24.6 C
fpolis
segunda-feira, setembro 20, 2021
cinesytem

Show de Maria Gadú neste mês no Floripa Music Hall

spot_img

Show de Maria Gadú neste mês no Floripa Music Hall

Maria Gadú, 24/03 no Floripa Music Hall.

Imagine, em apenas um ano, uma cantora ver a música que compôs com dez anos de idade virar hit nacional, lançar seu CD de estreia e receber a certificação de Disco de Platina – venda superior a 100 mil cópias -, fazer mais de 100 shows por todo o país, vencer o Prêmio Multishow 2010 na categoria Melhor Álbum e ainda ser indicada ao Grammy Latino 2010 em duas categorias: Revelação e Melhor Álbum Cantor/Compositor. Não à toa, Maria Gadú tem motivos de sobra para festejar o que aconteceu na sua vida de um ano para cá. Como toda comemoração deve ser, ela fez o que mais gosta: cantou. E a celebração ganhou um nome, Multishow Ao Vivo Maria Gadú, que é lançado este mês pelo slap (selo de novos artistas da Som Livre) em parceria com o Multishow em três formatos: dois CDs (o Somos, que sai agora com os sucessos e covers, e o Todos que virá em breve com as participações), DVD e kit Premium, este com o conteúdo completo em áudio e vídeo (dois CDs e um DVD) em uma embalagem especial.

Com direção de Joana Mazzucchelli, produção musical de Rodrigo Vidal e cenários de Zé Carratu, o CD e DVD trazem a apresentação realizada dia 29 de julho em um Credicard Hall (SP) lotado. Ao lado de seus companheiros de banda, Cesinha (bateria), Doga (percussão), Maycon (teclados), Gastão Villeroy (baixo) e Fernando Caneca (guitarra), Maria Gadú apresentou o show que levou Brasil afora durante um ano, com novidades que enriqueceram ainda mais o espetáculo: um quarteto de cordas, participações especiais e novo cenário.
Na primeira das três partes do DVD, a abertura com “Encontro”, de sua autoria, mostra o grande feito de Maria, que usou como armas apenas sua voz, simplicidade e simpatia. Com a platéia uníssona acompanhando-a, interpretou seu repertório autoral, como “Bela Flor” e seu primeiro sucesso “Shimbalaiê”, presente na trilha da novela Viver a Vida e composta por ela em Ilha Grande aos 10 anos de idade. Bastou puxar os versos “Todos caminhos trilham pra a gente se ver/Todas as trilhas caminham pra gente se achar, viu”, para a platéia completar a bela letra de “Tudo Diferente”, de André Carvalho.

Apresentando seu novo (e primeiro) clipe no telão ao fundo, entoou a emocionante “Dona Cila”, composta para sua falecida avó, interpretada por Neuza Borges no vídeo. A primeira inédita, “Lanterna dos Afogados” (Herbert Vianna), inesquecível na voz dos Paralamas do Sucesso, casou perfeitamente com seu timbre, seguida por “A História de Lilly Braun” (Chico Buarque/ Edu Lobo), tema da minissérie “Cinquentinha” da Rede Globo.

A primeira mudança de cenário e a entrada do quarteto de cordas, composto pelos músicos Aramís Rocha, Daniel Pires, Deni Rocha e Robson Rocha, cujos arranjos foram feitos pela própria Maria e por Maycon Ananias, marcam a grande comemoração da cantora. Em “Altar Particular” (Maria Gadú) ela recebeu, emocionada, seu primeiro convidado. Caio Soh subiu ao palco e complementou o cenário com uma performance de poesia utilizando apenas um quadro e uma caneta. A alegria de Gadú ao chamar seus convidados é contagiante. Dividiu o microfone com Luiz Murá em “Paracuti”, composta pela dupla, Dani Black em “Aurora” e seu fiel companheiro Leandro Léo em “Linda Rosa” (Gugu Peixoto/ Luiz Kiari). Ao lado dos Varandistas (Áureo Gandur, Gugu Peixoto, Tomas Lenz, Fred Sommer, Luiz Kiari e Leandro Léo), projeto do qual faz parte, levou a bonita “A culpa” e convidou Luiz Kiari para acompanhá-la na canção “Quando fui Chuva”. Neste momento, Maria emprestou o palco para Leandro Léo arrancar aplausos ao interpretar sozinho “João de Barro” (Leandro Léo), para logo depois fazerem dueto em “Laranja” (Maria Gadú).

Mais uma mudança de cenário e tem início a terceira parte do show, com mais sucessos e covers inéditos que Maria Gadú apresentou pelo Brasil e exterior, cantados à sua maneira. Deu uma nova roupagem dramática para “Trem das onze”, de Adoniran Barbosa, e, inconfundível, levou “Filosofia” (Noel Rosa) combinada a “You Know I’m Good” (Amy Winehouse), “Quase Sem Querer” (Dado Villa Lobos/Renato Russo/Renato Rocha) e “Who Knew” (Lukasz “Doctor Luke” Gottwald/M. Martin/P!nk) da P!nk. Também integram esta parte as autorais “Lounge” e “Escudos”, para fechar com “Ne Me Quitte Pas” (Jacques Brel), as três de seu primeiro CD Maria Gadú.
Nos extras, a surpresa de Gadú ao ver Sandy “invadir” o palco enquanto cantava “Quando você passa (Turuturu)” mostra o tom divertido e emocionante que envolveu todo o projeto, que também pode ser visto nas filmagens dos bastidores e nos depoimentos da cantora. O DVD traz ainda os Varandistas em “Maze” (Tomaz Lenz), o clipe de “Dona Cila” e canções gravadas em estúdio em parceria com seus amigos. Toni Ferreira, Dani Black e Manuh cantam com Maria suas próprias composições “Reflexo de Nós”, “Só Sorriso” e “You’ve Got’a Believe (Wutz Going On)” respectivamente, Camila Wittman e Bruno Piazza levam “Castelos” (Camila Wittman) e a família Gadú – Philippe Gadú, Bernard Gadú, Marc Gadú, Patrick Gadú e Maria Gadú – se reúne em “I Can See Clearly Now” (Johnny Nash).

Outras informações:

Censura: 16 anos – de 12 a 16 anos (somente acompanhado dos pais ou responsáveis

Floripa Music Hall
Henrique Valgas, 113
Florianópolis/SC Telefone
(48) 3222-8416 Site
www.floripamusichall.com.br

Horário de abertura: 21:00hs
Horário de início: 22:00hs
Censura: – 16 anos*

CONVITES – Clique Aqui


spot_img
spot_img

Leia mais