16.9 C
fpolis
sexta-feira, outubro 22, 2021
cinesytem

Grande Florianópolis receberá barco para demonstração de transporte coletivo marítimo

spot_img

Grande Florianópolis receberá barco para demonstração de transporte coletivo marítimo

spot_img

Catamarã, que custa R$ 1,5 milhão, deve chegar à região no próximo dia 15

No dia 15 de abril as águas das baias da Grande Florianópolis receberão um barco catamarã para uma demonstração de transporte coletivo pelo mar. A embarcação vai sair da Capitania dos Portos, na Capital, passar por Biguaçu, Governador Celso Ramos, São José, além de Palhoça, que está desenvolvendo um projeto para implantar o sistema e está a frente de uma proposta de criação de um consórcio intermunicipal.

Nesse dia, prefeitos e secretários vão testar o barco e depois será marcada uma reunião para assinar o protocolo de intenções para o sistema de transporte marítimo na região. O catamarã que será apresentado foi fabricado pela empresa gaúcha BBBarcos (nome fantasia da Emisul) e passará por Santa Catarina, quando estiver indo ser entregue a Aeronáutica, no Maranhão.

O barco é idêntico ao testado na quinta-feira para a linha hidroviária entre Porto Alegre e Guaíba , no Rio Grande do Sul. Lá a operacionalização deve começar em setembro. O exemplar de R$ 1,5 milhão conta com 120 lugares, dois banheiros e televisão de LCD.

Segundo o secretário da Indústria e Comércio de Palhoça, José da Silva Mattos, o objetivo da prefeitura é criar o consórcio regional, mas independente das negociações, o plano específico para a cidade seguirá.

A expectativa é que o município entregue até o fim deste mês o projeto para a avaliação da Superintendência do Patrimônio da União, Capitania dos Portos e Fundação Municipal do Meio Ambiente. Se for acordado o consórcio, cada cidade terá de fazer seus projetos com os pontos de embarcação, além de pedir as licenças ambientais individualmente.

— Palhoça está iniciando, mas queremos que seja um plano metropolitano. A gente pode começar e fazer a integração gradativa — diz Mattos.

Após receber as autorizações, a sequência é a abertura do processo licitatório, já que o objetivo é oferecer o serviço por meio de concessão, explorado pela iniciativa privada e controlado pelo poder público.

A criação do sistema começou a ser debatido no dia 17 entre o prefeito de Palhoça, Ronério Heiderscheidt, e secretários da Capital. O transporte marítimo é visto como uma possibilidade de diminuir o caos no trânsito já saturado da região.

No entanto, a desvantagem é o alto valor operacional. Por isso, a passagem pode custar até R$ 9, custo superior a viagem de ônibus no trajeto mais distante da região, entre a Praia da Pinheira, em Palhoça, e Centro de Florianópolis, que é de R$ 6,25.

Catamarã

É uma embarcação de duplo casco, com 120 lugares
Tem 18 metros de comprimento e 6,1 metros de largura
A velocidade média e de 45km/h
Tem poltronas estofadas e quatro aparelhos de ar condicionado
Conta com dois banheiros (masculino e feminino)
Tem duas TVs LCD de 42 polegadas, DVD e sistema de som
Está equipado com salva-vidas e boias infláveis
Tem quatro tanques de combustível para 500 litros de diesel cada

Por Roberta Kremer | roberta.kremer@diario.com.br

spot_img
spot_img