30.1 C
fpolis
segunda-feira, janeiro 24, 2022
cinesytem

Profissionais do HU explicam importância do mês dedicado à saúde mental e emocional

Profissionais do HU explicam importância do mês dedicado à saúde mental e emocional

spot_img

A campanha Janeiro Branco foi idealizada para o primeiro mês do ano a fim de aproveitar esse momento de reflexão e de planejamento atrelado à simbologia de recomeço. Assim, o principal objetivo da campanha é discutir a relevância da saúde mental e do cuidado com as emoções.

O chefe da Unidade de Saúde Mental do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC/Ebserh), Deidvid de Abreu, e a psicóloga Francisca Gisela Rocha de Andrade falaram, nesta entrevista, sobre a importância de ter uma data dedicada a este tema e explicaram como o assunto se enquadra no conceito ampliado de saúde, o impacto da pandemia e formas de buscar ajuda.

Por que é importante ter uma campanha dedicada à saúde mental e emocional?

As campanhas são momentos importantes para lembrar e refletir sobre diferentes assuntos relacionados ao campo da saúde. Ter um mês dedicado a saúde mental e emocional faz com que este tema se fortaleça e contribua na melhora da qualidade de vida das pessoas e das comunidades. As atividades realizadas durante o Janeiro Branco buscam sensibilizar e criar uma cultura de atenção as questões de saúde mental, tão necessárias e urgentes nos últimos tempos. 

O movimento, visa também, desmistificar tabus em torno da saúde mental, contribuindo para romper paradigmas cristalizados acerca dessa temática, trazendo à luz questões tão importantes e necessárias para a saúde integral dos seres humanos.

Em que medida a saúde mental e emocional se enquadra no conceito ampliado de saúde?

A partir do momento que reconhecemos a saúde como um fenômeno complexo, todos os fatores e determinantes; sociais, culturais, econômicos e dentre outros, devem ser reconhecidos como importantes. A saúde mental e emocional é de suma importância nos cuidados gerais de saúde, sendo transversal, e quando houver necessidade de auxílio, pode ser identificada, avaliada e tratada por profissionais especializados.

Saúde mental é um tema que está relacionado à forma como a pessoa reage às situações/exigências da vida e ao modo como concilia seus desejos, capacidades e limitações, é saber lidar minimamente com as emoções. Dessa forma, todos esses conceitos citados transcorrem por questões de saúde mental.

De que maneira situações como a pandemia afetaram a saúde mental e emocional das pessoas?

A Pandemia da Covid-19, bem como todo momento de tensão, isolamento, redução de contatos e interações sociais, mudanças significativas de rotina, são períodos de inseguranças que afetam a saúde mental e emocional da população. Observamos um grande número de pessoas afetadas emocionalmente nestes quase dois anos de pandemia, e isso refletiu numa maior procura pelos serviços de saúde por pessoas com queixas de sofrimento psíquico. Neste sentido, o SUS necessita investir ainda mais na formação dos profissionais para que estes se fortaleçam no cuidado da população e contribuam para manter uma sociedade mais salutar. 

Momentos de incerteza, como este pandêmico, podem ser bastante ansiogênicos ocasionando uma instabilidade emocional. Além desse fator já descrito, muitas pessoas tiveram que lidar com a morte de entes queridos, abruptamente,  e sem ter possibilidade  de realizar  rituais  de despedida conforme suas tradições, podendo desencadear um luto complicado.

Um outro aspecto significativo da pandemia, é referente a atenção a eventuais dificuldades emocionais dos trabalhadores da linha de frente do combate à Covid. É importante destacar esta necessidade, de esmero com quem assiste, o “cuidado com o cuidador”.

Como saber se uma pessoa está passando por problemas emocionais? Existem alguns sinais?

Nosso corpo fala e muitas vezes nos mostra como está nossa saúde mental. Muitos sinais auxiliam a perceber que a saúde mental pode estar comprometida.  Alteração do sono, preocupação excessiva, instabilidade do humor, isolamento social, alteração do apetite, choro constante, perda de interesse em atividades que sempre realizou, dores de cabeça constantes, dificuldade mais intensa de lidar com mudanças, recursos adaptativos fragilizados e inabilidade nas relações interpessoais. Por tanto, torno a sobressaltar, quando for percebido alguns desses sintomas, importante buscar ajuda de profissional especializado.

Onde é possível buscar ajuda?

Existem diversas possibilidades de auxílio e busca de ajuda. O SUS, por meio de seus serviços de saúde, é um local central de cuidado, acolhimento e tratamento. Todas as unidades de saúde, localizadas nas diferentes comunidades estão aptas a ofertar cuidados gerais em saúde mental. Estas, são responsáveis por avaliar o grau de sofrimento e iniciar o cuidado em saúde, podendo este ser na atenção primária, atenção secundária ou terciária, de acordo com a gravidade e demandas dos sujeitos.

Além disso, muitas instituições da comunidade e ONGs também realizam ações de cuidado e prevenção, atuando no fortalecimento das relações sociais e comunitárias, e ofertando atividades integrativas realizadas no âmbito do sistema público de saúde. Estar perto de pessoas próximas em que confie é importante, se precisar, procure um profissional de saúde.

editor.deolhonailhahttp://www.deolhonailha.com.br
O DeOlhoNaIlha é um portal de propriedade da NacionalVOX - Agência Digital, de Florianópolis. Seu lema é "Fique por dentro de Floripa" e seu objetivo é deixar os moradores e visitantes da Ilha da Magia muito bem informados sobre tudo o que acontece na cidade e região.
spot_img
spot_img