21 C
fpolis
sábado, janeiro 29, 2022

Temporada registra queda no movimento, mas bares e restaurantes mantêm otimismo

Temporada registra queda no movimento, mas bares e restaurantes mantêm otimismo

spot_img

Pesquisa feita pela Abrasel SC revela que 53% dos empresários entrevistados consideraram esse início de ano pior do que o verão passado. Porém, 46% deles acreditam que o movimento possa melhorar durante o ano

A segunda etapa da pesquisa sobre o movimento nos bares e restaurantes do litoral catarinense durante a temporada, realizada pela Abrasel Santa Catarina, revela queda no fluxo de turistas na maior parte do Estado, com uma única exceção: Florianópolis. Ao contrário do resultado da primeira etapa – que avaliou o período de 20 de dezembro de 2008 a 3 de janeiro de 2009 –, quando cerca de 70% dos proprietários de bares e restaurantes registraram uma melhoria no movimento, a pesquisa que avalia os meses de janeiro e fevereiro não foi tão boa, com 53% dos entrevistados registrando queda no fluxo de turistas, em comparação a 2008. Segundo o presidente da Abrasel, Ézio Librizzi, a temporada é dividida em dois picos: o reveillon e o carnaval. “Esses feriados são as melhores épocas do ano para o setor. Se o fluxo de turistas não tivesse sido tão alto no fim do ano, talvez o resultado da pesquisa fosse ainda pior”, afirma o presidente. A pesquisa engloba estabelecimentos dos litorais Norte, Sul Central e das principais regiões da Capital, como Lagoa da Conceição, Ilha-Centro, Ilha-Norte e Ilha-Sul.

A pesquisa revelou ainda que houve uma disparidade relevante no fluxo de visitantes em cada região. Os estabelecimentos do litoral Norte, por exemplo, foram os mais prejudicados, com 75% dos empresários considerando esta temporada pior do que a do ano passado. Já em Florianópolis, 61% acharam que esse início de ano foi melhor do que o verão anterior. Só na região Sul da Ilha, 77% dos estabelecimentos avaliaram positivamente esta temporada. “Esse resultado pode ser vinculado ao espaço que a região teve na mídia nacional nos últimos tempos”, comenta Ézio Librizzi, presidente da Abrasel SC. Porém, 54% dos empresários da Lagoa da Conceição avaliaram o mês de janeiro como ruim. De acordo com a pesquisa, isso foi conseqüência do trânsito com as longas filas no morro da Lagoa.

Por diferentes motivos, o movimento nas regiões Norte, Sul e Central do Estado foi considerado pior este ano. Na região Sul, o principal motivo apontado pelos entrevistados é a duplicação da BR-101, que dificulta o acesso às praias do Sul. No Norte, os empresários acreditam que as fortes chuvas ocorridas no mês de novembro prejudicaram a vinda de turistas. Um fator curioso que a pesquisa revelou é que essa região, que apresentou um dos piores resultados, é também onde o setor está mais esperançoso para o restante do ano. Para 75% dos entrevistados a expectativa é boa. O motivo é o calendário de 2009, que, com mais sete feriados nacionais pela frente, deve atrair muitos visitantes para o Estado. “Os empresários ficaram descontentes com a movimentação nesse início de ano. No entanto, acreditam que o restante de 2009 será positivo devido ao grande número de feriados”, afirma Librizzi.

No litoral Central do Estado, a pesquisa, que centralizou as cidades de Palhoça e Governador Celso Ramos, levantou que 56% dos entrevistados tiveram queda de até 10% no mês de janeiro. O mês seguinte foi ainda pior, com 25% do setor registrando queda superior a 10%. Sobre o poder aquisitivo dos visitantes, todos os entrevistados consideraram menor nesta temporada.

Outro ponto positivo da pesquisa coloca os argentinos em evidência. Devido à valorização da moeda americana, os hermanos voltaram a lotar as praias catarinenses. Do total, 28% dos entrevistados registraram aumento no número de argentinos neste verão. Entre os brasileiros, os que mais curtiram as férias no litoral catarinense e utilizaram os bares e restaurantes como ponto de consumo foram os paulistas. Sobre a expectativa para o restante do ano, a pesquisa mostrou que os empresários estão esperançosos. Do total, 46% dos entrevistados esperam aumento no movimento. O motivo também é o calendário de 2009. “É importante que o setor esteja preparado para atender bem essas pessoas. Os restaurantes devem estar sempre melhorando seus serviços e se profissionalizando”, comenta Librizzi.

No total, foram entrevistados cem restaurantes entre os dias 2 e 3 de março de 2009. A pesquisa foi realizada de acordo com a percepção de cada empresário.

Foto ilustrativa: Lagoa da Conceição / DEOLHONAILHA.COM.BR

spot_img
spot_img