13.9 C
fpolis
quinta-feira, maio 19, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Cinema Falado do Museu Victor Meirelles com programação especial até sexta-feira

spot_img

Cinema Falado do Museu Victor Meirelles com programação especial até sexta-feira

spot_imgspot_img

SEMANA LANTERNA MÁGICA DA HISTÓRIA E DA MITOLOGIA

O Projeto Cinema Falado do Museu Victor Meirelles realiza entre os dias 30 de agosto e 3 de setembro uma programação especial com cinco sessões de cinema, seguidas de conversa com cinco dos 13 pesquisadores que assinaram artigos no livro Cinema – Lanterna Mágica da História e da Mitologia. As exibições e debates acontecem na Sala Multiuso do Museu Victor Meirelles, sempre às 18h30min, com entrada gratuita.

A ideia da realização da Semana surgiu a partir do lançamento do livro ocorrido em abril deste ano, em Florianópolis, e em maio, em São Paulo. O fato de todos os autores (sendo 3 também organizadores do livro) já terem participado como mediadores do projeto Cinema Falado deu o clique para a realização da Semana. A proposta surgiu então como um encontro que pudesse ao mesmo tempo exibir alguns dos filmes discutidos no livro e também conversar sobre eles com o público.

Ao comentar o livro, nas “orelhas”, Zeca Pires, cineasta e diretor do Departamento Artístico e Cultural da UFSC, diz que teve “o prazer de ler o livro como se estivesse vendo ou fazendo um novo filme a cada artigo. Não concordando exatamente com tudo, mas procurando entender cada reflexão, cada sequência que o autor vê.” Já o professor da Escola de Comunicações e Artes da USP, Eduardo Morettin, na apresentação, destaca que “várias são as cinematografias abordadas, momentos históricos referidos, filmes analisados, sinais de seu interesse e riqueza”, e que isso indica a “consolidação de uma área de estudos voltada para a reflexão sobre cinema e ciências humanas”.

A obra reúne artigos sobre teoria de cinema, análise de filmes e estudos comparativos de especialistas em diferentes áreas das humanidades, como história, filosofia e literatura. A publicação é dividida em duas partes. Na primeira, os textos são agrupados por apresentarem uma interface entre o cinema, a história, e a filosofia, e no outro conjunto, por suas interrelações entre cinema, mitologia e literatura.

Para a Semana Lanterna Mágica cada mediador escolheu um filme e é a partir dele, e do texto na publicação, que a conversa terá o seu ponto de partida. Os cinco mediadores são Anelise Corseuil, que no livro trata das relações de poder entre a América Latina e os EUA no documentário contemporâneo; Daniela Schneider, que fala da visada filosófica de Sartre como referencial para o cinema francês dos anos 50; Maria Cecília de M.N. Coelho, que compara três filmes de Angelopoulos, mostrando a interação entre história e mito na narrativa do diretor grego, e Henrique Pereira Oliveira, que aborda o cinema experimental em Florianópolis, examinando três curtas realizados entre 1968 e 1976. Completando o quinteto, Luiz Felipe Soares, que escreve a respeito de Carmen Miranda, analisa Uma Noite no Rio, filme realizado sob a política da boa vizinhança com os norte-americanos, no contexto da guerra.

O livro pode ser encontrado nas livrarias da Editora da UFSC, mas para a Semana Lanterna Mágica, exemplares serão disponibilizados para venda no Museu a preço promocional.

Programação:

Dia 30/08 – segunda-feira

Uma Noite no Rio – EUA, 1941
Direção: Irving Cummings

O Filme: O Barão Duarte, um rico industrial brasileiro, tem um sósia, o jovem carioca e artista Larry Martin. Muito convenientemente, o ponto alto da interpretação de Larry é uma impecável imitação do industrial, que acaba impressionando os amigos e parceiros do Barão. Quando o Barão Duarte precisa deixar o Brasil para cuidar de negócios urgentes, Larry Martin é chamado para tentar deter os ataques dos poderosos inimigos do industrial.
Mediação: Luiz Felipe Soares. Doutor em Letras pela UFSC, com tese sobre construção de imagens de identidade nacional (brasileira e americana) durante a Segunda Guerra, a partir do discurso em torno de Carmen Miranda. Possui mestrado em Literatura, também pela UFSC, e graduação em Comunicação Social/Jornalismo, pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Atualmente é professor do Curso de Cinema da UFSC. Tem experiência nas áreas de Letras e Artes, com ênfase em Estudos de Cinema, Teoria Literária e Crítica Cultural.

