Florianópolis, 20 de julho de 2024

Pesquisa clínica: uma esperança para pacientes na luta contra o câncer  

spot_img

Compartilhe


Neste mês de outubro, quando o mundo volta à conscientização sobre o câncer de mama e colo do útero, o CEPEN – Centro de Pesquisa e Ensino em Saúde de Santa Catarina, destaca-se  como um marco de esperança para milhares de pacientes em todo o estado.

O centro realizou aproximadamente 250 estudos de diversas doenças, envolvendo mais de 1300 pacientes e resultando em mais de 30 publicações em revistas científicas de renome internacional nos últimos 25 anos.

“As pesquisas clínicas são essenciais para avaliar a segurança e a eficácia de medicamentos, especialmente no tratamento do câncer. O processo de pesquisa no CEPEN é rigoroso, dividido em várias fases que garantem a qualidade e a segurança dos medicamentos testados”, explica a Dra. Lucilda Cerqueira, médica oncologista e presidente do CEPEN, que hoje tem uma equipe de mais de 20 colaboradores dedicados, incluindo médicos, farmacêuticos, enfermeiros e administradores

Ainda de acordo com ela, participar de pesquisas clínicas oferece diversos benefícios. Os pacientes têm acesso a tratamentos e exames que não podem estar disponíveis na rede pública, por exemplo. Além disso, a pesquisa clínica reduz a judicialização do tratamento, agilizando o início da terapia. A equipe de pesquisa também se beneficia com o aprimoramento técnico-científico, enquanto os congressos e eventos promovem o aprendizado e a divulgação da experiência adquirida.

Fonte de esperança

Os estudos do CEPEN são vistos por muitas pessoas como uma fonte de esperança, como é o caso de diversas mulheres da Rede Feminina de Combate ao Câncer, cujo foco é a prevenção do câncer de mama. “O CEPEN tem sido um grande parceiro da Rede Feminina de Florianópolis. Nós compreendemos a responsabilidade social que o Centro assume ao incluir pacientes em suas pesquisas. Infelizmente, muitas pessoas podem se sentir apreensivas ao ouvir falar de um Laboratório de Pesquisa, quando, na realidade, deveriam encarar esse termo com esperança”, conta Célia de Queiroz, coordenadora do setor educativo da Rede.

Grasielle Peres, diagnosticada com câncer de mama em 2011 e uma metástase em 2015, tornou-se a segunda paciente a receber um medicamento proveniente de uma pesquisa clínica recentemente disponibilizada no mercado, resultado do estudo CLEOPATRA realizado pela companhia suíça Hoffmann–La Roche. Ela compartilha sua história inspiradora: “Quando comecei a tomar a medicação, minhas expectativas de vida eram de apenas 18 meses. Hoje, com oito anos de sobrevida, posso afirmar que os estudos foram um ponto de virada crucial em minha jornada. Eu devo minha sobrevivência a esses avanços na medicina.”

Estudos em Andamento

Atualmente, o CEPEN conduz seis estudos, abordando temas como Linfoma Não Hodgkin, Câncer de Próstata, Câncer Gástrico, COVID-19 em pacientes de alto risco, Mielofibrose e Câncer de Pulmão de células não pequenas. Cada um desses estudos possui uma linha de pesquisa específica e critérios de inclusão variados.

Sobre o CEPEN

Desde sua fundação em 1998, o CEPEN tem desempenhado um papel essencial na busca por tratamentos contra o câncer por meio da realização de estudos clínicos em Santa Catarina. Com mais de 200 protocolos de pesquisa tratados ao longo dos anos, a instituição tem contribuído significativamente para avanços no tratamento do câncer, beneficiando milhares de pacientes.

Fotos / Divulgação CEPEN