15.1 C
fpolis
sexta-feira, julho 1, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Congresso Empresarial Catarinense reuniu boa parte do PIB catarinense

Congresso Empresarial Catarinense reuniu boa parte do PIB catarinense

spot_imgspot_img


Evento recebeu mais de mil empresários durante três dias

O Congresso Empresarial Catarinense despede-se da sua edição 2008 com perspectivas para sua realização no próximo ano, no mês de novembro. Convênios, negócios, apresentações de cases e troca de experiências marcaram o mais importante evento do gênero já realizado em Santa Catarina.

Na avaliação dos organizadores, o Congresso Empresarial Catarinense encerrou com saldo positivo para o público, expositores e palestrantes. Durante três dias estiveram reunidos no CentroSul, em Florianópolis, mais de mil empresários que se dividiram nas atividades do 12° Encontro Estadual do Empreender, 14° Encontro Estadual da Mulher Empresária, 8° ECAJE – Encontro Catarinense do Jovem Empreendedor, 1° Feira de Soluções Empresarias e 2° Workshop para Executivos de Associações Comerciais e Industriais. Estes eventos aconteceram paralelamente e tornaram o CentroSul o local onde por três dias boa parte do PIB do estado esteve discutindo soluções, inovações, experiências e os formatos de união e representatividade da classe empresária.

Destaques
Na abertura geral do evento, na noite do dia 13 de novembro, Mário Castelar, Diretor da Divisão de Inovações da Nestlé do Brasil, deu o recado geral do evento neste momento de crise: “inovar para se manter firme no mercado”. Castelar falou para uma atenta platéia sobre os segredos que fazem a Nestlé atingir 98% dos lares brasileiros. Entre as revelações, o contato humano e o tratamento interpessoal em primeiro lugar.

Expositores satisfeitos
A 1° Feira de Soluções Empresarias funcionou do dia 12 a 14 e surpreendeu os expositores. “Queria que a Feira tivesse mais dias porque o público é bastante direcionado e o volume de visitas ao estante é bastante substancial”, diz Maria Claudete Arruda, da Maxxim Informática, empresa que ofereceu móveis coorporativos no evento. Embora a Maxxim não tenha fechado negócios efetivos, houve expositores que saíram da Feira comemorando. Ewerson Luis Wiethorn, da Capital Contabilidade, fechou negócios suficientes para cobrir as despesas da participação desta, e da próxima edição da feira, prevista para novembro de 2009. “No próximo ano a tendência da feira é apenas crescer”, argumenta Ewerson assegurando sua participação na Feira de Soluções em 2009. Tida como um ambiente propício ao relacionamento, a 1° Feira de Soluções Empresarias foi propícia para estreitar a relação entre os prestadores de serviços e os empresários que passaram pelo evento. A Neo Gestão de Negócios é um dos exemplos de empresas que passaram pelo evento com objetivo extremamente institucional. “A Neo trocou de marca e por isso nos unimos à Globulo, que atua na gestão de marcas, para apresentar neste estande o nosso novo formato e acreditamos que tenha sido um bom local para expor nossos novos conceitos já que o público que passou pelo nosso estande tem o perfil que nossa empresa busca no mercado”, argumenta Caroline Bolsoni, sócia da empresa.

Cases
O 12°Encontro Estadual do Empreender reuniu nos salões do CentroSul os núcleos setoriais de todo O Estado e seus cases. O programa Empreender prevê basicamente que empresários de um mesmo setor se unam para buscar soluções e caminhos que gerem benefícios para todo o setor, tornando sadia a visão da concorrência. Entre as discussões das reuniões deste encontro estiveram os “Projetos e resultados do empreender competitivo”, “Meio ambiente e sustentabilidade”, “O empreendedorismo no desenvolvimento de um programa de sucesso”, “Comércio exterior”, “Encontro Comerciais de ACIs e Soluções Empresariais” e “Comunicação”, “Cooperativas de crédito no sistema FACISC” e “Liderança Empresarial”. Para Dilvo Tirloni, presidente da ACIF, “a criação de novos núcleos setoriais precisa ser incentivada, atualmente temos 14 núcleos na ACIF e queremos chegar a 25 em dois anos”.

