24.4 C
fpolis
domingo, novembro 28, 2021
cinesytem

Documentário reconta a agitada década de 70 em Florianópolis

spot_img

Documentário reconta a agitada década de 70 em Florianópolis

spot_img

Ilha 70, série em três episódios produzida pela Vinil Filmes, foi atração da RBS no Santa Catarina em Cena em abril.

O mundo fervia em transformações comportamentais, estéticas e políticas e a geração 70 de Floripa deu sua resposta particular: abriu olhos, ouvidos e mentes pacatas para o futuro que se anunciava.

Turma do Kioski, Moda, Música, Palhostock, Beto Stodieck, Estúdio A2, Surf, Joaquina, Doces Bárbaros, Prata Palomares, Ditadura, Novembrada…um período de fatos e personalidades alucinantes vivendo em uma cidadeque se transformava rapidamente com o desenvolvimento urbano.

Os três episódios de Ilha 70 são apresentados como uma colagem pop dinâmica, cheia de cores e texturas setentistas, entrevistas com gente que fez e aconteceu, grafismos e raros materiais de arquivo, embalados ao ritmo pulsante do rock.

Ilha 70 recupera um trecho importante da história de Florianópolis que explica muito do que a cidade é hoje. Passado e presente dialogam em uma narrativa ágil, moderna e emocionante.

EPISÓDIO 1 Exibido em 10 de abril 2010

EPISÓDIO 2 exibido dia 17 de abril de 2010

EPISÓDIO 3 exibido dia 24 de abril de 2010

Informações:

Vinil Filmes (48) 3204-7557
www.vinilfilmes.blogspot.com


EPISÓDIO 1 Exibido em 10 de abril 2010

– A transição dos anos 60 para os 70: Quando a tranquila Ilha começa a se abrir para as revoluções de um mundo novo.

– A Turma do Kioski: Na praça Benjamin Constant, centro de Florianópolis, ficava um barzinho que era o ponto de encontro de uma turma de jovens que mudou a cabeça da cidade.

– Prata Palomares: No começo dos 70, artistas de São Paulo chocam a cidade ao aportarem para as filmagens de um longa-metragem que é pura contracultura.

– Moda: Roupa é comunicação para os cabeludos dos anos 70 – batas indianas, bocas de sino, vestimentas coloridas, andróginas e ousadas anunciavam um novo padrão de comportamento.

O mundo fervia em transformações comportamentais, estéticas e políticas e a geração 70 de Floripa deu sua resposta particular: abriu olhos, ouvidos e mentes pacatas para o futuro que se anunciava.

Turma do Kioski, Moda, Música, Palhostock, Beto Stodieck, Estúdio A2, Surf, Joaquina, Doces Bárbaros, Prata Palomares, Ditadura, Novembrada…um período de fatos e personalidades alucinantes vivendo em uma cidadeque se transformava rapidamente com o desenvolvimento urbano.


EPISÓDIO 2 exibido dia 17 de abril de 2010

– Palhostock: Hippies invadem a pequena Palhoça para três dias de rock, paz e amor aos moldes do mítico Festival de Woodstock.

– Estudio A2: Os novos artistas se apresentam através da galeria de Beto Stodieck e Pedro Paulo Peixoto: Vera Sabino, Eli Heill, Hassis, Meyer Filho, Rodrigo de Haro, Max Moura e outros grandes talentos revolucionam a cena.

– Teatro: O teatro em florianópolis ganha ares libertários, com a arena criada no ameaçado Miramar e as encenações do enfant terrible Sérgio Lino.

– As transformações urbanas: Ponte Nova, Aterro, verticalização e ocupação acelerada. Floripa: uma cidade nova ontem e hoje.


EPISÓDIO 3 Exibido em 24 de abril

– Surf: Os pioneiros das ondas, a descoberta da Joaquina, o Rock, Surf & Brotos – um esporte que vira febre da juventude e transforma a relação da garotada com a praia.

– Beto Stodieck: A influência do jornalista e agitador cultural, ícone de uma geração, que preparou a cidade para o futuro.

– A Prisão de Gil: Florianópolis se torna notícia em todo o país quando o delegado Elói prende o cantor Gilberto Gil, por porte de maconha, durante a turnê de Os Doces Bárbaros.

– Novembrada: Estudantes juntam-se à população de Florianópolis e se revoltam contra a visita do presidente Figueiredo, numa manifestação símbolo do período final da ditadura no Brasil.


ILHA 70 – Ficha Técnica

Uma produção Vinil Filmes

Direção e roteiro: Marco Martins e Loli Menezes

Direção de Produção: Renato Turnes

Assistentes de Produção: Breno Turnes e Milena Moraes

Direção de Fotografia: Marx Vamerlatti

Som Direto e Mixagem: Léo Gomes

Assistente de Som Direto: Gabriela Damasceno

Edição: Marco Martins

Finalização e Créditos: Gustavo Monteiro

Argumento: Sandra Meyer

Pesquisa: Larissa Schimidt, Marco Martins, Loli Menezes e Renato Turnes

Apoio: Biezza Restaurante

Com informações do Canal da Vinil Filmes no YouTube – http://www.youtube.com/user/vinilfilmes

spot_img
spot_img