20.6 C
fpolis
sábado, novembro 27, 2021
cinesytem

Camerata Florianópolis se apresenta nesta sexta-feira no Teatro Pedro Ivo

spot_img

Camerata Florianópolis se apresenta nesta sexta-feira no Teatro Pedro Ivo

spot_img

Camerata interpreta Brahms e Sibelius

11 de Junho – 21h l Teatro Governador Pedro Ivo

A Camerata Florianópolis, sob a regência do maestro Jeferson Della Rocca e solos do violinista Oliver Yatsugafu, realiza mais um concerto da 16ª Temporada de Concertos da orquestra, interpretando Sinfonia n°3 em Fá Maior, op.90 de Johannes Brahms e o Concerto para Violino e Orquestra em Ré menor, op. 47 de Jean Sibelius .

A apresentação terá como grande destaque a interpretação sempre vigorosa e apaixonada do violinista Oliver Yatsugafu, considerado como um dos mais destacados de sua geração no país.

O programa tem início com a Sinfonia n°3 em Fá Maior, op.90 de Johannes Brahms (1833 – 1897), escrita durante o verão de 1883 em Wiesbaden. Esta que é a menor das quatro sinfonias que Brahms escreveu, estreou em 2 de dezembro de 1883 pela Orquestra Filarmônica de Viena, sob a direção de Hans Richter, que a proclamou a Eroica de Brahms. O terceiro movimento, Poco Allegretto, cujo tema melancólico é apresentado pelos violoncelos e desenvolvido de forma magnífica é um dos mais conhecidos da obra, tendo sido transcrito para as mais diversas formações instrumentais.

Na segunda parte a orquestra interpretará o Concerto para Violino e Orquestra em Ré menor, op. 47 de Jean Sibelius (1865-1957) .

Lembrado principalmente como um mestre da sinfonia, o compositor finlandês Jean Sibelius compôs apenas um concerto, o Concerto para Violino e Orquestra em Ré menor, op. 47.

É interessante notar que muitos dos grandes concertos para piano foram escritos para os próprios compositores executarem, enquanto que a maior parte dos grandes concertos para violino foi escrita para outros instrumentistas, não raro com a consultoria técnica necessária de renomados violinistas. Sibelius não precisou de qualquer tipo de assistência, por ter tentado um dia se tornar ele mesmo um violinista virtuose.

O compositor começou a trabalhar no concerto em 1902, tendo regido sua estreia em Helsinque, em fevereiro de 1904 com um solista que infelizmente não estava à altura da tarefa. Depois da malfadada premiére, o compositor revisou a obra profundamente. A nova versão foi apresentada em Berlim, em outubro de 1905, com o violinista Karl Halir como solista e regida por Richard Strauss. A peça conquistou gradualmente seu posto de grande concerto, assistida por uma conceituada gravação de 1935, feita pelo jovem Jascha Heifetz.

Hoje, o concerto é um dos favoritos dos violinistas, devido às melodias apaixonadas e impressionantes desafios de virtuosismo. As linhas que definem o solo são brilhantes, e pairam sobre as nostálgicas e escuras cores orquestrais características de Sibelius.

O solista

Oliver Yatsugafu – violino

“Eu o considero um músico sério. Sua performance é baseada em um sólido conhecimento instrumental, excelente técnica e entendimento do fraseado musical”

Janos Acs, maestro dos “Três Tenores” e regente da Ópera de Budapeste.

Oliver Yatsugafu começou seus estudos de violino aos onze anos de idade com Jeferson Della Rocca e posteriormente passou a ser aluno do violinista Paulo Bosísio. Graduou-se Bacharel em Violino pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná na classe de Marco Damm em 2001. Durante a sua juventude, ganhou os primeiros prêmios de vários dos principais concursos brasileiros, dentre os quais destacam-se o Concurso Nacional de Música de Juiz de Fora (MG) e o Concurso Jovens Solistas da Orquestra Petrobrás – Pró Música (RJ), além de ter sido selecionado para integrar a Orquestra Jovem das Américas. Yatsugafu foi spalla e solista da Camerata Florianópolis, da Orquestra de Câmara da PUC-PR, da Orquestra Sinfônica do Paraná e da Orquestra Solistas do Paraná. Atuou também como solista à frente de importantes orquestras nacionais, tais como a Orquestra Petrobrás Sinfônica, a Orquestra Sinfônica do Paraná, a Orquestra Sinfônica da Bahia, a Camerata Florianópolis e a Orquestra de Câmara Solistas de Londrina. Em 2005, passou a ser aluno e assistente do renomado violinista russo Levon Ambartsumian na Universidade da Geórgia (EUA), onde obteve o título de mestre em Performance de Violino em 2007 e de Doutorado em performance em 2010. Yatsugafu é também spalla da UGA Symphony Orchestra e concertino da ARCO Chamber Orchestra. Dentre suas conquistas nos Estados Unidos, destacam-se o primeiro prêmio do Concerto Competition da UGA em 2006 e o concerto com a orquestra ARCO no Carnegie Hall de Nova Iorque em 2008. Embora resida atualmente no exterior, Oliver tem dado continuidade à sua carreira no Brasil, através da realização de masterclasses, recitais de violino solo e música de câmara e de concertos como solista. Tem desenvolvido significativo trabalho musical junto à Camerata Florianópolis, atuando como solista em suas turnês por Santa Catarina (2008 e 2009) e pela Itália (2007), além de responder pela direção artística da Oficina de Cordas de Santa Catarina.

spot_img
spot_img