24.9 C
fpolis
quarta-feira, janeiro 19, 2022
cinesytem

Documentário sobre Saint-Exupéry estreia com sucesso em Florianópolis

Documentário sobre Saint-Exupéry estreia com sucesso em Florianópolis

spot_img

Filme será exibido gratuitamente no Paradigma Cine Arte, em sessões gratuitas de 16 a 19 de maio, sempre às 18h

A passagem do aviador Antoine de Saint-Exupéry pelo Campeche, na Ilha de Santa Catarina – até então registrada apenas na memória oral de antigos moradores da região – inspira audiovisual inédito que torna público um fato pouco conhecido na história do Brasil e da França. O documentário De Saint-Exupéry a Zeperri, lançado na quinta-feira (12/05), no Paradigma Cine Arte, num evento que contou com a presença de familiares do piloto francês, é o fio condutor de uma história de amizade que une os dois países.

Entre os convidados da noite de estreia estavam Isabelle d’Agay e Hèléne de Sèze, sobrinhas-netas de Saint-Exupéry; o superintendente da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC), Rodolfo Joaquim Pinto da Luz; o secretário de Turismo, Cultura e Esportes de Santa Catarina, César Souza Júnior; e Getúlio Manoel Inácio, morador do Campeche que tornou conhecida a relação de amizade entre seu pai, o pescador Manoel Rafael Inácio (seo Deca) e o piloto do correio aéreo da Compagnie Génerale Aéropostale, carinhosamente chamado pelo nome de Zeperri.

Apresentado durante o 23º Festival de Filmes Latino-americanos em Toulouse, na França, em março, o documentário deixou boas impressões na cidade que foi sede da antiga companhia e que é hoje a capital europeia do ar e do espaço. Em Florianópolis, a estreia também impressionou a plateia, formada por moradores que contribuíram para o registro dos fatos históricos, jornalistas, políticos, admiradores da obra do escritor francês ou apaixonados pela aviação.

O advogado mineiro Bob Costa, 65 anos, que há quatro anos mora na capital catarinense, relembrou as quase três décadas dedicadas ao vôo, só que em ultraleves. “É um filme que tem alma e me fez chorar porque esse sempre foi o meu sonho. Eu me vi voando com ele”, disse, emocionado. O filme poderá ser visto pelo público em exibições gratuitas de 16 a 19 de maio, às 18h, no Paradigma Cine Arte.

Registro inédito

Com direção geral de Branca Regina Rosa e roteiro de Delmar Gularte, a partir do argumento da pesquisadora Mônica Cristina Corrêa (PhD em Língua e Literatura Francesa pela USP), o documentário foi viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet) com o patrocínio da Tractebel Energia e da Celesc, contando com apoio da Prefeitura Municipal e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC). O filme foi elaborado com fins culturais para divulgação televisiva, e a exibição em Toulouse e Florianópolis tem como objetivo preservar a memória de fatos relevantes para a História de Santa Catarina e da França.

Em cerca de 50 minutos, o vídeo-documentário conta a trajetória de Antoine de Saint-Exupérry (1900 – 1944), autor de um dos livros mais traduzidos no mundo, O Pequeno Príncipe, e a relação do escritor com a Ilha de Santa Catarina na primeira metade do século XX, quando trabalhava como piloto na Companhia Aéropostale. Na tela, imagens e documentos históricos, além de vários depoimentos de brasileiros e franceses que confirmam as passagens de Saint-Exupéry por Florianópolis.

Pela importância cultural e histórica para a capital catarinense, o filme em breve será reproduzido para distribuição em bibliotecas e escolas da rede pública no município, segundo avalia o superintendente da Fundação Franklin Cascaes, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz. “É um documentário que ganha profundidade ao reunir fatos históricos e aspectos artísticos, numa costura muito bem executada que nos mostra a relação entre Saint-Exupéry, os pescadores, o Campeche e a Florianópolis antiga”, complementa.

O documentário De Saint-Exupéry a Zeperri integra um projeto maior, que abrange o restauro do único casarão de pilotos das escalas da Aéropostale que permanece intacto no Brasil, o do Campeche, também conhecido como Popote. Depois de restaurado, o imóvel deve abrigar o “Memorial Pilotos e Pescadores”, com espaço cultural administrado pela Prefeitura de Florianópolis, por meio da Fundação Franklin Cascaes. Os recursos para a obra serão captados via Lei Rouanet, do Ministério da Cultura (MinC).

“Quando meu pai conheceu Saint-Exupéry não imaginava que ele tinha essa fama toda. Mas, graças às lembranças dele está sendo possível recuperar uma parte da história do Brasil e também da França”, destaca Getúlio Inácio, repetindo o emocionante depoimento que encerra o filme. Seo Deca, faleceu em 1993, aos 84 anos, quase cinco décadas depois do desaparecimento do amigo francês no Mar Mediterrâneo, em 1944, durante uma missão de reconhecimento.

spot_img
spot_img