Beilinson e Joaquin Zaidman.

No mesmo ano coordena uma oficina de composição musical em escolas de comunidade carentes da Grande Florianópolis pelo projeto “TIM músicas nas escolas”, e ministra workshops sobre o baixo elétrico, arranjo e improvisação, prática de banda, produção musical e folclore latino-americano pelo projeto “Talentos”, para músicos de Florianópolis.

Carlos Lamarque atuou nos grupos Ararim-Oró (música nordestina), Quarteto Arreio Sem Freio (música instrumental brasileira), Orquestra Sinfônica de Santa Catarina, Salsera Dinamita (Música Cubana) Sonido Trio (Música Latino Americana), Duo Sencillo (Música Latino-Americana), Fernanda Rosa Quarteto (Música Popular Brasileira), Quarteto Truncado (Música Instrumental Brasileira), Sambango (Música Instrumental Brasileira), Maria Preá (Música Popular Brasileira) Verônica Kimura Quarteto (Música Popular Brasileira).

Realizou a composição e arranjos de trilhas para curtas-metragens como “Sonido” (Animação – Julho de 2007) dirigido por Fernanda Fraiz e Cibele Rosa e “Leste do Sol, Oeste da Lua” (Animação – Janeiro de 2008, dirigido pó Patrícia Monegatto Lopes).

Na moda, trabalhou com Jean Genganel (Dj Dada) na trilha da RenauxView por Udesc no Santa Catarina Moda Contemporânea, trabalhou na sonorização da entrada do Canatiba em 2008 com a consultoria da Brand-a-porter, nesse último ano trabalhou no desfile de formatura criando trilha original para os desfiles de Letícia Waldow e Isabella Villalon que foram também apresentados no Floripa Fashion do dia 06/09. Realizou a trilha ao vivo do desfile da marca de roupa infantil Petit-Pavê, compondo e arranjando as músicas.

Maiara Felippe Moraes começou a estudar flauta transversal aos 13 anos de idade com a flautista e saxofonista Silvia Beraldo, em Florianópolis. Participou de diversas oficinas de música (Curitiba, Itajaí e Tatuí) tendo aulas com Lea Freire, Michel Debost, Toninho Carrasqueira, Andréa Ernest Dias e Vinicius Dorin (flauta), Arismar do Espírito Santo, Itiberê Zwarg, Paulo Moura (prática de conjunto), Robertinho Silva (percussão), entre outros.

Em 2003 começa a dar aulas na Escola Livre de Música Compasso Aberto, onde ainda dá aulas de flauta transversal, teoria musical e preparatório para vestibular.

Em 2006 estuda no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, em Tatuí. Lá têm aulas individuais e semanais de improvisação com André Marques, Paulo Braga, Fábio Leal (prática de conjunto), Cléber Almeida, (percussão), Alexandre Bauab (prática de choro) e Edson Beltrami (flauta erudito).

Faz parte, desde 2004, do grupo de música instrumental Poré Poré, que já dividiu o palco com Arismar do Espírito Santo, Vinícius Dorin, Tavinho Moura e Sinfonética Comunitária Flutuante. Com este grupo apresentou-se também em bares e teatros (CIC, Sesc Florianópolis), além de um show pelo Circuito Cultural Banco do Brasil.

Em 2006 faz participação especial no show de lançamento do CD de Arismar do Espírito Santo e no primeiro semestre de 2007 participa de um show com Ronaldo Saggiorato. Ainda em 2007 participa da gravação de duas faixas do CD “Sergio Coelho – Trombone”, participando inclusive do lançamento do mesmo na Oficina de Música de Curitiba (Jan/2008).

Desde março de 2008 integra a Orquestra a Base de Sopro de Curitiba, cujo CD “Mestre Waltel” está concorreu ao Prêmio Tim 2008. Maiara também é aluna do curso de música (licenciatura) da Udesc.

Mauro Borghezan nasceu em 1981 em Santarém – PA. Mudou-se para Florianópolis aos dois anos de idade e iniciou seus estudos na bateria em 1999 com os professores Sebastião Gomes e Ernesto Quiroga. Atuou em bandas de pop, rock e blues até o inicio de 2004, quando, ainda em 2004, estuda com os professores Cristiano Fortes e Flávio Teixeira e participa de cursos em festivais e workshops.

Estudou com músicos renomados como Arismar do Espírito Santo, Vinícius Dorin, Robertinho Silva, Itiberê Zwarg, Pascoal Meirelles, Thiago do Espírito Santo, André Mehmari, entre outros.

Trabalha como professor de bateria desde 2003 e leciona em vários conservatórios como Compasso Aberto, Thalentus e no Colégio Menino Jesus. Tem estudado coordenação e independência na bateria, abordando a enorme variedade rítmica do Brasil, além de especializar-se também no jazz, e nos ritmos folclóricos de países da América Latina, como Cuba, República Dominicana, Porto Rico, Jamaica, Peru, Uruguai e Argentina.

