29.6 C
fpolis
terça-feira, janeiro 25, 2022
cinesytem

Galeria Vecchietti recebe feira de ciências e arte

Galeria Vecchietti recebe feira de ciências e arte

spot_img

A Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti, no Centro de Florianópolis, abriu a exposição de arte contemporânea ‘Feira de Ciências – Acelerando as Partículas da Criação’. A mostra, que inaugurada no último dia 13, ficará aberta à visitação pública até 12 de setembro. A Feira pode ser visitada, gratuitamente, de segunda a sexta-feira, das 13 às 19h. Escolas ou grupos escolares interessados em agendar visitas devem fazer a solicitação junto à Diretoria de Artes da Fundação Franklin Cascaes por e-mail (artesvisuais.ffc@gmail.com) ou combinar a visita diretamente com a equipe da Galeria Vecchietti, pelo telefone (48) 3228-6821. As informações são da Secretaria de Comunicação do Executivo Municipal. 

Reunindo trabalhos de dez artistas, com curadoria de Fernando Boppré e Ana Viegas, a exposição é realizada pela Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, em parceria com o Sesc-Santa Catarina. Para a apresentação dos experimentos e comunicação dos conceitos, foram convidados Diego de los Campos, Lara Montechio, Bruno Bachmann, Leandro Lopes, Lengo Noronha, Luiza Arantes Nasser, Jonas Esteves de Bem, Guto Lacaz, Maurício Muniz e Michael Duarte. A montagem da Feira de Ciências é assinada por Cristina Dalanora e Flávio (Xanxa) Brunetto.

Espaço interativo

Fernando Boppré explica que a ideia da exposição foi inspirada nas antigas feiras de ciências, consideradas mirantes para a tecnologia e o desenvolvimento científico. “A gente pensou nas experiências que queria ver e convidou alguns artistas, além de outros colegas. São pessoas que quiseram pensar um pouco essa relação e se dispuseram a fazer alguns trabalhos nessa linha, unindo ciência, arte e até humor, porque aqui também há um pouco de ironia” comenta o curador da mostra. Essas atividades, segundo ele, possibilitam a inovação do saber. “A Feira possui também um caráter pedagógico e didático”, afirma Boppré.

Os trabalhos em exposição podem ser tocados e experimentados. Ao entrar no espaço da feira na Galeria Vecchietti, o visitante é convidado a fabricar aviões de papel de diversos formatos e tamanhos, ou desenhar com uma caneta vibratória e depois fixar as imagens na parede. Pode ainda fazer filmes para exibição no local, entre outras experimentações inusitadas.

Criado por Lara Montechio e Bruno Bachmann, estudantes de Artes da Udesc, o Motorcine é um dos experimentos expostos. Feita de pedaços de ventilador e bicicleta, prendedores de roupa e outros objetos reciclados, o equipamento foi desenvolvido especialmente para a Feira de Ciências. Com ele dá para assistir a pequenos filmes, a partir da projeção com efeitos de câmera lenta (slow motion).

Na mostra da Galeria Vecchietti também é possível interagir com a escultura Psilocibina, criada por Lengo Noronha. O experimento foi desenvolvido a partir de raízes, folhas, sementes e outros objetos recolhidos no quintal da casa do artista, e acomodados sobre uma placa metálica. A obra tem a forma de um grande cogumelo brotando do solo, que é feito a partir de limalhas de ferro. Um ímã embaixo da placa pode ser conduzido pelo visitante, provocando o movimento da “terra”.

Além das invenções expostas, a Feira de Ciências reserva um espaço para o público exercitar a criatividade na mesa de experimentos. “A proposta é que as pessoas venham e tragam as suas próprias experiências. Aqui é o lugar de brincar e compartilhar conhecimento”, explica a curadora Ana Viegas.

spot_img
spot_img