26.2 C
fpolis
segunda-feira, janeiro 24, 2022
cinesytem

Quarteto Brasileiro de Violões interpreta Albéniz em Florianópolis

Quarteto Brasileiro de Violões interpreta Albéniz em Florianópolis

spot_img

De acordo com o jornal “Folha de S. Paulo” a versão do Quarteto Brasileiro de Violões para a obra de Albéniz é como uma “nova referência da obra do compositor catalão”. A revista Soundboard (EUA) qualificou-a como “magnífica”. O site especializado Allmusic chamou a gravação de “uma evocação tão calorosa e transcendental quanto Albéniz poderia ter desejado”. Recentes performances da Suite Iberia pelo Quarteto Brasileiro de Violões em quatro continentes têm arrancado elogios fervorosos da crítica especializada e reações arrebatadoras do público.

No próximo dia 21 de outubro será a vez do público de Florianópolis conferir a versão integral do quarteto da peça que Olivier Messiaen considerou “a obra-prima da música espanhola”. O concerto, patrocinado pelo Instituto Cervantes de Florianópolis dentro da série guitarrísimo, presta uma homenagem a Isaac Albéniz (1852-1909) pelos 100 anos de sua morte, celebrando também o centenário de composição da obra. Carregando o subtítulo “12 Novas Impressões”, Suite Iberia compõe uma síntese de várias manifestações musicais espanholas, notadamente da Andaluzia. Como bem notou Debussy, Albéniz incorporou tão bem os ritmos e melodias de seu país que a fronteira entre a criação original e os elementos folclóricos que a inspiraram inexiste, complementando, “nunca a Música produziu impressões tão diversas e coloridas: os olhos se fecham, como se completamente cegados por tão brilhantes imagens”.

Originalmente escrita para piano, na versão do quarteto a peça ganha uma dimensão sonora que a reconduz à sua origem: o fascinante universo sonoro da música espanhola, do qual o violão é indissociável.

O Quarteto Brasileiro de Violões completa onze anos de existência consolidando-se como um dos principais grupos do gênero em atividade. Formado por Everton Gloeden, Tadeu do Amaral, Luiz Mantovani e Clemer Andreotti, tem como uma de suas principais características a instrumentação pouco usual, mesclando instrumentos tradicionais de seis cordas com instrumentos de oito cordas de tessitura expandida, o que permite ao grupo abraçar um repertório diferenciado e pouco usual dentro do universo violonístico. Sua variada discografia pelo selo norte-americano Delos abrange desde Bach até a música brasileira de concerto, incluindo a gravação da Suite Iberia, lançada em 2006. Com mais de 300 concertos na bagagem, o quarteto apresentou-se pouquíssimas vezes no Brasil, e esta é uma rara oportunidade de conhecer seu trabalho. Depois de Florianópolis, o grupo se apresenta ainda em São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro.

SERVIÇO

O Quê: Suite Iberia, pelo Quarteto Brasileiro de Violões
Onde: Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)
Quando: 21 de outubro de 2009, às 20h
Entrada franca

spot_img
spot_img