23.1 C
fpolis
terça-feira, novembro 30, 2021
cinesytem

Estudante catarinense cria coleção de fantasias para crianças com autismo

spot_img

Estudante catarinense cria coleção de fantasias para crianças com autismo

spot_img

Peças trazem conforto, ajudam na socialização e coordenação motora

Um aluno do curso de Design de Moda da Estácio – unidade São José criou uma coleção de fantasias voltada para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA). William Ortiz, de 22 anos, é estudante do 7º período e inspirado nas dificuldades dos portadores de TEA criou modelos exclusivos que proporcionam às crianças conforto, além de auxiliar na coordenação motora, na aceitação de novos materiais e na socialização. O TEA engloba diferentes condições marcadas por perturbações do desenvolvimento neurológico e tem três características fundamentais: dificuldade de comunicação por deficiência no domínio da linguagem e no uso da imaginação para lidar com jogos simbólicos; dificuldade de socialização, e padrão de comportamento restritivo e repetitivo. A coleção, batizada de “Iti Malia”, passou por um processo básico que teve início com uma pesquisa. “Mergulhei nas pesquisas sobre a psicologia das cores e como cada uma influência no desenvolvimento das crianças, quais cores ajudam a acalmar, interagir e socializar”, explicou William.

Mas as pesquisas de William foram muito além das cores. O estudante conta que precisou entender o dia a dia das crianças com TEA para definir os tecidos a serem usados, assim como os personagens que dariam forma às fantasias. “Pesquisamos também os tecidos que poderiam ser usados. São tecidos 100% algodão, fibras de moletom e malhas mais leves, próprias para o calor. A última parte foi a escolha dos personagens. O tema precisava ser lúdico para estimular o interesse das crianças – assim nasceu a raposa, o dinossauro e o pato”, disse.

A partir da escolha dos personagens começou a confecção das fantasias, que tem todas as partes removíveis. Além disso, são presas com velcro para facilitar o manuseio. “Tive o cuidado com a funcionalidade das peças e deu tudo muito certo. As fantasias tiveram uma aceitação ótima, as crianças quiseram manusear as peças sozinhas, o que é uma grande vitória”, finalizou.

A coleção do estudante foi apresentada durante o desfile de Moda Inclusiva realizado pela faculdade e que tem como objetivo propor um novo olhar sobre a moda. A coordenadora do curso Designer de Moda da Estácio unidade São José, Jamilly Machado, explica que o evento chegou em sua sétima edição em novembro de 2019, ano em que William apresentou sua coleção. “ Ver que nossos alunos conseguem pensar em um público geralmente desassistido dos padrões de Moda global, e ver a criatividade e estética em prol da inclusão na Moda é gratificante”, completou a coordenadora.

spot_img
spot_img

Leia mais