15.2 C
fpolis
segunda-feira, outubro 18, 2021
cinesytem

Simpósio discute ações para valorização da cultura Mbyá-Guarani

spot_img

Simpósio discute ações para valorização da cultura Mbyá-Guarani

spot_img

Rica em símbolos que traduzem história, mitos e religiosidade, a arte Mbyá-Guarani transformou-se na principal fonte de renda das comunidades indígenas da Grande Florianópolis. Porém, os índios encontram dificuldades para vender os produtos de sua cultura e sofrem o preconceito de pessoas que os confundem com mendigos ou ambulantes. O assunto é um dos temas do Simpósio “Mbyá Rembiapo – Plano de Ação Integrada para Valorização da Cultura e Comercialização do Artesanato Mbyá-Guarani de Florianópolis”, que inicia nesta quarta-feira (27/04) com várias atividades. A abertura será às 18h30, na sede da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC).

O evento é organizado pela Prefeitura da Capital – por meio da Fundação Franklin Cascaes, Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial (COPPIR), e Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) – contando com o apoio da Fundação Nacional do Índio (FUNAI). A iniciativa visa à construção de parcerias para viabilizar programas e projetos que possam qualificar a produção e dinamizar a comercialização do artesanato Mbyá-Guarani, dando visibilidade à cultura desse povo, ainda pouco conhecida pela população em geral.

Durante dois dias serão realizadas exposições e oficinas, comercialização de produtos indígenas, além de um encontro para discutir ações em andamento e em planejamento, relativas às comunidades indígenas de Palhoça (Morro dos Cavalos e Maciambu) e Biguaçu, que utilizam a região central de Florianópolis como ponto de comercialização da produção.

Exposição e reflexão

Na quarta e quinta-feira, das 9h às 18h, na sede da Fundação Franklin Cascaes, no Forte Santa Barbara, serão realizadas oficinas coordenadas por integrantes das comunidades Mbyá-Guarani, envolvendo brincadeiras, jogos, histórias canto, dança e confecção de artesanato. A visitação é aberta a escolas, mediante agendamento pelo telefone (48) 3324-1415, na FCFFC.

Haverá também exposição e comercialização de artesanato indígena tais como cestos e balaios, esculturas e adornos, entre outros objetos. O Forte Santa Bárbara também vai abrigar a exposição fotográfica “Articulando Saberes: possibilidades de diálogos na escola Indígena Itaty da Aldeia Mbyá-Guarani do Morro dos Cavalos”. A mostra é organizada pela pesquisadora Marliese Vicenzi, do Núcleo de Estudos sobre Identidade e Relações Interétnicas, da Universidade Federal de Santa Catarina.

Na quinta-feira, das 14h às 18h, acontece uma reunião de trabalho na Casa da Memória, no Centro, envolvendo lideranças Indígenas Mbyá-Guarani e representantes de instituições municipais, estaduais e federais.

Herança ancestral

A sociedade Mbyá-Guarani pertence à família Tupi-Guarani e adota o dialeto Mbyá. Os Guarani estão subdivididos em três grupos étnicos: Ñandeva (Xiripá), Kayová pó Pai e os Mbyá, que têm uma história milenar, segundo a tradição oral da tribo. Para os Mbyá-Guarani, os deuses criaram os homens e deram a eles o conhecimento para viver em comunidade, com harmonia nas aldeias (Tekoas) e acreditam que o universo está povoado em parte por almas sagradas e também por almas perigosas.

Os Mbyá-Guarani possuem uma forte espiritualidade, onde a cultura se expressa por meio de rituais e da transmissão do conhecimento com base na oralidade. Os índios dessa etnia buscam a “Terra Sem Males”, o paraíso onde será possível viver na plenitude dos costumes e da tradição, respeitando a harmonia com a natureza.

Serviço:

O Quê: Simpósio “Mbyá Rembiapo – Plano de Ação Integrada para Valorização da Cultura e Comercialização do Artesanato Mbyá-Guarani de Florianópolis

Quando: quarta e quinta-feira (27 e 28/04)

Onde: Forte Santa Bárbara – sede da Fundação Franklin Cascaes

*Abertura do simpósio na quarta-feira (27/04), às 18h30

*Exposição fotográfica, comercialização de produtos e oficinas de arte indígena

na quarta e quinta-feira (27 e 28/04) – das 9h às 18h

Onde: Casa da Memória – Rua Padre Miguelinho nº 58 / Centro

*Reunião de Trabalho na quinta-feira (28/04) – das 14h às 18h

Quanto: gratuito

spot_img
spot_img