Dia 31/08 – terça-feira

Brinquedo Proibido – FRA, 1952
Direção: René Clement

O Filme: Durante um bombardeio, a pequena Paulette, de cinco anos, fica órfã. Ela é “adotada” por Michel, um menino de 11 anos filho de camponeses. Perturbados pela loucura dos adultos e da guerra, eles vão estabelecer uma amizade singela e pura, mas igualmente fragilizada pela presença da morte e da incompreensão.
Um dos maiores clássicos do cinema francês do pós-guerra.
Mediação: Daniela Schneider. Graduada em Psicologia e mestre em Educação, ambas pela UFSC e doutora em Psicologia pela PUC de São Paulo. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Tratamento e Prevenção Psicológica, atuando principalmente nos seguintes temas: Jean-Paul Sartre, psicologia existencialista, dependência de álcool e drogas, serviços de saúde que atendem usuários de drogas, psicopatologia, psicologia clínica, saúde mental.

Dia 01/09 – quarta-feira

Novelo, BRA – 1968
Direção: Pedro Paulo Souza e Gilberto Gerlach

O Filme: Novelo é uma preciosidade do cinema novo catarinense, momento de efervescência cultural em época de ditadura militar. O filme retrata um processo de crise e nascimento existencial. O filme foi apresentado no “4º Festival Brasileiro do Cinema Amador” em 1968, promovido pelo Jornal do Brasil e Mesbla.
Mediação: Henrique Oliveira. Graduado em História pela UFSC. Mestre e Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, atualmente é professor efetivo da Universidade Federal de Santa Catarina e coordenador do Laboratório de Pesquisa em Imagem e Som – LAPIS.

Dia 02/09 – quinta-feira

Um Olhar a Cada Dia – FRA/GRE/ITA, 1995
Direção: Theo Angelopoulos

O Filme: Obra-prima, ganhador do Prêmio de Júri do Festival de Cannes, Um Olhar a Cada Dia é um belo tratado sobre memória, cinema e política, realizado com esmero e força por um dos mais importantes cineastas de todos os tempos. Diretor de filmes como Paisagem na Neblina e A Eternidade e um Dia, Angelopoulos faz um cinema pouco convencional, ligado à filosofia e as artes plásticas, sempre com forte fundo social e político. Um Olhar a Cada Dia é inspirado na Odisséia, de Homero, e tem como dupla de protagonistas o talentoso Harvey Keitel e Erland Josephson, ator de vários filmes de Ingmar Bergman.
Mediação: Maria Cecília de Miranda Nogueira Coelho. Doutora em Língua e Literatura Gregas pela USP e Brown University/EUA, com tese sobre filosofia, retórica e drama gregos. É mestre em Filosofia pela USP e graduada em Matemática e Filosofia, pela UnB. Pós-doutora no Núcleo de Estudos Antigos e Medievais da FALE-FAFICH/UFMG, com o projeto “Dissa erga: A produção de emoções e os esquemas retóricos das narrativas no teatro grego antigo e no cinema contemporâneo”. Profa. de Filosofia Antiga na UFMG.

Dia 03/09 – sexta-feira

Salvador, O Martírio de um Povo – EUA, 1986
Direção: Oliver Stone

O Filme: Um jornalista desacreditado profissionalmente e com sérios problemas financeiros viaja como correspondente estrangeiro para El Salvador em companhia de um amigo. Lá ambos descobrem um país em plena guerra civil, onde os direitos humanos não são respeitados e crianças, mulheres e clérigos são assassinados sem a menor cerimônia e com total impunidade.
Mediação: Anelise Reich Corseuil. Possui graduação em Licenciatura em Letras/Inglês e Literatura pela UFSC; mestre em Literaturas de Língua Inglesa, Eastern Michigan University; doutora em Literaturas em Língua Inglesa, Wayne State University e pós-doutorado no Departamento de Televisão, Teatro e Cinema da Universidade de Glasgow. É professora associada na UFSC/DLLE, membro do Colegiado do Curso de Cinema, Editora-Chefe da Revista Ilha do Desterro. Foi uma das editoras do livro Estudos Culturais: Página, Palco e Tela e foi eleita, em 2009, para vice-presidência da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema (SOCINE).

—————————————————————————————-

Projeto Cinema Falado do Museu Victor Meirelles
Semana Lanterna Mágica da História e da Mitologia
De 30 de agosto a 3 de setembro de 2010
Sempre às 18h30min
Sala Multiuso do Museu Victor Meirelles
Rua Victor Meirelles, 59 – Centro – Florianópolis/SC
Tel.: 48 3222-0692

spot_img