Financiamentos
No 8° ECAJE – Encontro Catarinense do Jovem Empreendedor, foram vários os momentos marcantes. Na manhã do dia 14 a assinatura de convênios refletiu dois dos focos dos jovens empresários do Estado: fomento e formação. Um dos convênios foi firmado entre o CEJESC – Conselho Empresarial do Jovem Empreendedor de Santa Catarina, e o Banco do Brasil. O Banco vai oferecer linhas de crédito aos jovens empreendedores através dos 36 núcleos destinados a este público disponíveis em associações empresariais em todo o estado de Santa Catarina. Estes empréstimos terão juros reduzidos para abertura de novos negócios ou expansão de negócios já existentes e procura beneficiar empresas que faturem até R$ 5 milhões por ano. Outro evento foi firmado pensando na formação e capacitação dos jovens empreendedores e foi assinado com a SOCIESC visando oferecer cursos de capacitação com foco nos empresários que já atuem no mercado. Este convênio, que vai assegurar o início das aulas para a primeira turma deste curso de capacitação em administração de empresas em março de 2009. As aulas irão acontecer em Florianópolis nas sextas e sábados a cada quinze dias num total de 120 horas/aula. Os professores serão do corpo docente da Fundação Getúlio Vargas e, segundo André Gaidzinski, presidente do CEJESC, “esta será uma oportunidade para profissionais que já exercem a função de administrador tirarem dúvidas e se atualizarem nos processos de gestão. Ainda fez parte das atividades do 8° ECAJE, a dinâmica WindjammerT, da empresa canadense Eagle’s Flight, que atua em treinamentos corporativos famosos em todo o mundo.

Mulher Empresária
O 14° Encontro Estadual da Mulher Empresária e o 1° Encontro Sul Brasileiro da Mulher Empresária discutiram como tema central as franquias. Nomes como Carlos Serpa, da Avante Consultoria, Alexandre Guerra e Figueira Nagashima, da rede Giraffa´s, Maria Teresa Duhá Schultz, da rede Quatrun English Scholl e Guilherme Jacob, da AKAKIA Cosméticos demonstraram para um público de 300 empresárias as vantagens e seus cases de sucesso. Para Neiva Kieling, Coordenadora da Câmara da Mulher Empresária da ACIF – Associação Comercial e Industrial de Florianópolis, “o Congresso foi um espaço de intercâmbio de experiências e capacitação do empreendedorismo feminino, e estes dois encontros demonstram que a demanda das mulheres empresárias do Estado e Sul do Brasil estão no mesmo patamar de relevância no meio empresarial”.

Empresas Centenárias
Além destes encontros específicos, um dos pontos altos do Congresso Empresarial Catarinense ficou por conta da entrega de um troféu às empresas centenárias. Foram homenageadas quinze empresas que estão há mais de cem anos contribuindo com a economia catarinense. A maioria destas empresas é do setor têxtil e teve sua origem no vale do Itajaí. Foram homenageadas: Buetnner S/A, Casa Busch, Carlos Hoepche, Cia Fabril Lepper, Cia Hering, Döhler S/A, Fábrica de Tecidos Carlos Renaux, Farmácia Keunecke, Firma Weege – Malhas Malwee, Grupo Baumgarten, Grupo H. Carlos Schneider, Indústria de Vinagre e Plástico Heinig, Karsten S/A, Mayerle Boonekamp Ltda e ACIB, Associação Empresarial de Blumenau. Para encerrar o Congresso os empresários de todos os encontros paralelos reuniram-se para ouvir a palestra de Luciano Burti. Apesar de ter cursado apenas dois semestres de administração e admitir não ter aptidão acadêmica, sua experiência de vida nas pistas foi repassada citando links com a vida empresarial. Junto com as palavras de Burti, algumas outras impressões gerais do Congresso traduzem o encontro. Para Udo Döhler, Presidente da Döhler S/A e presidente da Associação Empresarial de Joinville, “líder empresarial é quem consegue equilibrar capital com talento. O lucro associado ao social e à sustentabilidade é o caminho dos novos líderes”. Luiz Carlos Furtado Neves, presidente da FACISC, defendeu que o associativismo em Santa Catarina passou a ser uma cultura de empresas locais e que gera um resultado benéfico para toda a sociedade. Osmar Vicentin, coordenador do Programa Empreender em Santa Catarina resumiu o Congresso Empresarial Catarinense como um momento de superação tanto para quem propôs quanto para quem participou do encontro e um evento que demonstrou momentos e temas que o empresariado precisa e merece neste atual cenário empresarial.”Para 2009 o Congresso Empresarial Catarinense deve ser ainda mais elaborado tanto em forma como em conteúdo, se tornando um evento indispensável na agenda dos empresários de Santa Catarina”, completa Vincentin.

spot_img