21 C
fpolis
segunda-feira, dezembro 6, 2021
cinesytem

Obra no Trevo da Seta deve acabar com filas

spot_imgspot_img

Obra no Trevo da Seta deve acabar com filas

spot_img

Projeto prevê duplicação do trecho que liga Trevo da Seta ao Estádio da Ressacada e a contrução de ponte

Os moradores do Sul da Ilha entraram, ontem, em contagem regressiva para a duplicação da Rodovia Diomício Freitas, entre o Trevo da Seta e o Estádio da Ressacada. O local costuma registrar longas filas de veículos, especialmente em dias de jogos do Avaí, por causa do estrangulamento das pistas para quem trafega pela Via Expressa Sul.

Na teoria, estes problemas estão com os dias contados. Ontem, o presidente do Avaí, João Nilson Zunino, o vice-prefeito da Capital, João Batista Nunes, e a senadora Ideli Salvatti, responsáveis pela idealização do projeto, assinaram o convênio que atesta o recebimento dos recursos por parte da Caixa Econômica Federal para a execução da obra.

O montante de R$ 6,317 milhões será usado na construção de uma segunda ponte, com 280 metros de extensão, e a pavimentação total de 1.220 metros da rodovia, no sentido Centro-Sul da Ilha. Desse total, R$ 5,02 milhões vêm do Ministério das Cidades e do governo do Estado.

– Como presidente do Avaí estou muito feliz, pela resolução de um problema crônico para os torcedores. Mas essa obra é muito mais representativa e beneficiará toda a cidade – destacou Zunino, que bancou o projeto de duplicação e estudo ambiental realizados pela empresa Prosul.

Conforme Roberto Carlos Ceratto, superintendente regional da Caixa, a liberação dos recursos virá após a checagem dos documentos jurídico, técnico e ambiental entregues pelo Departamento Estadual de Infraestrutura. Se nenhum problema for constatado, os recursos serão liberados para a abertura do processo licitatório. O prazo termina no dia 3 de julho por causa da legislação eleitoral.

– Vamos analisar a documentação e, depois, teremos 10 dias para liberar os recursos – explicou Ceratto.

Antônio Odilon Macedo, diretor da Prosul, informou que todas as etapas das obras foram discutidas com a Fundação do Meio Ambiente (Fatma) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), além da comunidade que vive na região. Segundo ele, as maiores dificuldades estão ligadas à construção da ponte e ao trecho inicial da obra, que fica em um terreno baixo.

Se o cronograma for cumprido, a duplicação estará pronta até março de 2011. Já a conclusão do projeto, que inclui a construção de um novo acesso para o Aeroporto Hercílio Luz, depende da liberação de mais R$ 14 milhões por parte do governo federal.

(Por Jean Balbinotti, DC, 11/05/2010)

spot_img
spot_img

Leia mais