Mauro Borguezan atuou como baterista em grupos como Trio Kos, Poré Poré (dividindo palco com nomes como Arismar do Espírito Santo, Vinícius Dorin, Tavinho Moura, Sinfonética Comunitária, Mariana Zwarg, Joana Queiroz e Hermeto Pascoal), Quarteto Arreio sem Freio, Quarteto Budega, Salsera Dinamita, Jazz n` Bossa, Senderos, Kramer, Rafael Calegari, Luiz Gustavo Zago, Carlos Ribeiro Júnior, Silvia Beraldo, Arial Coelho, Leonardo Garcia, Rogério Piva, Cássio Moura, Arnou de Mello, Cristian Faig, Tatiana Cobbet, Marcoliva, Denise de Castro, Abgela Jurkevicz, Mariel Barreña, Pablo Gindre, Damián Vernis, Alejandro Santos, Dennis Liechtmann, Billy Newman, Ralph Pritikin, Glauco Solter, Ronaldo Sagioratto, entre outros.

Atualmente se apresenta frequentemente com Romy Martinez Quarteto, Bossa Nossa Trio, Quebra com Jeito, Quarteto All Jazzera, Leandro Fortes Quarteto, André Maia, Luciano Bilu, Luiz Meira e Alessandro Kramer.

Paola Gibram é mineira. Em Minas estudou piano erudito na academia de música de Lorenzo Fernandez. Desde que se mudou para Florianópolis trabalha com música popular e apresenta-se com grupos de choro, forró, samba, maracatu, entre outros gêneros musicais, como o tango. Foi integrante do Sexteto Instrumental Catarinense, com o qual gravou o CD “Raízes Trançadas”. Em 2008 esteve em turnê pela Espanha com o grupo Margem Esquerda. Em festivais de música teve aulas com Toninho Ferragutti, Alessandro Kramer (Bebê), Cláudio Dalzberg, Delia Fisher e Itiberê. É graduanda do curso de música pela Udesc e graduada em Ciências Sociais pela UFSC.

Romy Martinez é nascida em 1983, Ciudad Del Este – Paraguay. Inicia seus estudos musicais aos 7 anos. Integra por vários anos o Coral da Itaipu Binacional sob direção de Herman Dário Escobar. Em 2005 se muda para o Brasil e inicia sua graduação pela Udesc. Desde 2006 vem se apresentando em Florianópolis com a Sonido, alem de tocar com Wslley Risso.

Já fez shows com a Ilha Big Band, Rafael Calegari Quarteto e Ronaldo Saggiorato. Em 2008 concluiu sua graduação com uma pesquisa sobre os recursos interpretativos empregados no canto popular.

Eduardo Pimentel é instrumentista e compositor de música instrumental, músico profissional em guitarra, violão e cavaquinho. Especializado em jazz-rock, rock, flamenco e música brasileira. Aos 10 anos de idade começou a ter aulas de violão clássico. Foi destaque do mês com a banda Brasil Papaya na revista Guitar Player em novembro de 1997. Estudou guitarra com Nelso Faria, Lula Galvão, Heraldo do Monte entre outros. E violão com Mauricio Carrilho, Tito Gonzáles, Zezo Ribeiro, Roberto Corrêa, Roberto Rezende, Agilmar Medeiros, Miguel Aragon, Flávio “Biga” Marques. Estudou improvisação com Sílvia Beraldo, Pascoal Meirelles e Jorge Hellder, além de outros cursos importantes. Em 2005, graduou-se em Engenharia de Produção Elétrica pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Participa dos álbuns: Aromáticos, Alexandre Fortkamp, Festivais de música do SESC SC, Marcos Gaiteiro, Tereza Virgínia, “No dorso do rinoceronte” E. Pagotto e S. Mansani (2007). Grava com Silva Beraldo a trilha sonora de Zeca Pires “A Antropóloga” e grava também trilha para o curta “Desilusão” de Bob Barbosa.

Projeto 12:30

O projeto 12:30 é realizado pelo Departamento Artístico Cultural (DAC), vinculado à Secretaria de Cultura e Arte da UFSC e apresenta semanalmente atrações de cunho cultural de música, dança e teatro. As apresentações acontecem todas as quartas-feiras, ao ar livre, na Concha Acústica, e, quinzenalmente, às quintas-feiras, no Projeto 12:30 Acústico, no Teatro da UFSC.
Artistas e grupos interessados em se apresentar no projeto dentro do campus da UFSC devem entrar em contato com o DAC através dos telefones (48)
3721-9348 / 3721-9447 ou por e-mail, enviando mensagem para
projeto1230@dac.ufsc.br.

Serviço:
O QUÊ: Show com o grupo Sonido
QUANDO: Dia 13 de Maio de 2009, quarta-feira, às 12h30min.
ONDE: Projeto 12:30 na Concha Acústica da UFSC, em Florianópolis.
QUANTO: Gratuito e aberto à comunidade.
CONTATO Projeto: projeto1230@dac.ufsc.br e (48) 3721-9348 ou 3721-9447
Visite www.dac.ufsc.br

Por Stephanie Pereira – Acadêmica de Jornalismo, Assessoria de Imprensa do Projeto 12:30: DAC: SECARTE: UFSC, com material institucional e dos músicos.

spot_img
spot_img

Leia mais