15.1 C
fpolis
sábado, setembro 25, 2021
cinesytem

Adélia Borges é escolhida curadora da Bienal Brasileira de Design em Florianópolis

spot_img

Adélia Borges é escolhida curadora da Bienal Brasileira de Design em Florianópolis

spot_img

Adélia Borges, jornalista, professora de história do design, autora de diversos livros sobre o tema e ex-diretora do Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, foi escolhida pelo Comitê de Orientação Estratégica da Bienal (COEB) como curadora da V Bienal Brasileira de Design, em maio de 2015, em Florianópolis. 

O tema da Bienal já estava escolhido previamente, “Design para todos”. Adélia afirma que “esta é uma questão muito oportuna”, pois “no Brasil ainda persiste uma visão de que o design é algo elitista, voltado para as classes sociais de maior poder aquisitivo. Também há uma compreensão equivocada do design como um acessório cosmético, algo como a cereja em cima do bolo”.

Adélia Borges foi curadora de exposições em Amsterdam, Buenos Aires, Milão, Paris, Tóquio e outras grandes cidades do exterior. No Brasil, dedicou-se a exposições em espaços como Masp, MAM, Paço Imperial, Museu Nacional e Sesc Pompéia. Em 2010, foi a curadora da Bienal Brasileira de Design realizada em Curitiba.

Seu papel será o coordenar um conjunto de exposições que tenham uma representatividade nacional. Ela pretende também equilibrar a dimensão internacional do evento com a necessária empatia com o Estado que o recebe – Santa Catarina. “Os catarinenses têm o quarto estado mais industrializado do Brasil, uma produção rica e diversificada e o melhor índice de desenvolvimento humano do país”, destacou.

O próximo passo da curadoria é a elaboração do projeto, fase que deve encerrar apenas em abril. Até lá, serão definidos a exposição principal, a inclusão de um módulo internacional, as outras exposições e seus respectivos curadores, além da realização de pesquisas junto a profissionais e escritórios de design em todo o país, para posterior seleção dos trabalhos.
 

spot_img
spot_img

Leia mais