17.3 C
fpolis
quinta-feira, maio 26, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Cimed/SKY acaba com invencibilidade do Vôlei Futuro em jogo emocionante pela Superliga Masculina

spot_img

Cimed/SKY acaba com invencibilidade do Vôlei Futuro em jogo emocionante pela Superliga Masculina

spot_imgspot_img

Fora de casa, o time tetracampeão da competição fez 2 sets a 0, sofreu o empate e chegou a estar perdendo por 6 a 11 no tie-break, mas virou e derrubou o último invicto do campeonato

A Cimed/SKY estreou em 2012 com uma importante e suada vitória pela Superliga Masculina de Vôlei 2011/12. A equipe tetracampeã da competição foi até Araçatuba (SP) enfrentar o Vôlei Futuro, ganhou os dois primeiros sets, viu o rival empatar e chegar a abrir uma grande diferença no tie-break, mas tirou suas últimas forças para reagir e derrubar o último invicto do campeonato por 3 sets a 2 (25/22, 28/26, 23/25, 23/25 e 15/13), neste sábado (07/01).

Com o resultado, o time comandado pelo técnico Marcos Pacheco chegou aos 13 pontos. Por perder um ponto por ter vencido por 3 a 2, a Cimed/SKY caiu para a quarta posição na tabela de classificação, atrás do líder Vôlei Futuro (16 pontos), do Sesi e do Sada Cruzeiro (ambos com 14 pontos). Porém, todos têm a mesma campanha: cinco vitórias em seis jogos.

O treinador da Cimed/SKY não pôde contar com o ponteiro Giba, o central Gustavo e o líbero Badá para o clássico no interior paulista. A equipe titular entrou na quadra com o levantador Bruno (capitão), o oposto Rivaldo, os centrais Éder e Renato Felizardo, os ponteiros Renato Russomano e João Paulo e o líbero Thales.

No primeiro set, após um início equilibrado, em que a Cimed/SKY foi para o primeiro tempo técnico com apenas um ponto de vantagem, o time tetracampeão da Superliga Masculina deslanchou e tomou o controle do placar, chegando a abrir cinco pontos de diferença na segunda parada. No fim, o Vôlei Futuro reagiu e chegou a encostar no marcador (23 a 22), mas a Cimed/SKY fez dois pontos seguidos e fez 1 a 0 na partida.

A história praticamente se repetiu no segundo set, mas com papeis invertidos. O Vôlei Futuro saiu na frente com um ponto de vantagem no primeiro tempo técnico, abriu uma larga diferença na segunda parada (16 a 10), e a Cimed/SKY reagiu e empatou em 21 a 21. Os donos da casa chegaram a fazer 23 a 21, mas os tetracampeões da Superliga buscaram novamente a igualdade, e a disputa passou a ser ponto a ponto. O fim foi novamente favorável para a Cimed/SKY, que conseguiu virar, fazer 28 a 26 e abrir 2 a 0 em sets.

O terceiro set foi bastante equilibrado, com o placar sempre mínimo com vantagem para o Vôlei Futuro. No fim, os mandantes abriram a vantagem suficiente para administrar o marcador e fechar em 25 a 23, diminuindo para 2 sets a 1 para a Cimed/SKY.

O placar de 25 a 23 a favor dos donos da casa se repetiu no quarto set, e o jogo foi para o tie-break, que foi quase todo a favor do Vôlei Futuro, que abriu vantagem e chegou a estar vencendo por 11 a 6. Os mandantes só não contavam com uma grande reação da Cimed/SKY, que assumiu o controle do jogo, mesmo com tudo contra, com uma tática arriscada, mas corajosa.

Graças a um saque agressivo de Bruno, a Cimed/SKY chegou ao empate. Já com o saque forçado de Renato Felizardo, os tetracampeões da Superliga Masculina fizeram 15 a 13 no último set, fechando o confronto em 3 a 2.

Com um aproveitamento acima da média na recepção, Renato Russomano ficou com o prêmio Viva Vôlei de melhor jogador da partida.

Após o jogo, o técnico da Cimed/SKY, Marcos Pacheco, destacou a coragem do time de arriscar no momento mais tenso da partida, que resultou na virada que levou à vitória sobre o Vôlei Futuro. “Naquele momento dos 11 a 6 para eles, tínhamos de optar por algo mais arriscado. Algumas opções eram até bem radicais, mas foi o que fizemos. Optamos por um saque mais agressivo, que minou uma bola muito boa dos atacantes dele, e priorizamos alguns atacantes. Tivemos muita felicidade nessas escolhas. Deu certo!”, afirmou o treinador, que exaltou a entrega do seu grupo.

“A vitória foi do estudo de todos, da competência do grupo, da comissão técnica que nós temos e dos jogadores. Eles abraçaram 100% todas as determinações que passamos. Temos um grupo muito bom, que entendem tudo o que nós queremos passar e executam na quadra. O time como um todo funcionou muito bem”, concluiu Pacheco.

Esse foi apenas o primeiro difícil desafio da Cimed/SKY na semana. O próximo jogo é um novo confronto direto pelas primeiras posições, contra o Sada Cruzeiro, no ginásio Capoeirão, em Florianópolis (SC), nesta quarta-feira (11/01), às 21h00, com transmissão do SporTV (canal 39 da SKY).

Confira os resultados da Cimed/SKY na Superliga Masculina 2011/2012:
11/12/2011 – Londrina/Sercomtel 0 x 3 Cimed/SKY (17/25, 21/25 e 22/25), em Londrina (PR)
14/12/2011 – Cimed/SKY 3 x 2 Medley/Campinas (25/17, 21/25, 16/25, 25/20 e 17/15), em Florianópolis (SC)
17/12/2011 – BMG/Montes Claros 0 x 3 Cimed/SKY (18/25, 24/26 e 24/26), em Montes Claros (MG)
20/12/2011 – Cimed/SKY 1 x 3 RJX (25/23, 20/25, 21/25 e 18/25), em Florianópolis (SC)
23/12/2011 – Cimed/SKY 3 x 0 Vivo/Minas (25/20, 25/20 e 25/19), em Florianópolis (SC)
07/01/2012 – Vôlei Futuro 2 x 3 Cimed/SKY (22/25, 26/28, 25/23, 25/23 e 13/15), em Araçatuba (SP)

Confira os próximos jogos da Cimed/SKY pela Superliga Masculina 2011/2012:
11/01/2012 – Cimed/SKY x Sada Cruzeiro, em Florianópolis (SC), às 21h00 (com SporTV)
14/01/2012 – Sesi x Cimed/SKY, em São Paulo (SP), às 21h00 (com SporTV)
18/01/2012 – Cimed/SKY x Volta Redonda, em Florianópolis (SC), às 20h00
21/01/2012 – UFJF x Cimed/SKY, em Juiz de Fora (MG), às 19h00
25/01/2012 – Cimed/SKY x BMG/São Bernardo, em Florianópolis (SC), às 20h00
28/01/2012 – Cimed/SKY x Londrina/Sercomtel, em Florianópolis (SC), às 20h00

spot_img