15.2 C
fpolis
segunda-feira, outubro 18, 2021
cinesytem

Projeto “Cabeças de Pipa” do Caeira ganha prêmio internacional

spot_img

Projeto “Cabeças de Pipa” do Caeira ganha prêmio internacional

spot_img

A série fotográfica “Cabeças de Pipa” de Rafael Vilela foi a grande vencedora de três categorias do PX3 (Prix de la Photographie de Paris), o principal prêmio do gênero na França. O fotógrafo nasceu em São Paulo e está radicado em Florianópolis.

O prêmio vencido pelo estudante de Design da Universidade Federal de Santa Catarina, promove a apreciação da fotografia buscando talentos emergentes e introduzindo fotógrafos de todo mundo para a comunidade artística de Paris.

Rafael destaca-se por participar de projetos sociais que envolvam pequenas comunidades. Prima por um olhar que, através de sua câmera, contemple a beleza do cotidiano. Também desenvolve trabalhos como cinegrafista e produtor cultural.

“Cabeças de Pipa” é fruto da oficina de fotografia que o estudante realizou na comunidade do Caeira, região central de Florianópolis, entre 2010 e 2011. Contratado pelo Projeto Patrimônio Caeira (www.patrimoniocaeira.com.br) que tem apoio da Fundação Catarinense de Cultura.

Após ensinar as principais técnicas da fotografia, Rafael propôs aos seus alunos a fotografarem a cultura da pipa no Caeira. Durante esta atividade, ele percebeu a forte mistura de cores e texturas naquele cenário. Tanto no colorido da seda e da roupa dos meninos quanto o cinza dos paredões em acabamento onde eram retratados.

Ao ver o forte potencial do material que tinha em mãos, ele inscreveu suas imagens no PX3 e faturou três prêmios. Dentro da categoria para amadores, ele levou 1º lugar em retrato em cultura, 1º lugar em retrato de crianças e 1º lugar em retratos geral.

Rafael diz que o conceito ressaltado nesta série é a forte relação dos moradores com a brincadeira de soltar pipas que ultrapassa o próprio objeto e torna-se identidade, comunicação e definição de territórios. Nas imagens apresentadas, os moradores ostentando suas pipas, misturados ao seu colorido característico e ao colorido de suas roupas. Esta tradição, predominantemente masculina, não se restringe, no entanto, a faixas etárias. É possível observar, também, a presença de adultos na prática muitas vezes tida como infantil.

É importante ressaltar os nomes que compõem a curadoria da competição. Gilles Raynaldy, diretor da Purpose de Paris, Natalie Johnson, editora da Digital Photographer Magazine de Londres e Alice Gabriner, editora Mundial de Fotos da Time Magazine de Nova Iorque, são alguns dos nomes.

spot_img
spot_img